Arquivos SOGI | Página 2 de 7 | Grupo Verde Ghaia
×

Redação de Não Conformidade: simples e objetiva

 

A redação/registro de uma não conformidade precisa ser adequadamente realizada de forma que as partes envolvidas possam compreendê-la e atuar de forma adequada nos passos subsequentes de estudo da causa raiz e ações corretivas.

Redação: identificação de Não Conformidade

Após a identificação da sua Não Conformidade, é preciso saber como irá identificá-la. É válido ressaltar que uma potencial não conformidade não pode ser uma suposição ou mesmo uma observação.

Sendo a não conformidade um fato, é importante relacioná-la ao requisitos da norma para confirmar o não atendimento. A Não Conformidade pode ser identificada de 03 formas:

  • Não conformidade de produto
  • Não conformidade de processo
  • Não conformidade de sistema de Gestão

Dicas de Redação

Uma não conformidade mal escrita pode direcionar quem lê a uma interpretação errônea do problema identificado, fazendo com que todos os esforços envolvidos, para o foco equivocado, não resolvam a situação/desvio. Para evitar tal confusão durante a redação é importante observar se há dados relevantes que devem fazer parte da mesma. Por exemplo:

1. Defina claramente a Não Conformidade

Ao redigir uma Não Conformidade deve-se enunciar o fato constatado de forma clara, concisa e compreensível. Por isso, é importante que você faça um esboço contendo o que é o problema, qual resultado indesejado foi identificado, por que uma área não atende aos requisitos.

Entenda que o problema precisa ser descrito, por isso, ilustre bem a NC, explicando o tipo de ocorrência e a quantidade, assim como, o período da ocorrência e as pessoas envolvidas.

2. Apresente Evidências objetivas

Ao apresentar as evidências Objetivas, exemplifique a situação, listando com exemplos específicos, fatos verificados, de modo que quem for ler consiga visualizar o problema. Lembre-se sempre que o leitor precisa materializar o problema relatado, isto é, entender a “prova do crime”.

Se for preciso e tiver como disponibilizar acesso, dê evidências, tais como fatos, dados, documentos, informações, fotos. Esses materiais geram veracidade à informação e muita vezes facilita a ‘materialização” do ocorrido.

Obs.: Quando faltar evidência objetiva, ela mesma, será considerada a não conformidade.

3. Busque fazer Referências

Quando se diz, buscar a referência, significa identificar qual foi a regra contrariada ou não atendida que gerou o resultado inadequado/indevido. Portanto, após identificar a referência encontrada como válida, desenvolva um breve relato sobre o requisito (item normativo / documentação da organização/requisito legal);

Dica importante

Investigue bem as causas, aplicando métodos conhecidos que possam te auxiliar na identificação e solução de problema. Estabeleça ações de correção que possam atuar direto na causa raiz, para que a Não conformidade ocorra novamente.

4. Seja o leitor e não o redator

É importante que quem for escrever a redação de não conformidade, se veja como o leitor, ou seja, aquele que está omisso à situação e que só entenderá o ocorrido a partir dos dados da redação.

Os fatos serão interpretados com base nas informações fornecidas, por esse motivo, o redator deve deixar todas as informações bem claras, sem causar no outro que irá ler, dúvida, ambiguidade ou dificuldade de compreensão.

Resumindo, sua redação de NC precisa basicamente de 03 partes, como se fosse aquela famosa aula de redação “introdução; desenvolvimento; conclusão”. No caso da Redação NC seria: Descrição da NC; Evidência para sustentar a Descrição; Resquisitos para confirmar a aplicabilidade da NC.

5. Linguagem Clara e objetiva

É a parte que muitos pecam. Lembre-se que escrita e oralidade são bem diferentes, visto que uma conversa ocorre entre 02 ou mais pessoas, e se há alguma dúvida, a pessoa pergunta na hora e esclarece o mal entendido. Contrária a essa situação é a escrita, pois o ato de escrever é uma ação solitária e que pode causar confusão e conflitos de ideia.

Portanto, para escrever siga algumas regras básicas, como, por exemplo, usar frases curtas; sequência de fatos em ordem linear de acontecimento; use a regra clássica de sujeito, verbo e predicado.

Uma boa redação precisa ter ideia lineares (começo, meio e fim), pontuação correta e concordância adequada. Para evitar problemas, ao final da sua redação peça alguém para ler e te explicar o que entendeu. Assim, você saberá se há algum erro que possa ser corrigido.

6. Evite usar

Tenha cuidado para não ser redundante, evite gírias, sentido figurado, expressões idiomáticas e expressões com “acho que”, “seria bom”, “Ouvi dizer que”, “na minha opinião”. As gírias são temporais, ou seja, elas mudam de tempos em tempos, e por isso, elas podem perder sentido de um ano para outro.

Lembre-se que você está fazendo um relato de caso e não relatando um caso que você interpretou. Seja imparcial a situação.

7. Use na sua redação

Não tenha receio de usar expressões e palavras na sua redação que mantenham a impessoalidade, por exemplo, “convém a organização”; “sugere-se”; “pode ser confirmado através”.

8. Verifique a eficácia

É importante verificar as ações corretivas adotadas pela gestão responsável, para que assim, seja possível analisar se os resultados ocorreram conforme planejado. E não se esqueça de solicitar a Análise Crítica pela Alta direção.

Como reparar os efeitos causados pela Não Conformidade?

Existem situações em que a organização necessita, antes de mais nada, reparar de forma imediata os efeitos causados por uma não conformidade. Às ações tomadas neste sentido damos o nome de bloqueio ou contenção e correção.

O BLOQUEIO OU CONTENÇÃO é a ação contingencial e paliativa tomada sobre o EFEITO – produto ou situação não conforme – para evitar que o problema se agrave ou se propague pelo processo ou atinja o cliente, outros colaboradores ou o meio ambiente.

As ações de bloqueio ou contenção

As ações de bloqueio ou contenção ou não são definitivas. A CORREÇÃO também age no efeito buscando eliminar o desvio ou problema. Este tipo de ação visa eliminar uma não conformidade identificada – o PROBLEMA (efeito indesejado), de modo a recuperar as condições originais do processo.

A ação de correção é DEFINITIVA. No entanto é muito importante que se avalie também a EXTENSÃO da não conformidade, ou seja, deve-se averiguar se a mesma situação de desvio não ocorre em outros locais, etapas do processo ou clientes, de forma que se possa tomar ações abrangentes que resolvam os problemas em todos os locais onde estes se apresentem.

Como realizar a identificação de Causas?

Seja para tratar não conformidades REAIS ou PONTENCIAIS, o estudo das causas é uma etapa crucial para definir de forma assertiva as ações que irão realmente eliminar ou prevenir ocorrências indesejadas – problemas.

Mas o que é uma causa? CAUSAS: são todos os motivos que nos levam a ter um problema. Nem todas as causas são relevantes ou impactam de forma direta o problema / não conformidade. Por esta razão, ressalva-se que ao identificar as causas de uma não conformidade sejam utilizadas ferramentas apropriadas, de forma que o processo de identificação da CAUSA RAIZ ou FUNDAMENTAIS seja facilitado.

Ferramentas para a Identificação das Causas

Existem diversas ferramentas que podem auxiliar no estudo dos problemas e identificação de suas causas fundamentais. Iremos restringir o estudo a duas ferramentas mais comuns e amplamente utilizadas:

  • Árvore dos porquês
  • Diagrama de Ishikaua – Espinha de Peixe

Árvore dos Porquês

O objetivo desta ferramenta é realizar a análise partindo da analogia com uma árvore, que se possa analisar de forma prática e ramificada um determinado problema.

Imaginando que o problema está na copa da árvore, deve-se listar todas as causas possíveis para o problema, realizando a subdivisão destas para um estudo mais minucioso, como se fossem os galhos da árvore e ir literalmente descendo até a raiz.

Em geral as causas de um problema não são tão óbvias e visíveis, assim como as raízes de uma árvore. E se você quer eliminar uma árvore você tem que “cortá-la pela raiz”.

É um método que permite a identificação de causas especiais que provocaram problemas. É de fácil aplicação. Permite rápida determinação das causas da maioria das falhas que ocorrem.

Ações Corretivas e Preventivas

Diferentemente das ações de bloqueio e contenção que agem sobre o efeito, as ações corretivas e preventivas atuam nas CAUSAS dos problemas. As ações para tratamento das não conformidades podem ser corretivas, quando o objetivo é eliminar a causa para evitar REPETIÇÃO do desvio, ou preventivas, quando o que se deseja é eliminar a causa para evitar POTENCIAL desvio ou ocorrência.

Nota: O conceito de ação preventiva agora é expresso por meio do uso de mentalidade de risco na formulação de requisitos de sistema de gestão da qualidade e ambiental, conforme ISO 9001 e 14001 – edição 2015.

Com as causas devidamente identificadas, faz-se necessário iniciar a proposição de ações preventivas e corretivas, conforme o caso, para resolução do problema.

Existem muitas ferramentas úteis para auxílio na definição e controle de ações corretivas e preventivas e propomos o estudo de uma das mais consagradas.


Vantagens do Outsourcing para a sua Gestão

 

O outsourcing é uma excelente maneira de conhecer as fraquezas e as forças de sua empresa, valorizando as áreas estratégicas da sua organização, tornando os processos ainda mais produtivos, otimizando todas as atividades e conduzindo ao sucesso duradouro. Além disso, o outsourcing confere uma série de vantagens às empresas que o contrata para controle de leis e requisitos legais aplicáveis.

Confira algumas dessas vantagens para a sua empresa, independente do seu ramo de atividade.

Você sabe como funciona a metodologia Outsourcing?

Entender na prática como funciona essa metodologia pode melhorar muito o sistema de gestão de uma empresa e é fundamental para tomar as decisões corretas. Quando uma organização se preocupa em saber como usar o outsourcing para melhorar sua gestão, ela não só avança no nível de performance, mas também passa a cumprir sua regulamentação com mais afinco, se portando de maneira superior junto aos fornecedores, consumidores e colaboradores. Além disso, ela se estabelece no mercado de forma muito mais confiável.

O que diz respeito a Metodologia criada pela Verde Ghaia, a aplicação da metodologia outsourcing é aplicada na gestão de sua empresa da seguinte maneira: uma equipe especializada liderada por um consultor jurídico ficará a cargo de todo o monitoramento e gestão dos requisitos legais e obrigações, revisando cada processo minuciosamente ao longo do ano.

Em seguida, todos os requisitos não pertinentes serão abolidos de imediato. O processo completo será registrado em relatório, descrevendo todas as evidências de atendimento ou não atendimento das obrigações, gerando dados sólidos e palpáveis.

A partir daí, serão criados planos de ação corretivos junto aos responsáveis pela gestão, bem como serão determinados os prazos para correção das obrigações identificadas como não conformes. Se necessário, haverá também monitoramento e manutenção das documentações do sistema, de forma que estas fiquem sempre atualizadas.

Vantagens do Outsourcing

1. Implementação de melhorias significativas

O outsourcing aumenta a eficiência do canal de comunicação entre todas as unidades de uma empresa. É notório que um olhar externo avaliando os processos da empresa pode oferecer uma visão muito mais ampla do negócio, pois não estará influenciado pelo ambiente.

2. Aumento da produtividade

O outsourcing deixa a equipe mais disponível para se dedicar aos processos operacionais, já que todo o foco nas obrigações legais ficará por conta de um time especializado. Cada um vai trabalhar na área que mais tem conhecimento, aquela que terá maior capacidade para fazer um excelente trabalho – e consequentemente produzindo muito mais, em menos tempo e muito melhor –, aumentando o desempenho da organização como um todo.

3. Aumento da competitividade

O outsourcing é capaz de tornar uma empresa mais competitiva. Isso porque a contratação de profissionais dedicados e com alto desempenho traz maior segurança técnica e jurídica para as organizações.

Além disso, a empresa terá acesso a indicadores de performance mais precisos, podendo estabelecer regras e metas para melhorar sua gestão. E pelo aumento da produtividade, com cada setor desempenhando adequadamente o seu papel, a empresa como um todo ganha uma força competitiva ainda maior perante o mercado.

4. Redução de Riscos

O outsourcing preserva o empresariado de riscos de processos trabalhistas, acidentes de trabalho e passivos previdenciários, pois toda a responsabilidade dos profissionais envolvidos nas atividades será assumida pela empresa contratada.

Soma-se a isso que, com uma equipe mais bem preparada para potencializar determinada área, ou seja, com uma equipe com mais know-how, as chances de que algo dê errado diminuem, porque quanto mais conhecimento na área, menor é a chance de cometer algum equívoco. Com isso, há uma redução visível nos riscos do negócio.

5. Redução de custos

Normalmente, o outsourcing traz uma redução visível dos custos para a empresa contratante, pois evita a manutenção custosa de funcionários especializados fixos e ainda gera economia devido ao melhor aproveitamento de todos os recursos.

Com a intervenção do serviço de outsourcing também haverá uma queda considerável no custo da prevenção de impactos socioeconômicos adversos, incluindo impactos ambientais, lesões e doenças ocupacionais, permitindo que sua empresa mantenha o foco em riscos e oportunidades.

6. Maior segurança

Com o outsourcing, é possível prever todas as atividades e assim acordar sobre as cláusulas contratuais que irão reger a relação entre as empresas numa transação.

7. Foco no cliente

Cada setor cumprindo adequadamente o seu papel e funcionando corretamente, os riscos diminuem e os problemas também, e então é possível focar no que é mais importante: seu cliente.

8. Uso de tecnologia para automação dos processos

as empresas especializadas em outsourcing possuem o know-how do serviço a ser prestado e dominam todas as ferramentas tecnológicas para contribuir com a organização contratante, agilizando processos e aumentando a produtividade. Processos automatizados trazem mais segurança e credibilidade na tomada das decisões.

Quer conhecer mais vantagens do Outsourcing para o seu negócio? Fale conosco!

Entenda a diferença entre não conformidades maiores e menores

 

No âmbito dos sistemas de gestão é muito importante que as organizações identifiquem desvios e não conformidades, tomando as ações pertinentes para corrigir os problemas e evitar sua recorrência.

Para estudar o assunto tratamento de não conformidades, ações corretivas e preventivas devemos considerar também os requisitos previstos nas principais normas de gestão no que se refere a este assunto.

Para as normas NBR ISO 9001:2015 e NBR ISO 14001:2015 um conceito importante a ser considerado é a MENTALIDADE DE RISCO, uma vez que a ideia de prevenção (ação preventiva) está nele embutida, desdobrando-se assim da análise de riscos e oportunidades, ainda na fase de planejamento do sistema de gestão, as ações preventivas.

Falaremos sobre isso, em um outro momento.

Identificação de problemas no sistema de gestão

Para tanto existem ferramentas e metodologias apropriadas e a serem utilizadas na identificação do problema, bem como, em suas reais causas, visando a melhor forma de agir, acompanhar e garantir a eficácia das ações tomadas.

Essas ferramentas têm por objetivo ajudar na identificação, monitoramento e tratamento das não conformidades, além de contribuir com ações Preventivas e corretivas, de acordo com itens normativos da NBR ISO 9001:2015, da NBR ISO 14001:2015 e ISO 45001. Outa contribuição dessas ferramentas/metodologias para a gestão, é o fornecimento de dados e informações que vão auxiliar o gestor na execução dos tipos de ações a serem tomadas dentro da organização.

A política de qualidade, faz parte desse processo de padronização e melhoria dos processos, cuja responsabilidade deste documento é o de especificar as ações de controle de qualidade de uma organização. A inexistência de uma Política da Qualidade irá gerar sérias consequências para a empresa, como a ineficiência da comunicação dos itens de qualidade para a equipe de colaboradores.

Diferença entre não Conformidades Maior e Menor

Não conformidades maiores

As não conformidades maiores são quando um requisito inteiro da norma não foi atendido. É quando o “problema” está relacionada a algo mais grave. Em geral, são erros sistêmicos no sistema de gestão de qualidade.

Na maioria dos casos, ocorre quando um requisito inteiro da norma não é cumprido. Podemos citar como exemplo, a não existência de um método de verificação, análise e registros de equipamentos de monitoramento e medição, ou se todos os equipamentos de monitoramento e medição não possuem identificação de seu estado de verificação e registros mantidos. Outro exemplo é a ausência do requisito da política de qualidade nos processos. Para ser considerada uma não conformidade maior, deve-se considerar ao menos uma destas características:

  • A sua empresa não realizou a análise crítica pela administração, embora este seja um requisito da norma.
  • Seu processo não esta cumprindo requisitos especificados nos procedimentos. Exemplo, em um determinado procedimento do seu Sistema de Gestão Ambiental a sua empresa declara que realiza programa de gerenciamento de resíduos sólidos, no entanto, durante a auditoria externa não é comprovado à aplicação do programa.
  • Uma não conformidade menor, identificada durante uma auditoria anterior, não foi resolvida dentro do prazo – tal não conformidade menor automaticamente se torna uma maior.
  • Você tem várias não conformidades menores que estão relacionadas ao mesmo processo ou ao mesmo elemento de seu sistema de gestão.

Não conformidades menores

A determinação de não conformidade menor ocorre durante as auditorias externas de certificação do sistema de gestão. A não conformidade menor é uma falha do controle de um requisito estabelecido. Ela indica o não cumprimento de um processo específico. Trata-se de falhas pontuais, ou seja, erros mais específicos.

Para exemplificar, pode-se citar, um único equipamento de monitoramento e medição que não está com a identificação, ou então, não se tem documentação sobre o estado de calibração de um equipamento, por exemplo. Ou também, pode-se citar quando registros de competência de um determinado colaborador não estão arquivados.

Ações que ajudam a evitar as não conformidades

Embora tenhamos consciência de que é impossível que em uma empresa seja ela de grande ou pequeno porte, nunca ocorram erros no sistema, é aconselhável que se crie medidas para reduzir o número de não conformidades nos processos.

Para isso, oferecemos algumas orientações que podem ser úteis a qualquer organização que queira andar alinhada na ISO 9001.

  • Capacite os colaboradores: Treine cada um dos integrantes da equipe com informações relevantes sobre a não conformidade. A intenção é que eles entendam corretamente os conceitos de “não conformidade”, “ação corretiva”, “correção”, “ação preventiva”.
  • Promova mensurações: Crie indicadores mensuráveis para acompanhar as não conformidades. Por exemplo, relacione as não conformidades aos custos que elas geram dentro dos processos.
  • Alinhe esses indicadores as metas estratégicas da organização;

Criando cultura preventiva

É fundamental que todos saibam que exercem papel relevante para o cumprimento e correção das não conformidades. Para isso, é importante que o gestor defina ações para correção das não conformidades e que deste modo, todos estejam envolvidos e assumindo a responsabilidade de toda a organização e não apenas da área da qualidade.

Relevância do SGQ – sistema de gestão da qualidade – deve está bem enraizado na cultura Organizacional das empresas, criando a cultura de que o sistema de gestão é importante para todas as áreas, principalmente àquelas voltadas à área de Compliance.

Desse modo, a organização caminha em sintonia, na qual todos se sentem responsáveis pelas suas próprias ações e assim, é possível cumprir os requisitos e padronizações da norma ISO 9001.


Quer entender mais sobre o assunto? A Consultoria Online da Verde Ghaia possui profissionais experientes no assunto e que podem auxiliar sua empresa a identificar e tratar as não conformidades em sua gestão.

Fale conosco!


É Hoje! Estamos ansiosos para te apresentar a LIA

 

A LIA – Legislação com Inteligência Artificial – é o primeiro robô da Verde Ghaia que com habilidade de aprendizagem cognitiva e preditiva, duas características importantíssimas, vai te ajudar nas rotinas de sua organização, principalmente no que diz respeito às metas de compliance.

A LIA sofreu influência direta de sua “mãe”, LIRA. Por isso, também é especialista na análise das legislações pertinentes, monitorando os requisitos legais e evitando penalidades.

A capacidade cognitiva da LIA permite o entendimento de abstrações, bem como a memorização de informações, a adoção de linguajar adequado e até mesmo o uso da criatividade para resolver problemas. Deste modo, a LIA se apresenta como uma ferramenta interativa para transformar situações-problema em soluções, tudo a partir do simples uso de todas as informações que ela for recebendo de vários ramos de atividades. 

Já pensou conseguir enxergar o seu negócio de maneira mais ampla? Já pensou na possibilidade de simplesmente processar todas as informações e a partir daí detectar as não conformidades e obter a solução para cada tratativa imediatamente?

Como visualizar seus processos de maneira ampla?

Legislação com Inteligência Artificial: Como monitorar seus requisitos com mais agilidade?
Legislação com Inteligência Artificial: Como monitorar seus requisitos com mais agilidade?

A LIA está aprendendo a trabalhar com inteligência preditiva, ou seja, ela consegue adequar a abordagem do seu negócio de acordo com as ações de seus colaboradores, clientes e até mesmo de seus concorrentes. Isso não é incrível? A LIA utiliza modelos matemáticos que ajudam a prever probabilidades de riscos, por exemplo. E a partir dessa mesma análise, a LIA interpreta os dados minuciosamente e apresenta uma base de previsões, permitindo assim, que você avalie seus riscos com segurança e escolha com mais precisão o melhor caminho a ser tomado.

E mesmo durante suas decisões, a LIA continuará te acompanhando, oferecendo dados relevantes e super confiáveis para que o seu negócio evite as intempéries ao máximo.

Devido a esse acompanhamento constante, você terá segurança para refazer qualquer trajeto sempre que achar necessário. A inteligência preditiva da LIA é capaz de analisar quantidades absurdas de dados a partir de uma variedade de fontes, oferecendo insights para melhoria dos processos e para o crescimento do negócio.

Está ansioso para conhecer ainda mais sobre as funcionalidades da LIA? Então acompanhe nosso blog e fique e conecte-se ao Canal da Verde Ghaia às 16h.

Canal do Youtube: Clique aqui – 23/10 às 16h!

LIA: novo projeto da Verde Ghaia que vai revolucionar a interpretação dos requisitos legais

 

Saiba como monitorar suas leis com mais agilidade. Já imaginou 80% de agilidade na hora de monitorar seus Requisitos?

# Já pensou em fazer uma Gestão de Requisitos Legais bem mais prática e eficiente?

# Já pensou em conseguir gerenciar todas as exigências legais por meio de um checklist separado por temas?

# Já pensou em interligar e compartilhar evidências e planos de ação para demonstrar atendimento a várias obrigações semelhantes ou associadas?

# E já pensou em fazer tudo isso conseguindo associar os custos de prevenção e custos de correção das não conformidades, tomando uma decisão embasada em dados sólidos?

Como a LIA irá me ajudar?

Então chegou a hora de você conhecer a LIA

A LIA é um projeto da Verde Ghaiaque vai revolucionar a interpretação dos Requisitos Legais, Normas Técnicas, Diretrizes Corporativas e Outros Requisitos. A LIA veio para modificar a forma como realizamos a Gestão em Compliance com base no atendimento de Requisitos Legais.

O projeto LIA ganhou força em decorrência do constante trabalho da Verde Ghaia em se alinhar à cultura de gestão centrada no cliente, fiel às práticas mais modernas de Customer Centric. Nossas constantes pesquisas e monitoramentos do comportamento e satisfação de nossos clientes nos fez perceber a necessidade de criar um produto disruptivo e diferente de tudo o que o mercado entrega atualmente.

E a LIA nasceu para entregar algo realmente inovador no monitoramento de leis!

Como a LIA irá me ajudar?

Se você é gestor, já sabe que são várias as penalidades legais que podem impactar no negócio de uma organização, e um dos maiores dilemas da boa administração diz respeito exatamente às priorizações das não conformidades identificadas durante a gestão ou numa auditoria, bem como a difícil decisão sobre onde alocar os esforços e investimentos financeiros, a fim regularizar o passivo identificado. Pois a LIA resolve esse impasse!

A partir de uma base de cálculo e do mapeamento das penalidades, a LIA informa ao cliente sobre todas as exigências e não conformidades existentes e informa qual delas está sob maior risco de ser penalizada, oferecendo indicadores estratégicos mais precisos para a tomada de decisão.

Além disso, a LIA é capaz de fazer uma conexão entre os planos de ação e seus respectivos custos, dessa forma é possível não apenas avaliar o risco exposto da empresa, como também correlacioná-lo à gestão de custos para as devidas correções.

Com a LIA, as exigências legais também passarão a ser referenciadas em todos os requisitos legais onde são mencionadas, extinguindo assim aquela repetição infindável das obrigações em múltiplos tópicos e condensando as informações de maneira mais clara e assertiva. Portanto, cada exigência legal passará a ser classificada conforme sua natureza ou tipo, de acordo com dados de inspeção, licenças e autorizações, laudos, programas, prontuários e gestão de fornecedores críticos.

Além do mais, todas as exigências poderão ser visualizadas por temas integrados, interface que facilita imensamente a gestão e o registro de evidências.

Conquiste 80% de agilidade nos processos

Conquiste 80% de agilidade nos processos

Ainda será possível contar com sugestões de evidências elaboradas pelos especialistas da Verde Ghaia – e todos os dados poderão ser compartilhados automaticamente no universo de todas as obrigações semelhantes ou que exigirem uma mesma ação ou documento.

Além do mais, o dashboard da LIA permitirá a visualização de perdas financeiras e multas aos quais a organização está sujeita, realizando deste modo uma gestão de custos mais eficiente e organizada. E de tempos em tempos, todas as informações serão reanalisadas e as obrigações legais serão reagrupadas, tudo automaticamente, poupando tempo da equipe.

Com a LIA, a Gestão ficará mais rápida, simples e intuitiva, priorizando o que realmente é importante para a empresa.

E tudo isso é só o começo! Quer saber mais detalhes? Então não se esqueça de acompanhar nossas redes sociais para saber mais!

Até lá!

Como realizar as análises/validações das legislações pertinentes?

 

Talvez uma das maiores dificuldades da gestão empresarial, seja seguir e atender às legislações aplicáveis ao negócio, uma vez que a legislação empresarial possui ramificações muito específicas e abrange uma série de escopos: operação, produção, geração de resíduos, emissões, insumos, maquinários, produtos, pessoal, meio ambiente e muito mais.

Sim, a lista é extensa. Por isso, ainda que a empresa encarregue seu departamento jurídico de acompanhar diariamente as edições do Diário Oficial — nos âmbitos federal, estadual e municipal —, que estimule seus advogados a se manterem atualizados e que invista em cursos e afins, nem sempre tais ações podem ser suficientes.

Além disso, mesmo que houvesse uma equipe dedicada exclusivamente ao assunto, seria impossível obter um controle rígido de cada item de modo manual ou utilizando planilhas de Excel, pois fica fácil se perder em meio a tantas informações e atualizações.

Descumprimento de Requisitos Legais

Devido a todos os obstáculos explicados acima, não é incomum uma empresa receber uma penalidade pelo descumprimento de algum requisito legal — ainda que tenha feito tudo para evitar esse tipo de problema — por desconhecimento ou confusão devido ao excesso de informações.

É por isso que muitas empresa optam pela contratação de um banco de dados legal, o qual permita reunir todos os requisitos num só lugar e que deste modo permita um monitoramento mais preciso de todas as informações pertinentes à empresa, sem exceção.

Como o módulo LIRA te ajuda no cumprimento dos seus Requisitos Legais?

O módulo LIRA (Lista Interna de Requisitos Aplicáveis) da Verde Ghaia é um software amparado pelas normais internacionais de gestão e desenvolvido para proporcionar uma visão clara de todo o sistema de gestão de uma organização, tanto do ponto de vista operacional quanto gerencial.

Seja qual for o nicho no qual você opera, através do módulo LIRA sua empresa pode selecionar os requisitos mais pertinentes ao negócio e acompanhar o atendimento de cada um deles, assegurando assim o respeito aos prazos e a todos os procedimentos necessários.

A interface do LIRA possui painéis de bordo que exibem todos os requisitos de maneira intuitiva, incluindo quesitos, ações, prazos e alertas. Ela também conta com um sistema de cores que alerta quando há o atraso no cumprimento de algum requisito, se este se encontra em período de recorrência ou de monitoramento, e também informa pendências e sinaliza o status do atendimento de cada item. Desse modo, pode-se cadastrar requisitos associados a clientes, fornecedores, normas técnicas, obrigações derivadas de comunidades de partes interessadas, licenças e condicionantes.

O sistema permite também fazer o controle de históricos de registro do sistema de gestão, introduzir anexos, evidências, fotos e registros que provam a forma da condução e do monitoramento de seu sistema de gestão.  Todas as informações são organizadas e facilmente verificadas através de relatórios com gráficos e estatísticas. E tudo com suporte técnico e jurídico de uma equipe especializada para garantir a eficácia e eficiência do sistema de gestão.

Outras funcionalidades do SOGI LIRA:

  • O banco de dados é atualizado diariamente com os requisitos e obrigações pertinentes (federais, estaduais e municipais);
  • O sistema permite inserir e replicar informações de uma unidade para outra da empresa, facilitando os processos de cadastramento, busca e compartilhamento de informações. Também possibilita a emissão de relatórios e gráficos corporativos, e a comparação de dados e indicadores entre as unidades.
  • Você pode criar quantos usuários desejar e fazer o upload ilimitado de documentos. Também é possível definir responsáveis pela gestão de cada item e ficar ciente do custo do não cumprimento de um requisito e do índice de recorrência de cada um;
  • É possível gerar cartas de atualização mensais e emitir alertas de atualização de legislações e de pendências no sistema.

Outsourcing LIRA: Como funciona?

O LIRA também conta com a complementação do módulo Outsourcing LIRA, que veio para sanar o problema de diversos clientes que, por diferentes motivos, não conseguem manter seu módulo do SOGI atualizado.

Neste formato, existe a atuação de uma consultoria jurídica altamente especializada, a qual fica responsável não apenas por todo o monitoramento de seus requisitos legais, mas também pela evidenciação de obrigações, validação de requisitos, avaliação da aplicabilidade das obrigações, incorporação de áreas de abrangência e pela criação de planos de ação.

O Outsourcing LIRA aumenta a eficiência do canal de comunicação entre todas as unidades da empresa. Ele também permite à equipe mais disponibilidade para se dedicar aos processos operacionais, já que todo o foco nas obrigações legais ficará por conta de um time especializado.

Tudo isto resulta numa empresa mais competitiva, pois a contratação de profissionais dedicados e com alto desempenho traz maior segurança técnica e jurídica para as organizações. Os indicadores de performance também ficam mais precisos e com isto ocorre a redução de riscos (inclusive aqueles ligados a passivos trabalhistas) e o aumento das oportunidades/

O Outsourcing LIRA é uma excelente maneira de conhecer as fraquezas e as forças de sua empresa, tornando os processos ainda mais produtivos, otimizando todas as atividades e conduzindo ao sucesso duradouro.

Fale conosco!

Tendências que vão marcar a Gestão Corporativa em 2020

 

No mundo dos negócios é difícil acompanhar as mudanças que acontecem a cada minuto em todo o mundo, pois somos bombardeados a todo o tempo com uma quantidade enorme de informações e dados. Se não soubermos lidar com isso seremos engolidos pelo mercado que está cada vez mais competitivo. Mas, há uma saída: se antecipar. Conhecer as tendências que vão marcar a gestão corporativa em 2020 é uma estratégia fundamental para se destacar no próximo ano.

Sem dúvida é necessário considerar a utilização da tecnologia como uma grande aliada para os negócios. A internet também é outra parceira fundamental, que veio para encurtar distâncias e eliminar fronteiras. Juntas, elas permitem unir a utilização de softwares e ferramentas para analisar os dados em tempo real, ao mesmo tempo verificando o que está acontecendo no mundo como também dentro da sua própria empresa.

Mas somente isso não basta. O empresário de 2020 precisa também se antecipar e conhecer todas as estratégias que podem ser usadas a seu favor. E é isso sobre isso que vamos falar neste artigo: quais as tendências da gestão corporativa que você definitivamente precisa conhecer para começar 2020 com o pé direito e seguro de estar fazendo um bom trabalho.

Gestão corporativa: o que é Business Inteligence?

Um termo que certamente você escutará muito por aí no próximo ano é o Business Intelligence. Essa é uma estratégia que já está em aplicação na maioria das empresas com visão de futuro e que tende a se tornar ainda mais sólida com o decorrer dos anos.

O termo Business Intelligence (BI), que pode ser traduzido como “inteligência de negócios” ou “inteligência empresarial”, se resume a uma série de mecanismos que visam reunir, agrupar, organizar e coletar dados que são essenciais para o crescimento do negócio.

Basicamente, o BI é capaz de reunir e listar um grande volume de informações, tornando-as acessíveis a qualquer hora e a qualquer momento. São informações que facilitam a tomada de decisões e que dão muito mais praticidade e segurança para a rotina empresarial.

É importante entender que o BI não aborda somente a parte comercial, mas destaca também a importância de todos os setores para o bom funcionamento da empresa. Através do BI os dados são reunidos e organizados para dar uma visão do todo, permitindo escolher quais as melhores estratégias a serem dotadas em determinadas áreas. Assim, a gestão corporativa torna-se mais assertiva em suas tomadas de decisão, e a organização como um todo cresce de forma sólida ao longo do tempo.

Soluções intuitivas podem lhe ajudar a ter melhores resultados

A gestão corporativa em 2020 demandará cada vez mais soluções intuitivas, que sejam simples e fáceis de serem interpretadas e utilizadas. Isso pode ser aplicado, por exemplo, a um bom software de gestão.

O software precisa funcionar e estar de acordo com as necessidades da empresa. Não adianta adotar um software que funcione perfeitamente bem para um determinado padrão de negócios, mas não atende as necessidades de outro. Em outras palavras, “o que pode ser bom para um pode não ser para o outro”. Por isso, analise sua empresa e escolha o que for melhor para a situação em que ela se encontra hoje visando atingir o objetivo que você deseja.

E lembre-se: quanto mais fácil de usar, mais rápido o trabalho será feito. Quanto mais simples sua interface, melhor para todos usarem. Quanto mais moderno, maiores são as chances de obter os resultados esperados.

Trabalho colaborativo: uma estratégia essencial na gestão corporativa

Gestão corporativa em 2020 - Investimento em automatização

Tão importante quanto organizar e padronizar as informações é tornar o trabalho cada vez mais colaborativo. Ou seja, quanto maior a colaboração dentro de uma gestão corporativa, mais a empresa vai se destacar no mercado, desenvolvendo um diferencial competitivo importantíssimo no mundo atual.

Em 2020 delegar funções continuará sendo uma estratégia sim. E ainda será muito necessária a figura de um líder, até mais que em épocas anteriores. Mas, é preciso também incentivar que os membros de uma equipe compartilhem suas sugestões, deem opiniões, trabalhem juntos visando atingir um resultado comum.

Investimento em automatização

Outra tendência para a gestão corporativa em 2020 é o investimento em automatizações que tornem determinada atividade mais fácil, rápida e eficaz para todos os envolvidos, especialmente para os seus clientes.

Nesse cenário, é preciso citar os softwares de gestão como sendo alguns dos elementos mais importantes para o crescimento de sua empresa, e que com certeza fará uma grande diferença na qualidade da gestão, na assertividade das tomadas de decisão e, consequentemente, na obtenção dos resultados desejados.

Sugestão de leitura: Qual a visão dos empreendedores em relação a Governança Corporativa

Novas capacidades para novos profissionais

Foi-se o tempo em que as exigências para a contratação de profissionais eram mínimas. Às vezes, bastava um pouco de conhecimento técnico que a carteira de trabalho já era assinada.

Hoje, o mundo dos negócios está muito mais exigente do que em qualquer outra época. Ter um bom currículo é apenas um dos requisitos mínimos para conquistar uma boa vaga de emprego. Neste sentido, uma das tendências para 2020 é a proatividade. A gestão corporativa do próximo ano exigirá ainda mais que os profissionais apresentem traços de autonomia e disponibilidade, que não esperem receber ordens, mas que se antecipem, vão lá e façam.

Além da proatividade, a tendência é que os profissionais possuam um conjunto de habilidades que envolvem a criatividade, a motivação, o pensamento estratégico e crítico, a capacidade de inovar, a inteligência emocional e a autenticidade.

Essas habilidades remetem à outra tendência: da autogestão e da produtividade. O mercado está se adaptando a esse novo tipo de profissional, e para uma boa gestão corporativa, você precisa se adaptar também, incentivando que todos possam ser líderes de si mesmos na empresa. Ou seja, nada de chefe pegando no pé!

A ideia é que você consiga contar com um time preparado para atuar de maneira independente, não dependendo sempre de demandas, ou ordens e delegações de tarefas. A confiança, é claro, será a base desse relacionamento.

Por que investir em Chatbots no próximo ano?

Quando se fala em desenvolvimento e crescimento empresarial, um dos pontos cruciais é o atendimento ao cliente. Afinal, sem o cliente, uma empresa perde o motivo da sua existência.

A atenção que deve ser dirigida para atender o cliente deve ser uma das principais estratégias para a gestão corporativa em 2020. E a tendência nesse caso é a implantação de Chatbots. Afinal, chatbots é a possibilidade de oferecer ao seu cliente um atendimento em tempo integral, esclarecendo dúvidas, sanando dificuldades ou passando informações de forma rápida e simples.

É neste sentido que a tecnologia mais uma vez se torna nossa aliada. Porque através do aperfeiçoamento tecnológico constante os clientes poderão se comunicar tranquilamente com a máquina, usando linguagem natural e coloquial. Os sistemas super avançados serão cada vez mais capazes de compreender e esclarecer as questões dentro de sua programação.

Centralização dos serviços no cliente – o bem maior de qualquer empresa!

Se o atendimento ao cliente é um dos pontos cruciais, quando se pergunta o que há de mais importante em uma empresa, a resposta tem que ser unânime: o cliente! Absolutamente tudo o que você faz e pretende fazer é para trazer uma experiência nova e satisfatória ao seu público-alvo.

 Por isso mesmo a centralização dos serviços no que diz respeito a gestão corporativa em 2020 estará toda voltada para o cliente. A ideia é proporcionar experiências cada vez melhores, de modo que a clientela volte sempre.

Para isso, é preciso estar a par de todas as novidades do marketing, acompanhar a jornada de compra e criar estratégias para que o cliente se sinta confortável e acolhido em todas as etapas do funil.

O uso de métricas e dados para fazer contato com aquele cliente inativo, e estratégias de fidelização também serão muito bem-vindas.

Antecipe-se e faça a diferença!

As tendências para a gestão corporativa em 2020 têm a intenção de fazer com que você compreenda a sua empresa como um todo. Não há mais espaço para atuações isoladas dos setores nem de pessoas. A organização precisa atuar de maneira uniforme.

Por isso, a gestão corporativa em 2020 parte do princípio de que você deve formar uma equipe de qualidade, construir uma base de valores sólida e apostar nos benefícios do mundo digital e da tecnologia. Faça-os com sejam seus verdadeiros aliados estratégicos na busca pelos melhores resultados para que você se destaque no mercado no próximo ano.


Deivison Pedroza – CEO e Fundador do Grupo Verde Ghaia

Por que as empresas devem acompanhar a qualificação de seus fornecedores?

 

Conhecer os seus fornecedores e acompanhar o serviço é essencial para garantir a qualidade e a reputação de seu negócio.

Acompanhar a qualificação de fornecedores que trabalham juntamente a sua empresa é fundamental! Afinal, de nada vale se você prestar um serviço primoroso, mas financiar fontes pouco confiáveis para obter materiais e matéria-prima! Para isso deve se basear no ISO 9001.

Monitorar o desempenho das atividades dos fornecedores é muito importante. Isso tem impacto direto nas grandes empresas, e por isso a certificação acaba servindo de garantia para a qualidade dos serviços.

É claro que você começará cobrando toda a documentação que regulamenta o exercício da atividade prestada pelos provedores externos. Mas, a sua análise precisa ir além, e ser ainda mais criteriosa.

Existem muitos fornecedores no mercado – alguns prestando excelentes serviços, e outros nem tanto. É hora de decidir o tipo de empresa que você quer ter ao seu lado, lutando pelo seu crescimento.

Manter e alimentar uma boa planilha de avaliação de fornecedores é o começo para conseguir verificar como está o desempenho, e inclusive perceber se a qualidade se mantém, ou se ela parece decair com o passar do tempo.

Por que seus fornecedores devem ser qualificados?

A qualificação de fornecedores impactará diretamente a sua empresa! Fique atento!

Fazer uma boa gestão de fornecedores é essencial para a empresa. Além de isso impactar diretamente no rendimento – já que um fornecedor ruim pode atrasar e não cumprir com acordos – existe a questão da reputação.

E existem diversos pontos que são muito importantes, e que precisam ser analisados. Um bom fornecedor precisa lhe atender no prazo, garantir qualidade nos produtos, estar disposto a lhe ajudar, além de, é claro, atuar dentro de todas as leis que regem a atividade.

Ter bons fornecedores chega a ser um artefato competitivo. Por isso mesmo os seus concorrentes guardam os contatos a sete chaves: afinal, quem é que quer compartilhar a fórmula do sucesso?

Escolher e analisar a qualificação de fornecedores demanda que você dedique um certo tempo para isso. É preciso se debruçar sobre as opções, e entender qual delas é a melhor. Alguns dos requisitos que você deve analisar são os seguintes:

  • Avaliação de qualidade;
  • Preço bom e competitivo;
  • Flexibilidade;
  • Posicionamento de marca;
  • Sigilo;
  • Pontualidade;
  • Relevância da marca para o mercado, entre outros.

Porém, além de tudo isso você ainda precisa considerar a avaliação de fornecedores ISO 9001, tópico que vamos abordar logo a seguir, como sendo a grande balança para pesar os prós e os contras na hora de fechar uma parceria.

A certificação é ponto crucial para definir se os seus provedores externos são realmente bons, ou até mesmo para analisar se chegou a hora de trocar de fornecedor.

3 dicas essenciais na hora de selecionar parceiros!

Quanto vale um Sistema de Qualidade para a sua empresa?

Segundo o ISO 9001 sobre homologação de fornecedores, existem três premissas que são consideradas essenciais, e que devem servir de pilar para pautar a sua escolha:

  • Avaliação inicial;
  • Monitoramento do desempenho;
  • Reavaliação.

Cada uma delas analisa o fornecedor a partir de uma ótica, e juntas elas conseguem trazer um verdadeiro raio-x, respondendo a sua pergunta: será que essa empresa é boa?

Avaliação inicial

Como o próprio nome sugere, essa avaliação será a porta de entrada para a negociação entre vocês. A primeira coisa a fazer é solicitar a documentação referente a atividade, e analisar se os fornecedores de alimentos ou de qualquer outro produto estão atuando legalmente.

Você deve verificar se existem licenças de funcionamento, e certificações como ISO 9001, ISO 14001, ISO 45001, SASSMAQ, etc. Também pode solicitar que eles preencham a chamada planilha de avaliação de fornecedores, além de analisar se seus colaboradores são capacitados.

Monitoramento

Na segunda etapa você fará o monitoramento. Na prática, você deve prestar atenção se ele está cumprindo com os requisitos básicos, como prazo de entrega, transparência nas transações, qualidade dos serviços e produtos, qualidade do atendimento, entre outros.

Outras questões como posicionamento de mercado e preço atraente podem ser consideradas nessa etapa. Enfim, tudo aquilo que você achar pertinente para manter ou não essa parceria em andamento.

Reavaliação

Algumas empresas podem apresentar um serviço ideal no início, com documentação e regulamentação em dia, mas com o tempo perder a qualidade por acreditar que o cliente já está ganho. Na qualificação de fornecedores a reavaliação é essencial!

A reavaliação pode ser feita anualmente ou semestralmente, e você deve utilizar o formulário de qualificação de fornecedores para verificar se o serviço continua sendo de primeira qualidade.

Aqui ainda podemos citar que a ISO 9001 em sua versão atualizada pontua a gestão de riscos como um ponto essencial. Essa pode ser aplicada também aos fornecedores, uma vez que você poderá simular problemas, e definir estratégias para contê-los.

Uma boa consultoria poderá lhe auxiliar nisso, inclusive estimulando a regularização, caso seja identificado algum problema, ao invés do cancelamento do contrato!

Por que se importar com a qualificação dos fornecedores?

Saiba quais são os benefícios nas relações com fornecedores

Você com certeza criou a sua empresa a duras penas. Foram anos de elaboração e dedicação, e agora ela finalmente está funcionando e rendendo os frutos esperados.

Pensando nisso, não fica difícil perceber que a qualificação de fornecedores é um assunto de suma importância, pois, você com certeza não quer dividir a sua atividade com serviços de baixa qualidade!

Os provedores externos são parte essencial e estratégica dos seus negócios. A atividade prestada por terceiros poderá impactar diretamente nos seus números de rendimento, gerando lucro ou, em casos ineficientes, perdas bem acentuadas.

Relação de confiança:

A sua relação com fornecedores de alimentos precisa ser de plena confiança. Você precisa acreditar no trabalho, e se sentir confortável em atuar ao lado dessa empresa. É por isso que a qualificação de fornecedores demanda tanto cuidado.

Fazer isso utilizando um bom software de gestão, e contando com uma consultoria especializada tornará a missão ainda mais simples e acessível. É justamente isso que a Verde Ghaia oferece!

Acompanhe a qualificação de fornecedores, e tenha absoluta certeza de que você está trabalhando com as melhores do mercado, aumentando assim as suas chances de sucesso.

Compliance Sustentável é a preocupação da Renault do Brasil

 
Política de Meio Ambiente da Renault
PRÊMIO COMPLIANCE BRASIL 2019 DA VERDE GHAIA NO AUDITORIO SICEPOT BH.

Um dos pilares que sustentam a atuação da Renault do Brasil é o compromisso com o meio ambiente. Esse compromisso se traduz na comemoração dos seus 16 anos de certificação ISO 14001, somente possível através de uma estreita parceria com a Verde Ghaia no levantamento e atendimento das legislações ambientais.

Esta parceria atesta o compromisso da Renault do Brasil em adotar as melhores práticas de produção limpa, de forma a controlar e monitorar todos os seus processos, a fim de garantir a melhoria contínua do seu desempenho ambiental ao mesmo tempo em que reduz seus impactos ambientais.

A empresa é comprometida com a redução do impacto de suas atividades e de seus produtos sobre o meio ambiente considerando todo o ciclo de vida, desde a concepção até a reciclagem.

A eficiência de suas ações é medida todos os anos, geração após geração, para criar carros que poluam menos o ambiente e também para tornar todas as suas instalações sustentáveis e menos agressivas, visando o reaproveitamento de todos os seus materiais. Para a Renault, crescer de forma sustentável e planejada se torna uma forma de estar em sintonia com o meio ambiente.

Política de Meio Ambiente da Renault

A organização possui uma política ambiental compartilhada por todos, sendo um desdobramento da visão da empresa no propósito de reduzir sua pegada ambiental. Através dessa política a Renault do Brasil torna-se mais eficaz e competitiva graças ao gerenciamento cotidiano do meio-ambiente em todas as funções da empresa. Os domínios de ação prioritários são:

1.    Modificação climática e eficácia energética;

2.    Recursos e economia circular competitiva;

3.    Saúde e ecossistemas;

4.    Serviços e sistema de mobilidade inovadores; e

5.    Gestão ambiental, transparência e responsabilidade da comunicação, e diálogo com as partes interessadas.

Ações Renault que visam a Sustentabilidade

Ações Renault que visam a Sustentabilidade
PRÊMIO COMPLIANCE BRASIL 2019 DA VERDE GHAIA NO AUDITORIO SICEPOT EM BH.

A Renault do Brasil, a partir dessa política, se compromete e executa suas ações visando a sustentabilidade através do:

# Controle dos consumos energéticos e das emissões atmosféricas;

# Utilização consciente de matérias-primas;

# Redução na origem e a maximização da valorização dos resíduos;

# Prevenção da contaminação de solos e águas subterrâneas;

# Controle do consumo de água e dos efluentes lançados no meio aquático;

# Prevenção de poluições acidentais;

# Redução de perturbações sonoras e olfativas;

# Controle do risco químico; e

# Implementação de soluções de transporte otimizados para os funcionários.

Resultados da Ações da Renault do Brasil

Como resultado destas ações, a Renault do Brasil é uma fábrica aterro zero. O Complexo Ayrton Senna, sua unidade produtiva localizada em São José dos Pinhais (PR), reutiliza ou recicla 100% dos resíduos gerados no processo de produção.

A fábrica alcançou esse objetivo no fim de 2016 e se tornou a primeira da marca a atingir o feito fora da Europa. Somente em 2018 foram registradas a redução de mais de 420 toneladas de resíduos e a queda de 20% do índice de geração de resíduos por veículo fabricado. Além disso, o complexo é uma reserva natural que abriga mais de 110 espécies de pássaros e quase 30 espécies de mamíferos.

A Renault do Brasil é benchmarking para todo o Grupo Renault em eficiência energética e ações voltadas à redução de consumo e ao reaproveitamento. Isso ocorre por meio de várias iniciativas, como a instalação de um Comitê Interno de Eficiência Energética; a criação da Escola de Economia de Energia, que já levou 1350 colaboradores a realizarem uma formação sobre uso racional de energia e redução dos desperdícios e dos impactos ambientais; o reaproveitamento e reciclagem dos resíduos; e a adoção de processos de limpeza manuais e a seco; entre outras.

A melhoria contínua da Renault do Brasil é evidenciada ano após ano, demonstrando que a empresa está trilhando o caminho certo rumo a uma indústria sustentável.

Venha participar do próximo PRÊMIO COMPLIANCE BRASIL. Aproveite para ver as fotos e o vídeo dos melhores momentos do Prêmio Compliance. Clique aqui para ver!

Como controlar suas Leis e reduzir os Riscos do negócio?

 

Módulo GRC: controle suas leis e reduza os riscos do seu negócio

O gerenciamento de riscos numa organização consiste na identificação, planejamento, administração e controle de seus recursos, que tanto podem ser tanto materiais quanto processuais e humanos.

O objetivo do gerenciamento de riscos é minimizar ao máximo os riscos negativos — aqueles que podem trazer prejuízos — e tirar proveito dos riscos positivos — as chamadas oportunidades.

De maneira geral, a gestão de riscos precisa proteger a empresa das oscilações do mercado — as quais podem incluir fatores de natureza política do país, instabilidade econômica, eventos sociais e tecnológicos — e também auxiliar o gestor nas tomadas de decisão.

Quando Steve Jobs revelou o iPad, em 2010, muitos julgaram o lançamento uma aposta de altíssimo risco — afinal outras empresas já tinham tentado lançar produtos com a mesma dinâmica, e falharam. Hoje sabemos que o iPad é extremamente popular. Mas é claro que Jobs não lançou seu produto a esmo, acreditando apenas em sorte ou intuição. Certamente houve um bom gerenciamento de riscos, abrangendo todos os conceitos que diziam respeito ao iPad — desde sua concepção até o monitoramento de sua recepção no mercado.

Mas obviamente este caso é só um exemplo muito pequeno dentro de um panorama imenso. O gerenciamento de riscos é muito, muito maior do que a mera escolha do momento certo para lançar uma inovação tecnológica, como neste exemplo da Apple.

Riscos em todos os lugares. Previna-se!

Uma boa gestão de riscos deve englobar questões trabalhistas, ambientais, sanitárias, concorrenciais e até mesmo de crimes financeiros. Decisões erradas podem fazer uma empresa ser penalizada com multas, prejuízos, acidentes com pessoal e até perda de reputação perante fornecedores e clientes.

Por aí, já percebemos que o gerenciamento de risco pode ser um processo um tanto árduo e complicado de se montar, não é mesmo? Porque, além de tudo, ainda envolve o mapeamento de eventos que ainda estão por acontecer (e que talvez nem mesmo venham a ocorrer, mas que nem por isso devem ser ignorados).

A gestão de riscos também envolve uma análise profunda dos processos internos de sua empresa. Quando você conhece os desafios a serem enfrentados e aplica as estratégias certas para lidar com os riscos, a liderança é exercida sob menos surpresas e o gestor se torna capaz de realizar planejamentos mais eficientes, descartando burocracias desnecessárias, impulsionando resultados e melhorando o relacionamento entre todas as partes interessadas.

Sendo assim, para dar conta de uma análise tão complexa, o ideal é recorrer a uma ferramenta que possa auxiliar a organização ao máximo, e que ofereça resultados realmente sólidos e confiáveis.

Quais benefícios são gerados através do Módulo GRC?

Para o gerenciamento de riscos, a Verde Ghaia possui o Módulo GRC (Governança, Risco e Compliance), módulo do sistema SOGI desenvolvido com base na ISO 31000, norma responsável por fornecer padrões para a implementação de um sistema de gerenciamento de riscos em qualquer tipo de organização.

Ao adotar o Módulo GRC, a empresa já se torna forte candidata a conquistar o selo ISO 31000, pois estará seguindo os melhores padrões para gerenciamento de riscos, incluindo requisitos legais reconhecidos internacionalmente.

O Módulo GRC possui funcionalidades muito específicas, que aprimoram totalmente as Políticas para o gerenciamento de riscos, organizando todas as suas fases.

Conheça as funcionalidades do Módulo GRC do SOGI

# O módulo GRC aponta se os riscos e oportunidades da empresa são significativos, e permite a criação de ações preventivas, corretivas e emergenciais personalizadas para cada risco identificado.

# Cada ação terá um campo na interface onde será registrado o nome do responsável por ela, bem como o prazo dentro do qual deverá ser cumprida.

# O sistema gera relatórios e gráficos gerenciais, classificando a origem e a severidade de todos os riscos e das oportunidades, e também aponta a probabilidade de ocorrência de cada um deles. Isso facilita a visualização dos dados e oferece respostas prontas para diversos questionamentos que o gestor possa vir a ter. A avaliação é realizada através de métodos quantitativos personalizados (como FMEA e Matriz de Risco).

# Os usuários podem receber notificações sobre todos os prazos e ações, as quais serão enviadas por e-mail e também ficarão disponíveis no painel de pendências do sistema. Os avisos também abrangem prazos legais, evitando assim que a empresa tenha problemas pelo não atendimento à legislação.

Como Módulo GRC, a empresa vai conseguir identificar seus riscos, priorizá-los, determinar tudo o que é mais relevante para seu negócio e ainda identificar as melhores áreas para investimento de seu orçamento.

Considerações Finais

É fundamental que os gestores compreendam que o risco é intrínseco a qualquer atividade, independentemente de seu ramo ou tamanho, por isso o gerenciamento de riscos é essencial em toda organização. Sempre que uma empresa monitora seus riscos, ela cria um cenário mais favorável para si, pois consegue prever boa parte dos problemas e também identificar os melhores momentos para investir ou alavancar seus negócios.

A gestão de risco, quando bem executada, agrega valor ao negócio, facilita a tomada de decisões em todos os níveis hierárquicos, valoriza o capital humano e intelectual dos colaboradores e permite um processo de melhoria contínua em todos os processos da organização.


Informe-se mais, acesse o vídeo abaixo!