×

ISO 9001: qual a importância para os negócios?


 

Antes de avaliar valores relacionados a certificação ISO 9001, você precisa entender que existe a possibilidade de realizar o processo com um gestor da sua própria equipe de colaboradores.

Da Implementação à Certificação ISO 9001

Para obter o certificado, a organização precisa ter o sistema de gestão de
qualidade alinhado aos requisitos da ISO 9001. Portanto, caso a empresa possua um gestor habilitado na norma é possível que este profissional coordene o procedimento de adequação às exigências da ISO 9001.

Todavia, alertamos para alguns problemas que podem ocorrer sem o
acompanhamento de consultores especialistas no assunto:

  • Interpretar erroneamente determinados itens da norma.
  • Não obter êxito na implementação da ISO 9001.
  • Dificuldade na transmissão dos requisitos para a equipe.
  • Tempo excessivo investido no processo de adequação.
  • Em caso de reprovação na auditoria, a empresa terá que arcar com os prejuízos da contratação de um organismo certificador.
  • Desmotivação da equipe pela possível reprovação.

ISO 9001: Identificação de falhas nos processos

O diferencial de uma empresa se deve a muitos fatores, mas é inquestionável a ótica do mercado cujo quesito qualidade se desponta como uma das características mais relevantes de uma organização. Por esse motivo, a ISO 9001 tem sido utilizada por milhares de empresas de diferentes nacionalidades.

Embora os dois termos, “não conformidade” e “defeito” apresentem algumas características semelhantes, eles são distintos em seus conceitos. Para evitar que você confunda os dois, explicaremos abaixo as principais distinções.

1° – O defeito no processo está relacionado a um problema de utilidade ou funcionalidade de um determinado processo dentro da gestão de qualidade. Além de não atender ao requisito, quando há defeito, o processo se torna improdutivo.

Exemplo: A linha de produção de garrafas de vidro possui capacidade para entregar 10 garrafas por minuto. No entanto, está entregando três garrafas quebradas. Logo há um defeito no processo.

2° – A não conformidade não está necessariamente ligada a um problema no processo, pode ser que o procedimento funcione perfeitamente, todavia ele não atende a algum item específico da ISO 9001. A Não conformidade significa dizer que o processo simplesmente não está à altura do padrão de qualidade.

Exemplo: A linha de produção de garrafas de vidro possui capacidade para entregar 10 garrafas por minuto, mas está entregando apenas oito. Neste sentido, há uma não-conformidade.

Resumindo, todo defeito é uma não conformidade, mas nem toda não conformidade é um defeito. Para evitar que ocorram irregularidades, ou seja não conformidades nos processos das organizações, existe a melhoria contínua. Este é outro importante requisito da ISO 9001 que possibilita a aperfeiçoamento do sistema da organização.

O que significa não conformidade?

Quando uma companhia não opera de acordo com um dos itens da norma, ela está em não conformidade com a ISO 9001. Há dados divulgados pela ISO, que mostram a ISO 9001 como a norma mais (re)conhecida no mundo. Integrante da família 9000, a ISO 9001 traz os requisitos do Sistema de Gestão de Qualidade que atua na eficácia dos processos, a fim de que a empresa alcance os resultados esperados.

Contudo, quando uma organização está em não conformidade significa dizer que um dos processos está ocorrendo de maneira errada. Este erro gera resultados insatisfatórios, ou seja produtos não conformes, que não estão alinhados a determinados itens da ISO 9001.

A padronização da Norma, permite que o seu sistema de gestão alinhe os processos conforme os requisitos da norma, impedindo assim, que produtos sejam criados fora do padrão de qualidade da ISO 9001 e fique aquém das expectativas dos clientes.

Em linhas gerais “não conformidade” é o não atendimento de determinado requisito da norma, que por conseguinte, não está alinhada aos padrões ISO. Padronizar significa deixar seus processos cada vez melhores, visando a melhoria contínua.

O que fazer quando houver ‘não conformidade’?

Quando uma organização está em não conformidade significa dizer que um dos processos está ocorrendo de maneira errada. Este erro gera resultados insatisfatórios, ou seja, produtos não conformes, que não estão alinhados a determinados itens da ISO 9001.

A padronização do sistema de gestão da empresa permite que os processos se alinhem aos requisitos da norma. E impede que produtos sejam criados fora do padrão de qualidade da ISO 9001 e aquém das expectativas dos clientes. Em linhas gerais “não conformidade” é não atender a determinado requisito da norma, não estar alinhada a ISO.

Três dicas simples para tratar as não conformidades

1ª dica – Estabeleça metas: A partir de um plano estratégico é possível analisar, observar e entender o funcionamento da empresa. Quando se organiza metas, observa-se com mais detalhes os percursos e caminhos dos processos e portanto onde podem ocorrer ou já acontecem as não conformidades. Estipule também no planejamento estratégicos itens que constem a análise das não conformidades.

dica – Utilize ferramentas: As ferramentas da qualidade atuarão nas suas causas fundamentais, eliminando, revendo, verificando e registrando as não conformidades e conduzindo a sua análise.

3ª dica – Faça ações corretivas: Com a análise da origem e causa das não conformidades é possível se preparar para evitar problemas sistêmicos. Ou seja, a empresa segue seu curso normal, sem gastar tempo e recurso em correções.

ISO 9001 contribui com a melhoria contínua

A melhoria contínua é um dos requisitos do sistema de gestão de qualidade da ISO 9001. Ela atua no aprimoramento constante dos processos ou dos métodos de trabalho. A partir dela, busca-se alcançar níveis elevados de perfeição que vão além dos conceitos de qualidade, alcançando os interesses e necessidades dos clientes.

A melhoria contínua proporciona ideias e estratégias para auxiliar na gestão das não conformidades. A partir da melhoria contínua é possível criar mecanismos eficazes para evitar a reincidência de problemas nos processos e melhorar a produtividade da empresa.

Um passo da Certificação ISO 9001

Após o processo de implementação dos requisitos da norma, executado por uma empresa de consultoria, a organização precisa passar pelo processo de auditoria. Essa etapa é executada por uma Certificadora credenciada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO).

Apenas Organismos Certificadores podem emitir o selo ISO 9001 às empresas. Os custos de contratação podem variar entre três e doze mil reais de acordo com o porte da empresa e complexidade do projeto.

Portanto, qualquer empresa que queira ser certificada com a ISO 9001 terá que arcar com dois investimentos: implementação e auditoria. Inicialmente, os gastos parecem altos, mas o pior não fazer, pois o mercado tem exigido cada vez mais, responsabilidade das organizações em assumir seu compromisso com o consumidor final, fornecendo produtos e serviços com qualidade e que atendam às expectativas e necessidades.

Como o investimento não é nada barato para muitas empresas, aconselha-se o acompanhamento de uma empresa de consultoria que tenha know-how para ajudar o seu negócio a implementar a norma ISO, seja ela qual for.

A empresa de consultoria terá condições de auxiliar te auxiliar, dando informações importantes que deverão ser executadas na etapa de implementação, visando um tempo mínimo possível, para que os processos internos sejam (re)organizados.

Além disso, quando se faz com uma empresa creditada no mercado, você terá um ótimo custo benefício. E para isso, a consultoria online é uma ótima opção em economia de recursos sem perder a qualidade da implementação e auditoria interno para que o seu negócio esteja de acordo com os padrões exigidos pela ISO 9001. O processo pode representar até um terço do valor de uma consultoria presencial.

Fale conosco e tenha mais informação sobre os valores da Consultoria Online!



Por que monitorar as Não Conformidades?


 

Monitorar as não conformidades de um sistema de gestão é tão importante quanto tratá-las. Mas, antes de tudo, tenha claro, quais são as etapas que compõem o processo de tratamento de não conformidades.

Confira as etapas importantes que compõem o processo:

  • Identificação, Descrição e Registro;
  • Ações de Contenção;
  • Avaliação da Extensão;
  • Correção;
  • Identificação de Causas;
  • Ações Corretivas e Preventivas,
  • Avaliação da Eficácia.

Esse tema, sobre Tratamento de Não Conformidades, já foi abordado em outros artigos no blog, vale a pena conferir!

Identificação, Descrição e Registro

A adequada identificação, descrição e registro de uma não conformidade é primordial para o desencadeamento das ações subsequentes. Caso uma não conforme seja erroneamente identificada ou descrita, certamente as suas causas, ações corretivas e ou preventivas serão comprometidas e certamente ineficazes.

Para a adequada identificação de uma não conformidade a organização necessita primeiramente conhecer os requisitos que se aplicam a um determinado processo, para realizar o adequado monitoramento dos parâmetros que o influenciam.

Monitorar as Não Conformidades?

A organização deve monitorar e medir seus processos para decidir corretamente as suas tomadas de decisão. Afinal de contas, não há gerenciamento sem decisão.

Não é possível conhecer aquilo que não se mede. Então se a organização não conhece seus próprios processos podemos dizer que ela não tem controle sobre seu gerenciamento. Logo, isso significa que, não se controla, o que não se gerencia. Resumindo:

  • SE NÃO MEÇO, NÃO CONHEÇO…
  • SE NÃO CONHEÇO, NÃO CONTROLO…
  • SE NÃO CONTROLO, NÃO GERENCIO!!!

É um grande risco quando uma organização não realiza ações de controle e gestão dos seus processos. Tais ações são primordiais para garantir que os recursos empregados serão revertidos em lucros para a organização.

CONTROLE: É o conjunto de ações tomadas a fim de assegurar que os resultados planejados sejam atingidos.

GESTÃO: É o ato de administrar, de gerir. Tomada de decisão com base em dados.

Uma pergunta muito frequente é exatamente o que é importe monitorar ou medir. Na verdade, não existe uma fórmula ideal, pois isso depende das características de cada processo e do desempenho que se pretende atingir.

Parâmetros de Monitoramento

Como exemplo, podemos citar alguns parâmetros importantes para se monitorar:

  • Satisfação de clientes
  • Número de incidentes de SST
  • Parâmetros relacionados a aspectos ambientais significativos
  • Conformidade com requisitos legais
  • Alcance de objetivos e metas
  • Parâmetros relevantes dos processos

Princípio Básico da Gestão

Ao se analisar os dados obtidos da medição e monitoramento de um determinado processo e compará-los com os parâmetros estabelecidos, é necessário que se tenha o devido cuidado para identificar tendências de desvios ou não conformidades. Para tanto é primordial que quem realiza esta análise tenha o adequado conhecimento do processo, os requisitos e parâmetros aplicáveis ao mesmo.

Inicialmente, um princípio básico de gestão a se considerar é focalizar nossa atenção nos POUCOS EVENTOS VITAIS evitando os MUITOS EVENTOS TRIVIAIS, de forma que se possa atacar aquilo que realmente impacta de forma mais significante no desempenho.

Detectando a Não Conformidade

A observação do comportamento dos processos, através da realização de rotinas de verificação periódicas como, monitoramentos, auditorias, inspeções, análises críticas e etc, podem ser fontes para identificação de não conformidades.

Como detectar e monitorar as não Conformidades?

As não conformidades são detectáveis através dos seguintes meios:

  • Desvios dos controles operacionais implantados.
  • Monitoramento de objetivos, metas e programas de gestão.
  • Avaliação de eficácia de ações para aquisição de competências.
  • Avaliação da satisfação de clientes;
  • Constatação de incidentes do trabalho;
  • Constatação de acidentes ambientais, como vazamentos, descarte indevido de resíduos contaminados, etc.
  • Comunicação de partes interessadas, incluindo reclamações, solicitações e sugestões.
  • Avaliação dos simulados de atendimento a emergências.
  • Monitoramento da conformidade legal.
  • Monitoramento e medição dos processos.
  • Monitoramento e medição de produtos/serviços.
  • Auditorias do Sistema de Gestão Ambiental, da Qualidade ou de Saúde e Segurança.
  • Análise Crítica pela Direção

Esta lista não é restritiva e outros eventos diversos podem ser fontes para proposta de ações preventivas e corretivas como forma de alavancar melhorias.

Exemplos de Não Conformidades

  • Completo desconhecimento da política ou dos objetivos da organização;
  • Situações ou procedimentos que não garantam a qualidade e segurança dos produtos;
  • Descumprimento de requisitos legais (leis, decretos, portarias).

Quer saber mais sobre tratamento de não conformidades? Conheça o Módulo TNC do SOGI!


O que é Auditoria Ambiental?


 

A auditoria ambiental é considerada um dos métodos de gestão mais relevantes para o controle e monitoramento dos processos das empresas relacionada ao aspecto ambiental. Através dessa ferramenta, é possível identificar as oportunidades de melhoria, de forma objetiva, podendo avaliar as evidências de auditoria para determinar se as atividades estão em conformidade com os critérios de auditoria, podendo comunicar os resultados deste processo aos clientes e partes interessadas.

O que é importante saber sobre Auditoria Ambiental?

É importante que os profissionais da área ambiental, que estejam à frente de decisões das empresas plausíveis de causar alguma poluição ao meio ambiente, possam em nome da organização adotar medidas preventivas de forma a mitigar impactos que poderão decorrer das atividades ou mesmo como forma de gerenciamento eficaz de seus processos.

Além disso, é importante conhecer temas relacionados a: tipos e princípios da auditoria ambiental; a importância da auditoria ambiental relacionada ao cumprimento das obrigações legais ambientais; a realização na prática (abordando alguns dos principais temas normativos ambientais); alinhamento das atividades econômicas das organizações considerando a preservação ao meio ambiente e respeito à sociedade.

É fundamental que o processo de Auditoria seja (re)conhecido pelas empresas. É um investimento que gera impactos positivos  para as organizações que mantém a prática de realiza-las,  para a sociedade, agregando valor às organizações,  tanto no mercado interno como o externo.

Como eram as Auditorias Ambientais?

A preocupação das organizações que implementam um sistema de gestão ambiental tem se mostrado crescente nos últimos anos, demonstrando o interesse em compreender as normas ambientais em consonância com suas atividades, de forma a reduzir os danos causados ao meio ambiente.

Essa postura adotada amplia as possibilidades de crescimento do negócio, uma vez que a empresa associa sua marca à boas práticas verde e ecologicamente corretas. Mas essa preocupação, somente surgiu pouco depois da metade do século XX, visto que anterior a isso, as empresas não se preocupavam com os impactos que suas atividades poderiam causar ao meio ambiente. Sem mencionar, que naquela época, a legislação era obsoleta e não havia fiscalização suficiente. Somente após a ocorrência de acidentes ambientais é que os Órgãos responsáveis passaram a se preocupar, focando em ações que possibilitavam remediar a ocorrência, para então decidir como minimizar os danos.

Mas, foi somente a partir da década de 70, nos Estados Unidos, surgiram as auditorias ambientais com o principal objetivo de verificar o cumprimento da legislação. Naquela época, as indústrias de energia, petroquímicas e químicas, estavam sujeitas a graves acidentes ambientais, além de econômicos e sociais. Esse fato, levou ao surgimento das auditorias ambientais como obrigações impostas por agências reguladoras após acidentes graves.

Conceito de Auditoria Ambiental

Após esse processo de conscientização dos cuidados ao meio ambiente, é que surgiu então, o conceito de Auditorias Ambientais. Esse conceito é visto como:

“um processo sistemático e documentado de verificação, realizado para obter e avaliar, de forma objetiva, evidências de auditorias para determinar se a atividades, eventos, sistemas de gestão e condições ambientais especificados, ou as informações relacionadas a estes estão em conformidade com os critérios de auditoria, e para comunicar os resultados deste processo ao cliente.” (Definição da norma ISO 14.010)

A partir desse conceito, percebeu-se que o objetivo das auditoras ambientais era o de otimizar o gerenciamento das atividades ambientais realizadas pelos empreendimentos, além de avaliar as conformidades atendendo aos requisitos exigidos pelos órgãos de controle do meio ambiente.

Competências e características da Auditoria Ambiental

As auditorias ambientais são realizadas por profissionais que dominam o tema auditado, com base em suas competências (formação, conhecimento e experiências). Envolvem três partes:

  • empresa auditada;
  • um representante da auditada (guia da auditoria) e;
  • o auditor

Pode conter mais de um escopo (por exemplo: Indústria e Centros de Distribuição) e são realizadas por pessoas alheias ás atividades auditadas. Ou seja, em algumas modalidades podem até ser realizadas por pessoas da mesma organização, mas desde que não pertençam nem sejam subordinadas ou dependentes da área auditada.

Dentre as características de um programa de auditoria ambiental, deve-se destacar:

  • Possuir o escopo e objetivos claros e definidos;
  • Prioridades por unidades mais complexas, se deixar as menos complexas de lado;
  • Apoio geral e organização eficaz;
  • Domínio na atividade de auditoria do profissional que conduz o trabalho.

Considerando a classificação de acordo com a parte autora, a auditoria se subdivide em:

  1. Auditoria ambiental de primeira parte, é constituída por um grupo de pessoas da própria organização auditada;
  2. Auditoria Ambiental de segunda parte, é realizada por uma equipe que tenha interesse direto na gestão ambiental da organização auditada. Este pode ter poder legal ou de negociação para exigir a auditoria;
  3. Auditoria ambiental de terceira parte, realizada por empresa contatada que não possua interesse nos impactos causados pela organização.

Critérios Adotados nas Auditorias Ambientais

De acordo com os critérios da auditoria, estes são classificados quanto:

  • Auditoria de Sistemas de Gestão, verificara o cumprimento das normas, procedimentos e critérios adotados pela organização;
  • Auditoria de Conformidade legal que verificará o cumprimento dos requisitos legais, condicionantes e outros requisitos de forma estruturada e sistêmica através de um auditor habilitado e com conhecimento em sistema de gestão.

E, por fim, considerando a classificação de acordo com os objetivos da auditoria:

  • Auditoria ambiental de acompanhamento, verifica se as condições estabelecidas em uma auditoria anterior estão sendo cumpridas;
  • Auditoria compulsória tem por finalidade o cumprimento de exigência legal em relação à auditoria ambiental;
  • Auditoria ambiental de certificação tem por objetivo verificar a conformidade da organização com os objetivos estabelecidos pelas normas, nas quais a empresa deseja se certificar atendendo aos requisitos definidos na norma ISO 14001 – 2015;
  • Auditoria ambiental de verificação de correção ou follow-up objetiva, verificar se as não conformidades identificadas em auditorias anteriores foram sanadas;
  • Auditoria ambiental de responsabilidade ou due diligence que irá avaliar os custos e riscos relacionados à passivos ambientais da organização;
  • Auditoria ambiental de sítio determinada a avaliar o grau de contaminação de determinado local, a fim de identificar algum passivo ambiental;
  • Auditoria de processo que visa a otimização da gestão de recursos, com o objetivo de melhorar a eficiência do processo produtivo e reduzir a geração de resíduos, uso de energia e outros insumos.

Papel do Auditor Ambiental

O auditor ambiental tem papel fundamental no processo de auditoria, pois será ele o responsável por fazer a avaliação sistemática, documentada periódica e objetiva das informações, além de coletar dados através de entrevistas, comparando os dados com os critérios da auditoria.

Assim, verifica-se que as auditorias ambientais possuem objetivos de identificação e documentação do status da conformidade ambiental, o auxilio em melhorar o desempenho ambiental das organizações, o aperfeiçoamento do sistema de gestão ambiental, a proteção da organização em relação às suas responsabilidades ambientais, além de desenvolver uma base para a utilização de adequada dos recursos ambientais.


Conheça o curso EAD da Verde Ghaia sobre Auditoria Ambiental. Quer mais informações? Fale conosco!


Entenda a diferença entre não conformidades maiores e menores


 

No âmbito dos sistemas de gestão é muito importante que as organizações identifiquem desvios e não conformidades, tomando as ações pertinentes para corrigir os problemas e evitar sua recorrência.

Para estudar o assunto tratamento de não conformidades, ações corretivas e preventivas devemos considerar também os requisitos previstos nas principais normas de gestão no que se refere a este assunto.

Para as normas NBR ISO 9001:2015 e NBR ISO 14001:2015 um conceito importante a ser considerado é a MENTALIDADE DE RISCO, uma vez que a ideia de prevenção (ação preventiva) está nele embutida, desdobrando-se assim da análise de riscos e oportunidades, ainda na fase de planejamento do sistema de gestão, as ações preventivas.

Falaremos sobre isso, em um outro momento.

Identificação de problemas no sistema de gestão

Para tanto existem ferramentas e metodologias apropriadas e a serem utilizadas na identificação do problema, bem como, em suas reais causas, visando a melhor forma de agir, acompanhar e garantir a eficácia das ações tomadas.

Essas ferramentas têm por objetivo ajudar na identificação, monitoramento e tratamento das não conformidades, além de contribuir com ações Preventivas e corretivas, de acordo com itens normativos da NBR ISO 9001:2015, da NBR ISO 14001:2015 e ISO 45001. Outa contribuição dessas ferramentas/metodologias para a gestão, é o fornecimento de dados e informações que vão auxiliar o gestor na execução dos tipos de ações a serem tomadas dentro da organização.

A política de qualidade, faz parte desse processo de padronização e melhoria dos processos, cuja responsabilidade deste documento é o de especificar as ações de controle de qualidade de uma organização. A inexistência de uma Política da Qualidade irá gerar sérias consequências para a empresa, como a ineficiência da comunicação dos itens de qualidade para a equipe de colaboradores.

Diferença entre não Conformidades Maior e Menor

Não conformidades maiores

As não conformidades maiores são quando um requisito inteiro da norma não foi atendido. É quando o “problema” está relacionada a algo mais grave. Em geral, são erros sistêmicos no sistema de gestão de qualidade.

Na maioria dos casos, ocorre quando um requisito inteiro da norma não é cumprido. Podemos citar como exemplo, a não existência de um método de verificação, análise e registros de equipamentos de monitoramento e medição, ou se todos os equipamentos de monitoramento e medição não possuem identificação de seu estado de verificação e registros mantidos. Outro exemplo é a ausência do requisito da política de qualidade nos processos. Para ser considerada uma não conformidade maior, deve-se considerar ao menos uma destas características:

  • A sua empresa não realizou a análise crítica pela administração, embora este seja um requisito da norma.
  • Seu processo não esta cumprindo requisitos especificados nos procedimentos. Exemplo, em um determinado procedimento do seu Sistema de Gestão Ambiental a sua empresa declara que realiza programa de gerenciamento de resíduos sólidos, no entanto, durante a auditoria externa não é comprovado à aplicação do programa.
  • Uma não conformidade menor, identificada durante uma auditoria anterior, não foi resolvida dentro do prazo – tal não conformidade menor automaticamente se torna uma maior.
  • Você tem várias não conformidades menores que estão relacionadas ao mesmo processo ou ao mesmo elemento de seu sistema de gestão.

Não conformidades menores

A determinação de não conformidade menor ocorre durante as auditorias externas de certificação do sistema de gestão. A não conformidade menor é uma falha do controle de um requisito estabelecido. Ela indica o não cumprimento de um processo específico. Trata-se de falhas pontuais, ou seja, erros mais específicos.

Para exemplificar, pode-se citar, um único equipamento de monitoramento e medição que não está com a identificação, ou então, não se tem documentação sobre o estado de calibração de um equipamento, por exemplo. Ou também, pode-se citar quando registros de competência de um determinado colaborador não estão arquivados.

Ações que ajudam a evitar as não conformidades

Embora tenhamos consciência de que é impossível que em uma empresa seja ela de grande ou pequeno porte, nunca ocorram erros no sistema, é aconselhável que se crie medidas para reduzir o número de não conformidades nos processos.

Para isso, oferecemos algumas orientações que podem ser úteis a qualquer organização que queira andar alinhada na ISO 9001.

  • Capacite os colaboradores: Treine cada um dos integrantes da equipe com informações relevantes sobre a não conformidade. A intenção é que eles entendam corretamente os conceitos de “não conformidade”, “ação corretiva”, “correção”, “ação preventiva”.
  • Promova mensurações: Crie indicadores mensuráveis para acompanhar as não conformidades. Por exemplo, relacione as não conformidades aos custos que elas geram dentro dos processos.
  • Alinhe esses indicadores as metas estratégicas da organização;

Criando cultura preventiva

É fundamental que todos saibam que exercem papel relevante para o cumprimento e correção das não conformidades. Para isso, é importante que o gestor defina ações para correção das não conformidades e que deste modo, todos estejam envolvidos e assumindo a responsabilidade de toda a organização e não apenas da área da qualidade.

Relevância do SGQ – sistema de gestão da qualidade – deve está bem enraizado na cultura Organizacional das empresas, criando a cultura de que o sistema de gestão é importante para todas as áreas, principalmente àquelas voltadas à área de Compliance.

Desse modo, a organização caminha em sintonia, na qual todos se sentem responsáveis pelas suas próprias ações e assim, é possível cumprir os requisitos e padronizações da norma ISO 9001.


Quer entender mais sobre o assunto? A Consultoria Online da Verde Ghaia possui profissionais experientes no assunto e que podem auxiliar sua empresa a identificar e tratar as não conformidades em sua gestão.

Fale conosco!



Outsourcing: saiba como Controlar melhor as Leis


 

Como manter controle de Leis e de Requisitos Legais? Você consegue hoje, gerenciar todos os seus departamentos, otimizando ao máximo suas funções e obtendo os melhores resultados possíveis? Vendas, atendimento, qualidade, finanças, TI (Tecnologia da Informação), jurídico, logística, produção, meio ambiente e muitos outros. Dependendo do tipo de segmento da sua empresa, poderão ser vários setores.

É possível gerenciar todos os departamentos da empresa?

Normalmente pensamos que sim. Mas, por mais que você se empenhe em fazer o melhor, às vezes isso não é suficiente! E você pode perder em produtividade e competitividade além de, claro, muito dinheiro.

Vamos explicar melhor. Por exemplo, o setor jurídico é extremamente importante para qualquer negócio. É um setor estratégico para a empresa. Então, imagine que você possui um negócio que precisa cumprir inúmeros requisitos legais. Você é ótimo em gerenciar processos e pessoas, porém não conhece tanto os procedimentos jurídicos e as leis que se atualizam constantemente. Você então está perdendo tempo demais tentando estar em conformidade com todas as leis, que poderia ser utilizado de forma mais produtiva em outra atividade.

Então fica a pergunta: por que não terceirizar essa área? Colocá-lo nas mãos de pessoas que realmente sejam especializadas na área? Por que você necessariamente precisa contar com todo um setor jurídico dentro da sua organização (e isso não é barato), se você pode contratar alguém ou uma empresa especialista no assunto e que faça o mesmo trabalho, podendo desenvolve-lo com muito mais qualidade?

Essa “terceirização” de uma área estratégica, chama-se outsourcing. Embora os serviços de outsourcing no Brasil ainda sejam novidade para muitas organizações, a contratação deles tem sido cada vez mais crescente. O modelo também é conhecido como “gestão de parceria” e tem trazido muitos benefícios para quem o contrata.

Como manter controle de Leis e de Requisitos Legais: Outsourcing

O outsourcing pode complementar uma gestão empresarial de diversas formas, seja através da identificação das áreas de abrangência das obrigações ou na indicação de documentos e evidências de atendimento em todas as obrigações aplicáveis ao negócio. Ele ainda é de grande ajuda para manter uma organização atualizada sobre as novas publicações legislativas, proporcionando um melhor controle dos processos e diminuindo os riscos e sanções legais devido à não conformidade.

Definindo de um modo simplista, o conceito de outsourcing nada mais é do que delegar serviços a terceiros. Ou seja, contratar especialistas na área que você tem menos know-how e que deseja potencializar o resultado destes setores. Agindo assim, você terá mais foco dos seus esforços, naquilo que realmente faz parte da sua área, tornando a empresa muito mais coerente como um todo.

No mercado, o outsourcing é um processo muito adotado por empresas que necessitam de um serviço, que não é especialidade do seu negócio, para desenvolver determinada área ou processo, principalmente no que diz respeito a questões jurídicas e cumprimento dos requisitos legais.

Mas não se engane: o outsourcing é muito mais do que a mera terceirização de serviços. Ele é um excelente recurso, por exemplo, para auxiliar a equipe de gestão de Meio ambiente e Saúde e segurança ocupacional, prestando consultoria jurídica de ponta e conferindo mais qualidade aos processos.

Controle e Leis e Outsourcing

Além disso, o outsourcing permite um controle dos planos de ações da empresa, mantendo-os atualizados de acordo com o planejamento proposto e ainda minimizando os riscos derivados do não atendimento às obrigações legais.

Através do outsourcing você ganha acesso a serviços de alto nível e implementa estratégias de crescimento, sem a necessidade de grandes investimentos, que dificilmente teria se não o terceirizasse.


Quer saber mais sobre Como manter controle de Leis e de Requisitos Legais? Fale conosco e entenda como é possível otimizar seu tempo!


Políticas para implantar Ações Antissuborno


 

Saber quais são as políticas para implantar ações antissuborno no Brasil é essencial para cumprir com requisitos sociais atuais. E, para isso, se mostra essencial compreender a importância do investimento em um Programa de Compliance.

Como dito, anteriormente, compliance significa “agir de acordo com as regras da organização e da sociedade”. Esse ideal ganha cada vez mais espaço e deve ser parte constante do vocabulário empresarial de quem busca crescer e se manter no mercado.

Isso acontece uma vez que, o mundo corporativo tem cedido cada vez mais às exigências da sociedade, visando a transparência e a ética, buscando por ferramentas e/ou metodologias que ofertem mais controle de seus gastos, bem como de seus impactos ambientais, da responsabilidade social e até controle mais rígido de ações anticorrupção e antissuborno.

Nesse cenário, o Compliance visa a responsabilidade das organizações ou da sociedade pelos atos lesivos cometidos por elas.

Compreenda mais sobre as políticas para implantar ações antissuborno

Para implantar as políticas em sua organização que visa práticas antissuborno, é preciso criar internamente, um programa de compliance e de integridade. Em geral, isso já faz uma grande diferença para que uma empresa seja vista como um exemplo de respeito às boas práticas. Porém, para se obter ainda mais vantagens e apostar na sustentabilidade empresarial é preciso de mais.

Confira benefícios que uma empresa pode garantir ao apostar em práticas de compliance e integridade ao implantar ações antissuborno no empreendimento.

Ganho de vantagem competitiva em relação à concorrência

Indubitavelmente a aplicação de políticas para implantar ações antissuborno através do compliance, faz com que as empresas obtenham vantagens competitivas. Conforme dito, o meio corporativo deve atender cada vez mais às exigências sociais, especialmente no que diz respeito às práticas que otimizem sua imagem e a qualidade de seus serviços – e não há diferencial maior do que esse.

Atração de investidores e investimentos

A auto identificação e a correção imediata, de violações sérias, representam uma evidência concreta do compromisso de uma instituição em tratar responsavelmente os riscos subjacentes. E isso, atrai investidores e investimentos para as empresa, demonstrando-se propícia para o desenvolvimento de ideias inovadoras.

As Ações corretivas apropriadas, por exemplo, incluindo a correção de deficiências programáticas e reparação integral de pessoas lesadas, limitam os danos ao consumidor e evitam que as violações se repitam no futuro. Isso assegura ainda mais a confiança nas empresas que buscam por abranger seus negócios e/ou visam novos investimentos.

Identificação de riscos e prevenção de problemas

A gestão de risco garante que as estratégias de investimento sejam consistentes com as expectativas dos clientes. Uma dessas expectativas é a implantação transparente de políticas para implantar ações antissuborno dentro das empresas. Em um nível mais alto, a equipe de compliance e integridade calcula as medidas de risco que irão descrever como as estratégias de investimento serão posicionadas, impedindo falhas na operação final. Em outras palavras, as políticas para implantar ações antissuborno atuam como supervisão de risco e ajudam a garantir que os clientes obtenham o serviço que estão procurando.

Ganho de credibilidade

Um programa de conformidade bem planejado, implementado e eficiente é uma boa prática comercial que previne ou reduz as violações regulatórias, ao mesmo tempo em que proporciona eficiência de custos. Isso oferece grande credibilidade para qualquer empresa. No entanto, um programa de conformidade não é estático. O programa de compliance deve ser dinâmico e constantemente corrigido para concentrar os recursos onde for mais necessário, com base nos riscos identificados.

Melhoria da eficiência e qualidade dos serviços/produtos

Além de ser um esforço planejado e organizado para orientar as atividades de conformidade da organização, as políticas para implantar ações antissuborno devem ser documentadas, sendo estas fonte essencial para ajudar a servir, como uma ferramenta de treinamento e referência, a todos os funcionários.

Independentemente do grau de formalidade, espera-se que todas as organizações gerenciem proativamente seus programas de compliance, garantindo, portanto, a conformidade e a melhoria contínua. Assim, a qualidade dos serviços e/ou produtos é constantemente equilibrada e otimizada, exigindo um compromisso contínuo de todos da equipe.

Aumento da governança

A educação do conselho de diretores, da gerência e da equipe de uma organização é essencial para manter um programa de compliance eficaz.

A Alta Direção, bem como a Equipe de Governança e Compliance devem receber treinamentos específicos e abrangentes como as leis, regulamentos, políticas e procedimentos internos que afetam diretamente seus trabalhos e os processos internos e externos da organização. Isso pode ser feito através do estudo presencial ou EAD para depois, ser repassado à equipe de políticas para adoção de práticas antissuborno

Consolidação de uma cultura organizacional

Para que as organizações possam ter um Programa de Compliance adequado, é preciso que as suas políticas e procedimentos garantam que as atividades estejam alinhadas às melhores práticas, conforme os requisitos internos, influenciando assim, a cultura organizacional. Por exemplo, um Programa de Compliance pode se interligar ao Recursos Humanos para desenvolver e implementar módulos de treinamento sobre práticas relacionadas à ela, como pré-compensação de negócios, atividades comerciais externas e entretenimento do cliente.

Dando um passo à frente, essas equipes também colaboram para conscientizar os gerentes sobre a adesão dos funcionários às políticas de compliance no que se refere às avaliações de desempenho.

Sustentabilidade

Políticas devem ser estabelecidas para incluir metas e objetivos, bem como procedimentos apropriados para atender a essas metas e objetivos. Isso faz com que a gestão de uma empresa se torne mais sustentável, garantindo a dinamicidade os projetos. Contudo, o grau de detalhamento ou especificidade dos procedimentos pode variar de acordo com a complexidade da questão ou das transações abordadas.

As políticas e procedimentos de uma instituição devem, portanto, fornecer a todos da organização, informações necessárias para realização das tarefas diárias, sempre visando a otimização dos processos.

Correção efetiva de não-conformidades

Fora dessas funções estratégicas mais amplas, o Compliance também realiza avaliações contínuas de riscos, de modo que seja possível investir dinheiro e tempo em empreendimentos mais assertivos ao negócio. Desse modo, ao se implementar ações do Programa de Compliance, a organização será capaz de identificar não conformidades que possam comprometer o negócio e a partir de então, criar ações para monitoramento dessas atividades diariamente ou mesmo, propor ações para o tratamento.

O Programa de Compliance ajuda na execução de parâmetros dos empreendimentos, contribuindo para o sucesso do negócio.

Compreendendo como políticas para implantar ações antissuborno na organização podem otimizar sua empresa, não deixe de apostar em bons programas de Compliance, para isso!


Qual o passo a passo para me certificar na Norma ISO 14001?


 

A ISO 14001 uma Norma Internacional que define os parâmetros para se implementar um sistema de gestão ambiental eficaz. Ela é projetada para ajudar as empresas a adotarem responsabilidades ambientais em seus processos internos, ao mesmo tempo  possibilitando o crescimento da organização por meio da redução do impacto ambiental.

Assim como a ISO 9001, a ISO 14001 também é baseada no ciclo PDCA (plan-do-check-act/planejar-fazer-checar-agir), ferramenta de gestão que visa promover a melhoria contínua dos processos, principalmente porque se volta para a causa do problema, e não para suas consequências (e quando falamos em gestão ambiental, prevenção é a palavra-chave).

ISO 14001: objetivos bem claros

  • Proteger o meio ambiente por meio da prevenção ou mitigação dos impactos ambientais adversos;
  • Mitigar os potenciais efeitos adversos das condições ambientais na organização;
  • Auxiliar a organização no atendimento aos requisitos legais e outros requisitos;
  • Controlar ou influenciar o modo comoe os produtos e serviços da organização são projetados, fabricados, distribuídos, consumidos e descartados, utilizando uma perspectiva de ciclo de vida para prevenir o deslocamento involuntário dos impactos ambientais;
  • Alcançar benefícios financeiros e operacionais que resultem na implementação de alternativas ambientais que reforcem a posição da organização no mercado;

Norma ISO 14001 e suas atualizações

Assim como toda Norma, ao longo dos anos a ISO 14001 passou por uma série de revisões periódicas a fim de incorporar as atualizações do mercado. Até os dias atuais, a norma ISO 14001 teve três versões publicadas. São elas:

1996 – primeira versão cujo  objetivo foi definir critérios para implantação do Sistema de Gestão Ambiental e o gerenciamento dos impactos ambientais das atividades das organizações;

2004 – revisão e atualização de conceitos e definições. O grande destaque dessa versão é a inclusão do conceito de desempenho ambiental.

2015 – tem como destaques o alinhamento da Gestão Ambiental à estratégia da empresa, a gestão de riscos e a busca pela maior compatibilidade com as demais normas ISO.

A ISO 14001: em busca da certificação

Se você não faz ideia de como implementar um sistema de gestão ambiental na sua empresa, eis alguns passos que vão auxiliar no processo:

Comprometimento e apoio da alta direção: certamente a gestão ambiental deve contar com o envolvimento de toda empresa, e o exemplo deve partir daqueles que ocupam cargos mais altos. O princípio fundamental é a conscientização. Para isto, abuse de treinamentos e da comunicação contínua com todos. O processo deve envolver todos os aspectos, desde questões complexas da produção até medidas simples no dia a dia, tais como o incentivo à economia de água na hora de lavar as mãos ou a adoção de canecas de vidro individuais para cada funcionado com o intuito de eliminar o uso de copos plásticos.

Roteiro baseado no ciclo PDCA: seguindo as premissas do ciclo PDCA, a empresa deve realizar o planejamento dos objetivos e processos necessários de acordo com a política ambiental vigente, colocá-los em prática, monitorá-los para verificar se estão em acordo com os objetivos e metas, e a partir daí promover ações de melhoria contínua.

Comunicação e divulgação: faça a divulgação externa da ISO 14001. Mostrar à sociedade que você investe em sustentabilidade é incentivar outras empresas a fazerem o mesmo, além de proporcionar credibilidade ao trabalho e melhorar a imagem externa de sua organização.

Monitore os resquisitos: quanto mais você conhecer os aspectos e impactos ambientais que envolvam sua organização, mais fácil será o processo de identificação da legislação e dos requisitos aplicados às suas necessidades.

Busque orientação especializada: quando comparada às outras normas, a implantação da ISO 14001 é geralmente mais complexa e exige mais tempo de adequação. Sendo assim, iniciar o procedimento sem profissionais especializados pode ser arriscado. Contrate consultoria especializada.

Usufrua da tecnologia: é praticamente impossível implementar uma Norma ISO sem organizar e padronizar processos; para isto, tire pleno proveito da tecnologia.

Hoje, já temos vários softwares de gestão que auxiliam desde a organização das tarefas ao monitoramento legal da atividade do negócio. No Sistema de Gestão Ambiental, o monitoramento legal de sua atividade é imprescindível, visto que existem uma série de leis ambientais que precisam ser cumpridas para que a empresa conquiste o selo ISO.

Auditorias internas e externas. Toda organização que pretende conquistar um selo ISO precisará passar por uma auditoria, cuja função será exatamente constatar que todos os requisitos necessários para conquistar a certificação estão sendo cumpridos. Quando todos os seus processos estiverem padronizados e funcionais, você deve realizar uma auditoria interna, a qual servirá como uma grande revisão e preparo antes da auditoria externa, aquela que concederá o selo ISO à empresa.

Sabemos como grandes tragédias ambientais podem prejudicar o planeta de forma irremediável, por isso, buscar a sustentabilidade tornou-se essencial a todas as empresas. Uma organização que não se preocupa com o meio ambiente simplesmente não é digna de confiança.

Certificação Norma ISO 14001

A certificação ISO 14001 garante à empresa mais visibilidade no mercado e fortalece sua credibilidade diante de clientes e fornecedores. Além disso, a conquista do selo ISO 14001 também facilita a possibilidade de exportação de produtos e serviços, abre portas para investimentos e financiamentos e evita o recebimento de multas ambientais.

Mas o mais importante ao adotar um Sistema de Gestão Ambiental (e consequentemente conquistar o selo 14001) é adquirir consciência de que não podemos explorar a natureza contínua e indiscriminadamente. Uma empresa que se preocupa com o meio ambiente contribui diretamente para a manutenção da saúde do planeta e da humanidade.


Verde Ghaia: 06 segredos sobre o nosso crescimento


 

Deivison Pedroza, Fundador e CEO do Grupo Verde Ghaia diz que “a forma que uma empresa valoriza a sua gestão, diz muito sobre ela. Se ficar estagnada no tempo, sem mudanças, assim também será a organização.”

O CEO do Grupo está certo sobre isso, visto que, se a evolução da gestão é um dos pilares do negócio, com certeza a companhia se consolidará no mercado por décadas, e será exemplo a ser seguido até pelos seus concorrentes. Por isso, que a Verde Ghaia é uma destas empresas, cuja evolução da gestão tem sido surpreendente nesses 20 anos de mercado.

Mas o que faz a Verde Ghaia alcançar tanto sucesso?

A VG investe muito na Gestão Empresarial. E é exatamente isso, que o CEO Deivison Pedroza tem escutado nos eventos e premiações dos quais participa, uma vez que, mesmo após 20 anos, a Verde Ghaia ainda se mantém consolidada no mercado, reinventando, recriando, inovando e buscando fazer diferente, sempre.

Sabe-se que são poucas as empresas que estão dispostas a contar suas estratégias. Mas a Verde Ghaia não pensa assim!

Por isso, agora você vai conhecer 6 segredos da evolução da gestão da empresa que fizeram ela chegar onde está hoje, tornando-se líder no mercado!

Está preparado? Então vamos lá!

1° segredo

Não é à toa que a Verde Ghaia é uma empresa de sucesso. Desde o seu surgimento, em 1999, ela cumpre com maestria o objetivo a que se propôs: melhorar processos de gestão ambiental, oferecendo o 1° sistema online de monitoramento de requisitos legais no Brasil.

Um dos grandes diferenciais da Verde Ghaia, e que a torna referência no mercado, é o SOGI. O SOGI é seu software online de gestão integrada, legal e estratégica que permite processos mais ágeis de monitoramento e gestão, sendo um software completo de Gestão e Desempenho em Sustentabilidade. É totalmente alinhado às normas internacionais de certificação ISO, tendo sido desenvolvido através de uma metodologia própria.

Hoje, já está em sua 8ª geração.

Hoje, 20 anos depois, está consolidada no mercado como especialista na assessoria e no monitoramento de conformidade legal na área de Meio Ambiente, e também de Saúde e Segurança do Trabalho, Responsabilidade Social, Qualidade, Segurança de Alimentos, Sustentabilidade, Energia, Cadeias Logísticas e Mudanças Climáticas.

A empresa conta atualmente com 140 colaboradores, uma base de 3200 clientes e mais de 36000 usuários de seus softwares de gestão no Brasil, na América Latina e na África, diz Deivison Pedroza.

E não para por aí. O SOGI continua sendo atualizado constantemente para trazer o que há de mais moderno no mundo em sistemas de gestão e também para conter todas as leis existentes e atualizadas. Só para ter uma ideia, em 2019, já são 113.476 leis e 512 revogações presentes em seu banco de dados – um aumento de 106.161 leis em vinte anos.

Nada fica de fora de SOGI, e os clientes da Verde Ghaia sabem da importância disso, para manterem seus certificados de norma ISO ou terem a certeza de que estão de acordo com todas as leis aplicadas às suas atividades, cada vez mais complexas e com fiscalizações mais rígidas.

Essa preocupação por parte da Verde Ghaia permite que toda empresa, independente do porte e da sua atividade, possa ser atendida pelo SOGI e ter a certeza de que todos os requisitos serão cumpridos. Se a tecnologia e as leis evoluem, o SOGI também evolui. Esse é um dos segredos da evolução da gestão da empresa.

2° segredo

A Verde Ghaia é vista como líder no mercado, pois possui visão inovadora e está sempre voltada às preocupações socio-ambientais.

Há 20 anos atrás, quando Deivison Pedroza decidiu fundar a Verde Ghaia, a palavra meio ambiente e sustentabilidade passavam longe do mundo dos negócios. Como ele mesmo afirma:

“Na teoria, empresas diziam que era importante preservar a natureza. Na prática, descartavam seus resíduos de maneira negligente, havendo muita dificuldade para compreenderem e cumprirem a legislação brasileira. Além disso, o monitoramento da legislação era feito de maneira muito limitada, o que restringia sua eficiência.”

Possuindo uma visão totalmente inovadora, Deivison percebeu ali um nicho de mercado, e fez com que o surgimento e a evolução da gestão da Verde Ghaia acompanhassem a própria evolução da sustentabilidade.

O que para uns parecia muito arriscado, para Deivison era uma certeza. E nos últimos anos é visível o aumento do interesse dos empresários pela padronização e certificação nas áreas de qualidade e meio ambiente. Estão começando a perceber o que o CEO da Verde Ghaia já tinha certeza há 20 anos atrás: o meio ambiente é o principal produto de uma empresa. “É possível economizar, ganhar dinheiro, divulgar sua imagem e ainda tirar vantagem disso”.

3° segredo

O investimento em planejamento estratégico é um dos pilares da evolução da gestão empresarial. Avaliar os pontos fracos e pontos fortes da empresa é fundamental para aprender com os erros e investir nos acertos.

Analisando o ambiente interno e externo da Verde Ghaia foi possível traçar estratégias para que a empresa se mantivesse em constante evolução (o que se perpetua até hoje). Isso dá à empresa a oportunidade de sempre melhorar. Todo o pensamento estratégico é baseado em todo o conhecimento adquirido nos últimos 20 anos de serviços somados às novas tecnologias e inovações que aparecem ao longo do tempo.

4° segredo

Apesar de tantas novidades disponíveis no mercado, não são todas as empresas que abrem o seu portfólio para novas possibilidades. A Verde Ghaia age de forma totalmente contrária a esse pensamento. Para a empresa, o uso de tecnologias inovadoras é um dos pilares mais importantes. Por isso, não existe medo em buscar sempre o melhor. Deivison explica:

“Nossa missão é estar sempre à frente dos concorrentes e preparados para as novas tendências, investindo muito em tecnologia, pois queremos que nossos clientes obtenham sucesso em seus resultados e tenham a nossa ajuda para fazer o operacional de forma diferente, ganhando tempo para o que realmente importa”.

Isso não só ajuda a evolução da gestão da empresa, mas se atém ao acesso dos clientes às informações, garantindo que eles obtenham o que procuravam na Verde Ghaia, isto é, estarem de acordo com todos os requisitos aplicáveis aos seus negócios. Dessa forma, o uso de tecnologias inovadoras, como o SOGI, possibilita o sucesso não só da empresa Verde Ghaia, mas principalmente dos seus clientes.

E saber fazer uso disso é outro segredo da Verde Ghaia. Apostar em novas tecnologias e metodologias para estar à frente do seu tempo e oferecer serviços surpreendentes.

5° segredo

É impossível falar de evolução da gestão sem citar os parâmetros de qualidade. E não é só a qualidade do produto ou serviço final, mas também de todos os processos existentes na empresa.

Uma organização que não possui uma boa gestão de qualidade ou que não faz da busca pela melhoria contínua a cultura da empresa, dificilmente irá se consolidar no mercado. A Verde Ghaia, sabendo disso, desde sempre teve como um de seus objetivos oferecer serviços e informações com o mais alto padrão de qualidade.

Seus inúmeros prêmios recebidos ao longo de seus 20 anos comprovam isso. Por exemplo, em 2018 a empresa ganhou pelo segundo ano consecutivo o Guia Exame de Sustentabilidade, considerado o maior levantamento de práticas de responsabilidade corporativa do Brasil, selecionando e premiando as chamadas “empresas-modelo”.  A Verde Ghaia destacou-se entre gigantes, e levou o prêmio de empresa mais sustentável do Brasil, no setor de consultoria, gestão e TI. Ganhar esse prêmio só foi possível porque a qualidade sempre imperou em todas as suas ações.

6° segredo

A evolução da gestão de uma empresa está diretamente relacionada ao seu compromisso para com o meio ambiente, a sociedade e o poder público.  Isso se dá através do cumprimento de todas as normas, requisitos, regulamentos e leis aplicáveis à atividade desempenhada pela organização. Em outra palavras, é preciso que a empresa esteja em compliance, visto que todas as organizações éticas, comprometidas e íntegras estão buscando incorporá-lo em todas as suas estratégias. E com a Verde Ghaia não é diferente.

O Grupo Verde Ghaia vive e respira o compliance a todo o tempo. Não somente dentro da organização, mas especialmente, incentivando que outras empresas também possam estar de acordo com toda a legislação aplicável a seu negócio.

Esta é uma preocupação tão séria para a Verde Ghaia que foram criadas duas estratégias em relação ao compliance, além do que já é feito dentro da própria empresa:

  • Prêmio Compliance Brasil: já está em sua quarta edição, e seu objetivo é reconhecer as boas práticas e o controle legal adotados pelas organizações em todo o Brasil, sendo um incentivo para que as empresas brasileiras acolham práticas sustentáveis em seus processos. Grandes nomes do mercado já foram reconhecidos e premiados, e isso vem incentivando que cada vez mais organizações busquem também estar em compliance;
  • Pacto pela Integridade e Compliance pela Sustentabilidade (PICS): esse pacto foi idealizado por Deivison, e tem como objetivo criar um compromisso voluntário para a promoção da ética e do crescimento sustentável, por meio de lideranças corporativas inovadoras e comprometidas com a integridade. Além de muitas empresas que já assinaram o PICS, ele também foi apresentado pessoalmente para o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e para várias outras autoridades públicas, que o apoiaram. Para saber mais sobre o PICS e como também aderir a esse compromisso, é só clicar aqui.

Verde Ghaia acredita que “Juntos Somos Mais”

Sem dúvida o compliance é um dos grandes segredos da Verde Ghaia. Soma-se a isso o SOGI, o planejamento estratégico, a busca constante pela gestão da qualidade e do uso das tecnologias mais modernas que existem e ainda tendo um líder com uma visão inovadora e preocupado com a sustentabilidade, que busca oferecer o melhor para seus clientes através de uma equipe capacitada.

Com tudo isso, o resultado só pode ser um: o sucesso surpreendente da evolução da gestão da Verde Ghaia.

Mas ainda tem muitos outros segredos. Quer saber quais são? Então acesse nosso site. Lá, você vai encontrar muito mais informações e conhecer mais estratégias usadas pela Verde Ghaia, que podem inclusive, ajudar você a fazer também a evolução da sua gestão de forma surpreendente.


Case de Sucesso da Uberlândia Refrescos (coca cola) em Gestão Integrada


 

Uberlândia Refrescos é fruto do sonho de um empresário visionário chamado Maurílio Biagi, um imigrante italiano que instalou, em 1976, o depósito da franqueada Coca-Cola, Refrescos Ipiranga, em Uberlândia / MG. Seu capital é 100% nacional.

Conheça a História da Uberlândia Refrescos

Fazem parte da empresa uma fábrica engarrafadora e um centro logístico em Uberlândia, escritórios em Araguari, Frutal, Monte Carmelo, Patrocínio e São Gotardo; unidades em Araxá, Ituiutaba, Patos de Minas e Uberaba; distribuidores autorizados em Iturama, João Pinheiro e Paracatu; fabricando produtos da marca Coca-Cola e distribuindo produtos da Leão, Heineken e Verde Campo pelas regiões do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas.

A Uberlândia Refrescos atende direta e indiretamente mais de 2,5 milhões de consumidores e 24 mil clientes, emprega diretamente aproximadamente 1.300 colaboradores e é reconhecida no mercado por sua transparência e ética nos negócios.

Conheça o Case de Sucesso em Sistema de Gestão Integrada

Todo o trabalho desenvolvido na Uberlândia Refrescos é pautado nos valores: compromisso, paixão, respeito, profissionalismo, transparência, segurança e integridade. Por isso, a busca pelo compliance e a excelência em gestão é seu compromisso.

Por meio desses valores, a empresa segue os mais rigorosos padrões de qualidade, segurança e integridade na fabricação de suas bebidas. Suas linhas de produção possuem uma série de procedimentos de inspeção, com equipamentos eletrônicos que asseguram a qualidade das bebidas produzidas e seus processos são auditados regularmente por órgãos reguladores internacionais para comprovação e manutenção desta qualidade.

Seu comprometimento, compromisso e excelência em desempenho fazem da Uberlândia Refrescos ser reconhecida em todo o Brasil, através dos vários prêmios recebidos em seus mais de 40 anos de atuação, como por exemplo:

  • Prêmio Indústria Sustentável pela FIEMG,
  • Prêmio Qualidade Coca-Cola,
  • Prêmio Quality Brasil,
  • Melhores Empresas para Trabalhar, pelo Great Place To Work;
  • Prêmio Compliance Brasil, do Grupo Verde Ghaia,
  • Prêmio Mineiro da Qualidade (PMQ).

Possui também os selos Solar (Instituto Ideal), Empresa Amiga da Criança (Fundação Abrinq), Empresa Cidadã (CDL Uberlândia) e Empresa Solidária (FIA Patos de Minas) e a certificação LEED Platinum, que reconhece construções baseadas em obras sustentáveis.

Excelência em Sistema de gestão integrada

A Uberlândia Refrescos se destaca por ter uma gestão preocupada e atuante com a Qualidade, Meio Ambiente, Segurança de Alimentos e Segurança e Saúde Ocupacional. Por isso, é certificada nas normas internacionais: ISO 9001 (Qualidade), ISO 14001 (Meio ambiente), OHSAS 18001 (Segurança e Saúde Ocupacional) e FSSC 22000 (Segurança de Alimentos).

A gestão de qualidade foi implantada em 1999. Em 2006, conquistou a certificação na Evolução 3 e certificou-se na norma internacional ISO 9001(Qualidade).

Desde 2008, implanta em seus processos de trabalho a gestão de segurança de alimentos, que usa ferramentas para controlar os perigos e pontos críticos na fabricação do refrigerante, considerando todo o processo de produção. Em 2010, a Uberlândia Refrescos se certificou na norma ISO 22000 e PAS 220 e, em 2013, a atualização da norma levou a mais uma certificação, ainda mais abrangente: a FSSC 22000.

A Uberlândia Refrescos trabalha com o Sistema de Gestão Integrada – SGI – que é a combinação de processos, procedimentos e práticas para atingir seus objetivos de forma mais eficiente no que tange à gestão da qualidade, meio ambiente e segurança e saúde ocupacional da empresa.

Políticas para o Sucesso de um Sistema de Gestão Integrada

1 – Respeitar os interesses da comunidade, funcionários, fornecedores, clientes, acionistas e governo mantendo um fluxo de comunicação interativa com os mesmos;

2 – Satisfazer nossos clientes e consumidores oferecendo-lhes produtos e serviços com qualidade;

3 – Ser uma empresa socialmente responsável;

4 – Cumprir todos os requisitos do Sistema de Gestão Integrada da Coca-Cola, as legislações e outros requisitos aplicáveis ao nosso negócio;

5 – Monitorar o produto no mercado e gerenciar incidentes;

6 – Preservar a saúde e integridade dos colaboradores diretos e indiretos, prevenindo e/ou minimizando incidentes do trabalho, doenças ocupacionais e perigos, como exposição ao ruído e aspectos ergonômicos, além de comprometer-se com a segurança pública;

7 – Minimizar os riscos e evitar incidentes com veículos que possam ameaçar ou colocar em perigo colaboradores e outros;

8 – Melhorar continuamente nossos processos da qualidade, da segurança de alimentos, do meio ambiente e de segurança e prevenção de perdas;

9 – Prevenir, minimizar e disseminar os impactos ambientais em nossas operações, protegendo o meio ambiente através da gestão de resíduos sólidos, efluentes, do controle de emissões atmosféricas e contribuindo para preservação dos recursos naturais: água e energia.

Implementação do SGI da Uberlândia Refrescos

Na Uberlândia Refrescos o SGI é formado por uma equipe multidisciplinar, composta por membros da alta direção e coordenadores da segurança, qualidade, meio ambiente, recursos humanos e planejamento estratégico e representantes de áreas, de forma a garantir o correto entendimento e a integralização dos processos.

Para o sucesso de seu sistema de gestão integrada é utilizado o software SOGI, da Verde Ghaia, para gestão das leis e regulamentos relacionados ao negócio. Assim, assegura o atendimento dos requisitos legais e outros critérios aplicáveis ao meio ambiente, segurança de alimentos, qualidade, segurança e saúde ocupacional, além de outras legislações aplicadas ao negócio da empresa.

A Uberlândia Refrescos possui ainda um processo de comunicação interna com as áreas envolvidas no atendimento às legislações e conta também com o suporte oferecido pela Verde Ghaia, gestora do software, no que se refere a esclarecimentos sobre as atualizações das normas.

Além disso, anualmente é contratada auditoria externa para verificação e validação da aplicação dos requisitos do negócio com apoio da Verde Ghaia.


Case de Sucesso da DP World: Planejamento da Cadeia logística


 

A DP World é uma das principais facilitadoras do comércio global e parte integral da cadeia de fornecimento.

O portfólio do grupo conta com 78 terminais marítimos e terrestres operando, apoiados por mais de 50 negócios relacionados em 40 países, sendo uma presença significativa tanto em mercados solidificados quanto em crescimento. Possui mais de 36.500 colaboradores que objetivam, em todas as suas ações, agregar valor e prover serviços de qualidade.

História da DP World

No Brasil, a DP World Santos é um dos maiores e mais modernos complexos portuários da América Latina. Ela está localizada na Ilha Barnabé, na margem esquerda do Porto de Santos, em uma área estratégica com acesso por via marítima, rodoviária e ferroviária.

O empreendimento conta com 653 metros de cais, 207 mil m² de pátio e capacidade de movimentação anual de 1,2 milhão de TEUs (unidade equivalente a um container de 20 pés). Proporciona mais de 800 empregos diretos e 1.500 indiretos.

Além de equipamentos modernos, tecnologia de ponta e alta produtividade, a empresa tem focado em buscar soluções complementares e integradas para ampliar o seu portfólio e agregar soluções aos clientes.

Valores importantes para a DP World Santos

A DP World Santos segue os mesmos valores da DP World: gerar crescimento; entregar resultados; adaptar e evoluir; e ajudar o outro a crescer.

Por ter esses valores, a DP World Santos, mesmo tendo iniciado suas operações em julho de 2013, já conquistou importantes prêmios relacionados ao atendimento aos clientes, Gestão de Pessoas, Ética e Relacionamento: a DP World Santos foi eleita duas vezes pelo Valor Carreira como uma das Melhores Empresas em Gestão de Pessoas e pela Você S/A como uma das Melhores Empresas para Trabalhar.

Em 2016, a DP World Santos foi apontada como o terminal portuário com melhor índice de produtividade, segundo relatório “Desempenho do Setor Aquaviário 2016”, divulgado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq): sua produtividade média foi de 88,8 movimentos por hora de operação.

Certificações da DP World Santos

  • OEA (Operador Econômico Autorizado), conquistado em 2017 na Modalidade Segurança, sendo o primeiro no Porto de Santos. Com a certificação, a empresa passou a ser o terceiro terminal portuário do Brasil a atender as exigências do Programa Mundial do Comitê da Organização Mundial das Aduanas (OMA).
  • ISPS Code (Código Internacional para a Proteção de Navios e Instalações Portuárias). A certificação foi emitida em 2013 pela Conportos (Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis).
  • ISO 28000 – Gestão da segurança da cadeia de valor. É uma certificação inédita no Brasil
  • ISO 9001 – Gestão de qualidade
  • ISO 14001 – Gestão Ambiental
  • ISO 45001 – Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional

Além de todas estas certificações, a DP World Santos possui todas as outras certidões, licenças e permissões necessárias para seu funcionamento.

Planejamento da Cadeia logística

Para atingir seu compromisso, a DP World Santos possui infraestrutura de ponta e modernos sistemas de gestão adquiridos, como o Software Online de Gestão Integrada – SOGI da Verde Ghaia, para oferecer soluções integradas de logística portuária aos clientes.

Para o planejamento da cadeia logística, a DP World Santos utiliza também o sistema de planejamento logístico NAVIS, um dos mais modernos do mundo por integrar softwares específicos para fazer as reservas no pátio e o planejamento logístico dos contêineres nos navios, agrupando-os por ordem de descarga nos portos.

Além disso, o sistema possibilita o gerenciamento da carga desde a reserva da vaga pela transportadora até o reconhecimento e orientação do motorista ao entrar no terminal e estacionar o caminhão, indo até o embarque da carga no navio.

O complexo conta ainda com Gates que garantem a agilidade e automatização de todo o processo, além da identificação dos motoristas por sistema de biometria e BDCC (sistema de identificação para recintos alfandegados).

O controle dos veículos e cargas que entram e saem por via terrestre é feito por Optical Character Recognition (OCR), que confere a placa do caminhão, o número do contêiner e as informações do motorista, o que permite o acesso automático, desde que aquele veículo esteja devidamente agendado para o horário.

Compliance Sustentável

E a sustentabilidade também é muito importante para DP World Santos. Já são mais de 30 projetos voltados à fauna e flora da região, com destaque para o salvamento de mais de 35 mil plantas e sementes, o reaproveitamento da biomassa e resíduos vegetais e monitoramento de restingas e manguezais.

A excelência do sistema de gestão em cadeia logística da DP World Santos somente é possível devido ao compromisso que a empresa assume em estar em compliance, em assegurar que seus serviços mantenham um padrão de qualidade reconhecido no mercado.

Desse modo, a DP World visa fornecer um ambiente de trabalho com condições de segurança e saúde para todos os seus colaboradores, em proteger o meio ambiente e prevenir a poluição e pelo envolvimento exigido de todos os integrantes, parceiros, subcontratados e partes interessadas diretamente empregados ou associados à DP World Santos em participarem ativamente e se empenharem para alcançar seus objetivos.


Blog VG