×

Sistema de Gestão de Energia – Uma visão muito além da conta de luz


 
Sistema de Gestão de Energia – Uma visão muito além da conta de luz
4.8 (95%) 4 votes

A racionalização dos recursos energéticos é matéria que cada vez mais ganha destaque, seja entre as preocupações da sociedade, nas políticas públicas do governo ou no planejamento estratégico das empresas dos mais variados segmentos. Isso porque, nos últimos tempos, passamos por uma crise energética como poucas vezes se te teve notícia no Brasil. Falta de chuva, escassez hídrica, aumentos discrepantes da conta de luz e criação da metodologia de bandeiras, que incluiu a dolorosa bandeira vermelha que, além de representar um aumento ainda maior no valor da conta para os consumidores, indica também (como uma das causas) o aumento da necessidade de maior uso (contratação) de energia advinda de termelétricas.  Logo o Brasil, país cuja matriz energética é composta por mais de mil usinas hidrelétricas espalhadas pelo território nacional, que juntas produzem mais de 69% da energia do país.

matriz energética

Entretanto, que se saber vislumbrar o lado bom de qualquer crise e aproveitar a experiência pela qual se pôde vivenciar ao sentir na pele e no bolso os efeitos negativos do nosso descaso, para compreender que se não houver mudança de mentalidade, comportamento e prioridades continuaremos a pagar mais caro por recursos que temos mais do que muitos, mas estamos desperdiçando como poucos.

Em tempos em que as receitas podem não crescer tanto como se pretendia, o equilíbrio das contas ou o próprio lucro almejado pode ser alcançado também por meio da redução dos custos. Para isso, um sistema de gestão de energia nos moldes da ISO 50001:2011 devidamente implementado e mantido se mostra como uma ótima ferramenta para auxiliar qualquer organização a alcançar esses objetivos.

A ISO 50001: 2011 estabelece que o sistema de gestão de energia é o conjunto de elementos inter-relacionados ou interativos para estabelecer uma política energética, objetivos energéticos, e processos e procedimentos para atingir tais objetivos.  Esses objetivos energéticos sempre deverão ter como premissa maior a redução do consumo de energia e/ou a eficiência energética. A razão ou outra relação quantitativa entre uma saída de desempenho, serviços, produtos ou energia e uma entrada de energia é que chamamos de eficiência energética.

Contudo, a gestão de energia a que se refere a norma não se restringe  somente à energia elétrica (que, em muitos casos, pode ser principal fonte de energia, apesar de não ser a única), mas aos demais tipos de energias utilizadas, sejam em processos produtivos, atividades de serviço, entretenimento, lazer, etc., como os combustíveis, o vapor, calor, ar comprimido, além de formas mais limpas como a energia eólica, solar e outras formas análogas. Ou seja, para o propósito da eficiência energética, energia refere-se às suas diversas formas, incluindo renovável, que podem ser compradas, armazenadas, processadas, utilizadas em equipamentos ou em um processo, ou até recuperadas.

Dessa forma, realizar a gestão de energia é muito mais do que medir mês a mês a conta de luz e avaliar se houve ou não uma redução de consumo. É entender também se houve uso de outras formas de energia, em sentido amplo, e como as mesmas contribuíram para os resultados da organização, ou seja, se o uso  foi significativo. Até porque é possível existir cenários em que, mesmo com aumento de consumo de energia, seja possível atingir maior eficiência energética, quando ocorre, por exemplo, expansão de um empreendimento/atividade com aquisição de novas máquinas/ equipamentos e contratação de mais funcionários, em que se pode ter um maior consumo geral de energia, mas um menor consumo por pessoas ou por máquinas.

Tudo dependente da forma como a organização gerencia seus usos significativos de energia, determina objetivos em relação a redução do consumo ou aumento da eficiência energética dos processos, mede e monitora os resultados periódicos e ações de adequação e/ou melhoria para que tais objetivos sejam alcançados.

Elias Temponi
Consultor Jurídico

Fonte:
NBR ISO 50001: 2011 – Sistema de gestão de energia – Requisitos com orientação para uso.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *