Arquivos Blog | Grupo Verde Ghaia
×

Case de Sucesso da Uberlândia Refrescos (coca cola) em Gestão Integrada


 

Uberlândia Refrescos é fruto do sonho de um empresário visionário chamado Maurílio Biagi, um imigrante italiano que instalou, em 1976, o depósito da franqueada Coca-Cola, Refrescos Ipiranga, em Uberlândia / MG. Seu capital é 100% nacional.

Conheça a História da Uberlândia Refrescos

Fazem parte da empresa uma fábrica engarrafadora e um centro logístico em Uberlândia, escritórios em Araguari, Frutal, Monte Carmelo, Patrocínio e São Gotardo; unidades em Araxá, Ituiutaba, Patos de Minas e Uberaba; distribuidores autorizados em Iturama, João Pinheiro e Paracatu; fabricando produtos da marca Coca-Cola e distribuindo produtos da Leão, Heineken e Verde Campo pelas regiões do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas.

A Uberlândia Refrescos atende direta e indiretamente mais de 2,5 milhões de consumidores e 24 mil clientes, emprega diretamente aproximadamente 1.300 colaboradores e é reconhecida no mercado por sua transparência e ética nos negócios.

Conheça o Case de Sucesso em Sistema de Gestão Integrada

Todo o trabalho desenvolvido na Uberlândia Refrescos é pautado nos valores: compromisso, paixão, respeito, profissionalismo, transparência, segurança e integridade. Por isso, a busca pelo compliance e a excelência em gestão é seu compromisso.

Por meio desses valores, a empresa segue os mais rigorosos padrões de qualidade, segurança e integridade na fabricação de suas bebidas. Suas linhas de produção possuem uma série de procedimentos de inspeção, com equipamentos eletrônicos que asseguram a qualidade das bebidas produzidas e seus processos são auditados regularmente por órgãos reguladores internacionais para comprovação e manutenção desta qualidade.

Seu comprometimento, compromisso e excelência em desempenho fazem da Uberlândia Refrescos ser reconhecida em todo o Brasil, através dos vários prêmios recebidos em seus mais de 40 anos de atuação, como por exemplo:

  • Prêmio Indústria Sustentável pela FIEMG,
  • Prêmio Qualidade Coca-Cola,
  • Prêmio Quality Brasil,
  • Melhores Empresas para Trabalhar, pelo Great Place To Work;
  • Prêmio Compliance Brasil, do Grupo Verde Ghaia,
  • Prêmio Mineiro da Qualidade (PMQ).

Possui também os selos Solar (Instituto Ideal), Empresa Amiga da Criança (Fundação Abrinq), Empresa Cidadã (CDL Uberlândia) e Empresa Solidária (FIA Patos de Minas) e a certificação LEED Platinum, que reconhece construções baseadas em obras sustentáveis.

Excelência em Sistema de gestão integrada

A Uberlândia Refrescos se destaca por ter uma gestão preocupada e atuante com a Qualidade, Meio Ambiente, Segurança de Alimentos e Segurança e Saúde Ocupacional. Por isso, é certificada nas normas internacionais: ISO 9001 (Qualidade), ISO 14001 (Meio ambiente), OHSAS 18001 (Segurança e Saúde Ocupacional) e FSSC 22000 (Segurança de Alimentos).

A gestão de qualidade foi implantada em 1999. Em 2006, conquistou a certificação na Evolução 3 e certificou-se na norma internacional ISO 9001(Qualidade).

Desde 2008, implanta em seus processos de trabalho a gestão de segurança de alimentos, que usa ferramentas para controlar os perigos e pontos críticos na fabricação do refrigerante, considerando todo o processo de produção. Em 2010, a Uberlândia Refrescos se certificou na norma ISO 22000 e PAS 220 e, em 2013, a atualização da norma levou a mais uma certificação, ainda mais abrangente: a FSSC 22000.

A Uberlândia Refrescos trabalha com o Sistema de Gestão Integrada – SGI – que é a combinação de processos, procedimentos e práticas para atingir seus objetivos de forma mais eficiente no que tange à gestão da qualidade, meio ambiente e segurança e saúde ocupacional da empresa.

Políticas para o Sucesso de um Sistema de Gestão Integrada

1 – Respeitar os interesses da comunidade, funcionários, fornecedores, clientes, acionistas e governo mantendo um fluxo de comunicação interativa com os mesmos;

2 – Satisfazer nossos clientes e consumidores oferecendo-lhes produtos e serviços com qualidade;

3 – Ser uma empresa socialmente responsável;

4 – Cumprir todos os requisitos do Sistema de Gestão Integrada da Coca-Cola, as legislações e outros requisitos aplicáveis ao nosso negócio;

5 – Monitorar o produto no mercado e gerenciar incidentes;

6 – Preservar a saúde e integridade dos colaboradores diretos e indiretos, prevenindo e/ou minimizando incidentes do trabalho, doenças ocupacionais e perigos, como exposição ao ruído e aspectos ergonômicos, além de comprometer-se com a segurança pública;

7 – Minimizar os riscos e evitar incidentes com veículos que possam ameaçar ou colocar em perigo colaboradores e outros;

8 – Melhorar continuamente nossos processos da qualidade, da segurança de alimentos, do meio ambiente e de segurança e prevenção de perdas;

9 – Prevenir, minimizar e disseminar os impactos ambientais em nossas operações, protegendo o meio ambiente através da gestão de resíduos sólidos, efluentes, do controle de emissões atmosféricas e contribuindo para preservação dos recursos naturais: água e energia.

Implementação do SGI da Uberlândia Refrescos

Na Uberlândia Refrescos o SGI é formado por uma equipe multidisciplinar, composta por membros da alta direção e coordenadores da segurança, qualidade, meio ambiente, recursos humanos e planejamento estratégico e representantes de áreas, de forma a garantir o correto entendimento e a integralização dos processos.

Para o sucesso de seu sistema de gestão integrada é utilizado o software SOGI, da Verde Ghaia, para gestão das leis e regulamentos relacionados ao negócio. Assim, assegura o atendimento dos requisitos legais e outros critérios aplicáveis ao meio ambiente, segurança de alimentos, qualidade, segurança e saúde ocupacional, além de outras legislações aplicadas ao negócio da empresa.

A Uberlândia Refrescos possui ainda um processo de comunicação interna com as áreas envolvidas no atendimento às legislações e conta também com o suporte oferecido pela Verde Ghaia, gestora do software, no que se refere a esclarecimentos sobre as atualizações das normas.

Além disso, anualmente é contratada auditoria externa para verificação e validação da aplicação dos requisitos do negócio com apoio da Verde Ghaia.


Case de Sucesso da DP World: Planejamento da Cadeia logística


 

A DP World é uma das principais facilitadoras do comércio global e parte integral da cadeia de fornecimento.

O portfólio do grupo conta com 78 terminais marítimos e terrestres operando, apoiados por mais de 50 negócios relacionados em 40 países, sendo uma presença significativa tanto em mercados solidificados quanto em crescimento. Possui mais de 36.500 colaboradores que objetivam, em todas as suas ações, agregar valor e prover serviços de qualidade.

História da DP World

No Brasil, a DP World Santos é um dos maiores e mais modernos complexos portuários da América Latina. Ela está localizada na Ilha Barnabé, na margem esquerda do Porto de Santos, em uma área estratégica com acesso por via marítima, rodoviária e ferroviária.

O empreendimento conta com 653 metros de cais, 207 mil m² de pátio e capacidade de movimentação anual de 1,2 milhão de TEUs (unidade equivalente a um container de 20 pés). Proporciona mais de 800 empregos diretos e 1.500 indiretos.

Além de equipamentos modernos, tecnologia de ponta e alta produtividade, a empresa tem focado em buscar soluções complementares e integradas para ampliar o seu portfólio e agregar soluções aos clientes.

Valores importantes para a DP World Santos

A DP World Santos segue os mesmos valores da DP World: gerar crescimento; entregar resultados; adaptar e evoluir; e ajudar o outro a crescer.

Por ter esses valores, a DP World Santos, mesmo tendo iniciado suas operações em julho de 2013, já conquistou importantes prêmios relacionados ao atendimento aos clientes, Gestão de Pessoas, Ética e Relacionamento: a DP World Santos foi eleita duas vezes pelo Valor Carreira como uma das Melhores Empresas em Gestão de Pessoas e pela Você S/A como uma das Melhores Empresas para Trabalhar.

Em 2016, a DP World Santos foi apontada como o terminal portuário com melhor índice de produtividade, segundo relatório “Desempenho do Setor Aquaviário 2016”, divulgado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq): sua produtividade média foi de 88,8 movimentos por hora de operação.

Certificações da DP World Santos

  • OEA (Operador Econômico Autorizado), conquistado em 2017 na Modalidade Segurança, sendo o primeiro no Porto de Santos. Com a certificação, a empresa passou a ser o terceiro terminal portuário do Brasil a atender as exigências do Programa Mundial do Comitê da Organização Mundial das Aduanas (OMA).
  • ISPS Code (Código Internacional para a Proteção de Navios e Instalações Portuárias). A certificação foi emitida em 2013 pela Conportos (Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis).
  • ISO 28000 – Gestão da segurança da cadeia de valor. É uma certificação inédita no Brasil
  • ISO 9001 – Gestão de qualidade
  • ISO 14001 – Gestão Ambiental
  • ISO 45001 – Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional

Além de todas estas certificações, a DP World Santos possui todas as outras certidões, licenças e permissões necessárias para seu funcionamento.

Planejamento da Cadeia logística

Para atingir seu compromisso, a DP World Santos possui infraestrutura de ponta e modernos sistemas de gestão adquiridos, como o Software Online de Gestão Integrada – SOGI da Verde Ghaia, para oferecer soluções integradas de logística portuária aos clientes.

Para o planejamento da cadeia logística, a DP World Santos utiliza também o sistema de planejamento logístico NAVIS, um dos mais modernos do mundo por integrar softwares específicos para fazer as reservas no pátio e o planejamento logístico dos contêineres nos navios, agrupando-os por ordem de descarga nos portos.

Além disso, o sistema possibilita o gerenciamento da carga desde a reserva da vaga pela transportadora até o reconhecimento e orientação do motorista ao entrar no terminal e estacionar o caminhão, indo até o embarque da carga no navio.

O complexo conta ainda com Gates que garantem a agilidade e automatização de todo o processo, além da identificação dos motoristas por sistema de biometria e BDCC (sistema de identificação para recintos alfandegados).

O controle dos veículos e cargas que entram e saem por via terrestre é feito por Optical Character Recognition (OCR), que confere a placa do caminhão, o número do contêiner e as informações do motorista, o que permite o acesso automático, desde que aquele veículo esteja devidamente agendado para o horário.

Compliance Sustentável

E a sustentabilidade também é muito importante para DP World Santos. Já são mais de 30 projetos voltados à fauna e flora da região, com destaque para o salvamento de mais de 35 mil plantas e sementes, o reaproveitamento da biomassa e resíduos vegetais e monitoramento de restingas e manguezais.

A excelência do sistema de gestão em cadeia logística da DP World Santos somente é possível devido ao compromisso que a empresa assume em estar em compliance, em assegurar que seus serviços mantenham um padrão de qualidade reconhecido no mercado.

Desse modo, a DP World visa fornecer um ambiente de trabalho com condições de segurança e saúde para todos os seus colaboradores, em proteger o meio ambiente e prevenir a poluição e pelo envolvimento exigido de todos os integrantes, parceiros, subcontratados e partes interessadas diretamente empregados ou associados à DP World Santos em participarem ativamente e se empenharem para alcançar seus objetivos.


COMAU: Líder em automação industrial e em Gestão de Energia


 

A Comau é líder mundial no campo da automação industrial. Combinando soluções inovadoras de engenharia com tecnologias facilitadoras e uma automação “aberta” e fácil de usar. A Comau ajuda as empresas de qualquer dimensão e segmento industrial a desfrutarem as potencialidades da digital manufacturing.

COMAU sempre buscou por soluções eficientes

A Comau desenvolve sistemas, produtos  e serviços compatíveis com a Indústria 4.0. O portfólio completo inclui: soluções para junções, montagem e trabalhos mecânicos estudadas para veículos tradicionais e elétricos, sistemas de produção robotizados, uma família completa de robôs (incluindo soluções de robótica colaborativa e de vestir) com uma ampla variedade de modelos e múltiplas configurações de carga útil, equipamentos de logística com condução autônoma e serviços de otimização de recursos, com funcionalidades de monitoramento e de controle em tempo real.

A oferta se estende também ao project management e à consultoria, serviços IoT e à manutenção e formação, destinada uma grande variedade de segmentos industriais.

As soluções oferecidas respondem às exigências da produção automotiva, da indústria pesada, ferroviária, de energia renovável e a uma ampla gama de setores da general industry.

História da COMAU

A história da Comau tem raízes na inovação e na descoberta. Iniciou suas atividades em 1970, como Consorzio Macchine Utensili – Consórcio de Máquinas e Ferramentas, em Turim, Itália. Em 1980, se expandiu para os Estados Unidos, e começa a desenvolver o primeiro Sistema Flexível de Manufatura – SFM – e também tecnologias para mecanização de alta velocidade e os primeiros robôs a laser.

Em 1990, a Comau se expande por todo o mundo, e múltiplos centros operacionais e plantas industriais são abertos na América do Sul, Europa, América do Norte e Ásia. A empresa continua com foco na vanguarda da tecnologia e começa a desenvolver novas soluções nos campos Aeroespacial, Veículos Comerciais e Veículos Pesados, Estradas de Ferro e Energias Renováveis.

Em 2000 é criada a Comau Serviços, expandindo-se para a China, Rússia e Romênia, depois de comprar a Renault Automation na França (especializada em engenharia, corte de metais, montagem mecânica e montagem final da carroceria) e a Pico nos Estados Unidos, México, Alemanha e Reino Unido (empresa líder para a produção de linhas de carroceria).

Em 2010 a Comau lança a Comau Aeroespacial, a eComau e a Comau Adaptive Solutions. A organização continua a criar soluções adaptativas, baseadas nos conceitos de “manufatura enxuta”, a fim de melhorar a eficiência operacional de seus produtos. Isso permite que sejam abertas três novas plantas na China, na República Checa, Turquia e uma nova sede na Alemanha. Foi também ampliada a unidade produtiva da Comau México e foram inauguradas as sedes da Comau na Tailândia e no Brasil.

COMAU e a Fábrica do Futuro

Atendendo o mercado há 20 anos com foco em inovação e tecnologia - Verde Ghaia
Atendendo o mercado há 20 anos com foco em inovação e tecnologia

Atualmente, o Grupo Comau trabalha com o HUMANufacturing, a “fábrica do futuro”, indo de robôs colaborativo até soluções de automação “inteligentes” na óptica da Indústria 4.0. Tudo para responder aos desafios de um mercado em desenvolvimento permanente e aos novos requisitos determinados pela revolução digital.

O HUMANufacturing é a visão da fábrica do futuro: “inteligente”, flexível e conectada, onde as pessoas estão no centro do processo de produção e sua interação com outros elementos do processo de automação é feita de maneira eficiente e segura por meio de robôs colaborativos e tecnologias digitais.

A inovação da Comau continua na área de educação, com a introdução de um novo Executive Master em Automação de Fabricação e Transformação Digital, e muitos outros projetos de formação oferecidos pela Comau Academy.

Investimento em Gestão da energia

As empresas do Grupo Comau estão fortemente comprometidas com a condução de suas atividades, em conformidade com todas as leis, regras e regulamentos aplicáveis, e com o objetivo de respeitar os mais altos padrões de ética e integridade.

A partir da criação da eComau, a Comau começou a se dedicar na transformação da responsabilidade ambiental em economia comprovada de energia, por meio do fornecimento de soluções tangíveis para auxiliar as empresas a atingirem metas de sustentabilidade e a garantirem a mais alta eficiência energética possível. 

E para coordenar efetivamente sua estratégia de Gestão de Energia, foi introduzida a função de Gestor de Energia em sua estrutura organizacional. A seriedade com que a Comau planeja e executa seu sistema de gestão a condiciona à eficiência em seus processos, destacando o engajamento de seus colaboradores, incluindo a alta direção, e também de seus parceiros.

A empresa acredita que é um compromisso da Comau atender as expectativas das partes interessadas internas e externas, sendo os requisitos legais elementos importantes neste processo. Além disso, faz parte da Política de Sustentabilidade Comau o atendimento aos requisitos legais e outros aplicáveis.

Certificações conquistas pelo Grupo Comau

  • Certificação ISO 50001:2011
  • Eficiência Energética / ISO14001:2004
  • Gestão Ambiental / OHSAS 18001:2007

O Grupo Comau é o exemplo de que inovação, compliance e sustentabilidade podem e devem caminhar juntas. Ao criar produtos e serviços melhores para seus clientes e, ao mesmo tempo, expandir sua rede global para estar mais próxima de suas bases e caminhar em sincronia com princípios que cuidam do meio-ambiente, a Comau demonstra que respeita totalmente os valores éticos e ambientais que ajudam a impulsionar o crescimento da empresa.

Depoimento de quem vive a Gestão

“Para a Comau, a Sustentabilidade é um dos objetivos de seu plano estratégico, e por isso, a empresa estabeleceu e mantém um sistema de gestão de energia como ferramenta para impulsionar o alcance desse objetivo. Uma gestão eficiente de energias possibilita o aumento da eficiência nos processos, a redução dos custos e como benefícios secundários, torna os processos menos agressivos ao meio ambiente.

E, a gestão de compliance é um elemento fundamental para que a Comau esteja ciente de quais são os requisitos legais aplicáveis ao seu negócio e a sua gestão de energias, possibilita cumprir os requisitos reais  e estar em conformidade com a legislação vigente.

Em 2010, a Comau do Brasil, implantou um sistema de gestão de energia  com certificação na norma EN 16001 – Energy Management Systems – em sua unidade de Betim-MG. Posteriormente, no ano de 2013, migrou sua certificação para a norma ABNT NBR ISO 50001. 

No ano de 2018 a Comau estendeu sua certificação para a unidade de Santo André – SP, local onde atualmente está localizada sua sede administrativa no Brasil”.

Eliezer Neves Silva / Coordenador de Sistemas de Gestão Integrado – COMAU


Nestlé conquista Prêmio em Qualidade e em Segurança de Alimentos


 

A Nestlé é a maior empresa mundial de alimentos e bebidas. Está presente em mais de 200 países com mais de 2.000 marcas, incluindo as icônicas globais até às marcas favoritas dos mercados locais.

Atualmente atua em 13 segmentos de mercado: lácteos, cafés, bebidas, cereais, biscoitos, nutrição infantil, nutrição de performance, congelados e temperos, chocolates e achocolatados, balas, refrigerados, sorvete, águas e rações animais.

Conheça a História de atuação da Nestlé

Nestlé conquista Prêmio em Qualidade e em Segurança de Alimentos
Prêmio Compliance Brasil, da Verde Ghaia – Sicepot em BH.

Desde o seu surgimento em 1866, e inspirada pelo avanço científico de seu fundador, Henri Nestlé, a Nestlé assumiu o compromisso com a qualidade, o comprometimento com a responsabilidade empresarial, a excelência da transparência em seus negócios, o cumprimento de todas as leis vigentes e a segurança de que todas as suas atividades sejam sustentáveis.

A sua gestão empresarial é denominada de “Criação de Valor Compartilhado”. Trata-se de desenvolver suas principais atividades e parcerias em benefício coletivo dos consumidores das comunidades nas quais localizam-se suas unidades.

Ao fazer isso, a Nestlé mantém uma visão bastante ampla para o desenvolvimento de negócios e também acolhe o diálogo com parceiros externos comprometidos a agir em consonância aos princípios estabelecidos, que evoluem de acordo com as constantes mudanças ao redor do mundo. Isso inclui autoridades governamentais e regulatórias, organizações intergovernamentais, organizações não governamentais, entidades acadêmicas e profissionais, e comunidades locais.

Essa forma de trabalhar faz com que, em qualquer parte do mundo, o nome Nestlé represente uma promessa ao consumidor de que o produto é seguro e produzido segundo os mais altos padrões de qualidade, contribuindo para um futuro mais saudável.

Sistema de Gestão da Qualidade e Segurança de Alimentos

Estar em compliance é parte integrante da Política da Qualidade e Segurança dos Alimentos da Nestlé. Esta política segue as normas da NQMS – Nestlé Quality Management System (Sistema de Gestão da Qualidade Nestlé), elaborado na Suíça para ser aplicado em todas as suas fábricas espalhadas pelo mundo.

E é através da sua Política da Qualidade e Segurança dos Alimentos que a Nestlé garante a construção da confiança, pela oferta de produtos e serviços que atendam à expectativa e à preferência do consumidor e também obedece a todas as exigências internas e externas referentes à segurança alimentar, assuntos regulatórios e qualidade.

Quatro Pilares da Nestlé

Quatro Pilares da Nestlé para a excelência em Sistema de Gestão
Normas Internacionais: primeiro passo para excelência em Gestão de Risco
  • Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade por processos no qual as funções de toda a cadeia de valor são responsáveis em atingir os objetivos da qualidade;
  • Uma estrutura de Sistema da Qualidade baseada em requisitos estabelecidos de forma centralizada, em padrões de qualidade específicos por produto e em gestão local;
  • Obtenção de Conformidade através de execução sem falhas, comunicação factual e transparente e verificação através de auditorias independentes;
  • Implementação de programas de melhoria contínua para se conquistar definitivamente a confiança e preferência do consumidor através da excelência em competitividade.

No Brasil, todas as suas fábricas possuem um núcleo integrado que garante seu padrão de qualidade. Suas matérias-primas são selecionadas, vindo de fornecedores qualificados e dando preferência às fontes locais e abastecimento de fontes naturais, utilizando processos tecnológicos de última geração e automatizando sua produção em larga escala.

As normas ISO 9001 e FSSC 22000 são aplicadas em todas as unidades produtoras e cobre toda a cadeia produtiva, incluindo operações de P&D, produção, armazenagem e distribuição. Após sua entrega nos postos de vendas, a empresa disponibiliza ainda uma equipe para acompanhar e orientar a forma de estocagem e exposição.

A demonstração de cumprimento aos sistemas de gestão mencionados é realizada através de diversas formas de verificações periódicas com equipes de auditores devidamente preparados: auditoria interna da unidade, auditoria interna com auditores independentes e auditoria externa para certificação do sistema. Além disso, a empresa possui diversos profissionais da área tais como: biólogos, agrônomos, nutricionistas e engenheiros de alimentos.

Considerações Finais

Atualmente todas as trinta fábricas e os três centros de distribuição estão certificados quanto à aplicação da ISO 9001 e FSSC 22000.

Para a Nestlé, qualidade é um compromisso de todos, devendo ser buscado diariamente para promover melhorias constantes e atingir níveis superiores de qualidade, de forma ambientalmente sustentáveis e ao mesmo tempo criando valor compartilhado tanto para seus acionistas, clientes, colaboradores, fornecedores quanto para toda a sociedade.



Qual o passo a passo para me certificar na Norma ISO 9001?


 

A ISO – International Organization for Standardization ou Organização Internacional para Padronização – é uma organização não governamental fundada em 1947 e com sede em Genebra, Suíça. Seu objetivo é promover o desenvolvimento de normas, testes e certificações, e seu intuito é incentivar o comércio de bens e serviços.

A ISO 9001 é uma das normas certificadoras mais conhecidas e abrange especificamente a Gestão de Qualidade, sendo responsável por definir os requisitos para gerenciamento de processos e estimulando as empresas a assumirem compromissos com a melhoria contínua.

ISO 9001 e suas atualizações

Como toda Norma, ao longo dos anos a ISO 9001 passou por uma série de atualizações. No entanto, apenas a ISO 9001:2015 é passível de certificação. As outras são diretrizes para se adotar nos processos internos da empresa.

ISO 9000:2015 – Abrange os conceitos básicos e terminologia da norma.

ISO 9001:2015 – Estabelece os requisitos para um sistema de gestão da qualidade.

ISO 9004:2009 – Mostra como aumentar a eficiência e eficácia de um sistema de gestão da qualidade.

ISO 19011:2011 – Estabelece as diretrizes para auditorias internas e externas de sistemas de gestão da qualidade.

ISO 9001:2015 – Propõe ferramentas estratégicas e diretrizes para ajudar as empresas a enfrentar alguns dos desafios mais exigentes. Ela assegura o comprometimento do pessoal, padroniza processos, potencializa ao máximo a eficiência das operações, e promove a redução de perdas. Como conseqüência, gera o aumento da produtividade, corta custos através da melhoria de sistemas e processos, fideliza clientes, promove a marca e aumenta a competitividade no mercado.

A ISO 9001: passo a passo para se certificar

Alguns gestores costumam enxergar as cerificações da ISO como conquistas impossíveis, mas tal conceito não poderia estar mais equivocado. A ISO 9001, por exemplo, é de aplicabilidade relativamente fácil e traz grandes benefícios à organização como um todo.

Um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) age nas rotinas produtivas, no planejamento e nos indicadores de resultados da empresa, auxiliando no mapeamento dos processos, padronizando as atividades e assim garantindo maior segurança, facilidade de execução, menores perdas e atendimento correto aos prazos. Tudo isto reflete na qualidade dos produtos e serviços oferecidos, e também na satisfação de clientes e fornecedores.

Passo a passo para conquistar o selo ISO 9001.

Elabore um planejamento estratégico. Este documento conterá as análises dos ambientes e das condições competitivas da organização em seu mercado de atuação. Neste planejamento também devem estar listados os objetivos da organização para um determinado período, bem como as ações necessárias para alcançar tais objetivos. Inclua também os indicadores de desempenho, as metas da organização e o que mais considerar relevante. O planejamento estratégico é praticamente um mapa para definir os padrões de qualidade da empresa.

Ciclo PDCA: A ISO 9001 é baseada no Ciclo PDCA (plan-do-check-act/planejar-fazer-checar-agir), uma ferramenta de gestão que visa promover a melhoria contínua dos processos, principalmente porque se volta para a causa do problema, e não para suas consequências. Assim, torna-se possível aperfeiçoar os planos de ação para atingir os resultados desejados com mais eficácia e qualidade.

A metodologia PDCA se concentra na análise e nas modificações de processos que não estejam atendendo às exigências, e pode ser aplicada em todos os setores. Para colocar em prática o PDCA, a organização basicamente deve avaliar cada etapa de seus processos, sempre verificando o que funciona e o que não funciona, e corrigindo o que for necessário. Lembrando que uma nova análise dos processos deve se dar em períodos regulares, até mesmo para se adequar às atualizações tecno-mercadológicas.

Estude os requisitos dos clientes. Conhecendo bem as necessidades dos clientes, sua empresa poderá implementar os controles operacionais adequados e assegurar que os desvios sejam detectados antes que o produto ou serviço chegue ao cliente final. Deste modo, os índices de satisfação serão cada vez maiores. A ISO 9001 também prevê atividades pós-venda a fim de verificar o atendimento aos requisitos.

Envolva toda a empresa. Um Sistema de Gestão da Qualidade é parte integrante da administração geral de uma organização e faz diferença em todos os departamentos: operacional, administrativo, financeiro, setor de qualidade, manutenção, compras etc. Para implementar um SGQ eficaz, o esforço deve ser coletivo. Todos devem participar, sem exceção.

Organize-se. Nenhuma empresa consegue homogeneizar seus processos se não estiver devidamente organizada. Documentos, arquivos, recibos e até mesmo o espaço físico… Tudo deve estar em seu devido lugar e de fácil acesso. Este passo, inclusive, facilita muito caso haja necessidade de auditoria.

Usufrua da tecnologia. Para organizar e padronizar processos, tire pleno proveito da tecnologia. Hoje já temos vários softwares de gestão que auxiliam desde a organização das tarefas ao monitoramento legal da atividade do negócio.

Auditorias internas e externas. Toda organização que pretende conquistar um selo ISO precisará passar por uma auditoria, cuja função será exatamente constatar que todos os requisitos necessários para conquistar a certificação estão sendo cumpridos.

Quando todos os seus processos estiverem padronizados e funcionais, você deve realizar uma auditoria interna, a qual servirá como uma grande revisão e preparo antes da auditoria externa, aquela que concederá o selo ISO à empresa.

Considerações Finais

A certificação ISO 9001 configura valor à sua marca, melhorando a imagem da organização perante órgãos governamentais e instituições financeiras, e com isso facilitando a abertura para negociações e até obtenções de empréstimos e financiamentos.

Mas, mais importante: com a ISO 9001, a organização alinha suas metas de qualidade ao planejamento estratégico da empresa, tendo como princípio a prevenção de falhas, defeitos, retrabalhos, desperdícios, atrasos e outros riscos que possam ameaçar a qualidade de seus produtos e serviços. Com isto, cria-se uma mentalidade voltada a riscos, sempre atenta a oportunidades a melhorias constantes.

Em tempos de crise, estabelecer um Sistema de Gestão de Qualidade é um diferencial competitivo que não apenas pode garantir a permanência da empresa no mercado, como também ser o primeiro passo para se tornar um líder em seu setor.


Como atender as principais exigências do consumidor nos dias de hoje?


 

Não se pode negar que nos dias de hoje as exigências do consumidor são uma pauta bastante recorrente no mercado, e não é para menos! Afinal, são essas exigências que vão determinar o que o consumidor vai ou não comprar, o que ele precisa, o que ele não quer mais e, principalmente, o que o mercado vai oferecer para sanar essa necessidade.

Diante de tal cenário, é fundamental que as empresas dediquem esforços para compreender melhor tudo que permeia o comportamento do consumidor e as exigências feitas por eles.

Isso é de suma importância, porque entendendo o comportamento do consumidor será possível compreender suas exigências. Em outras palavras, isso possibilita o entendimento de como clientes em potencial deverão responder a um novo produto ou serviço e ainda permite considerar onde estão oportunidades que eventualmente não estejam sendo atendidas por algum motivo.

Para esse entendimento, as empresas precisam fazer um questionamento: será que as ações da organização estão realmente conseguindo acompanhar as mudanças e também as exigências do consumidor? Caso a resposta seja não, calma, é possível atender a estas exigências de forma simples. E quer uma dica? Tem muito a ver com tudo que permeia um bom sistema de gestão.

Vamos lá!

Você consegue compreender de fato, as exigências do consumidor?

Diferencie-se dos seus concorrentes: Respire inovação

É importante ter em mente que os consumidores tendem a basear suas decisões na forma como se sentem, e muitas vezes utilizam a emoção para decidir pela compra, sem nem ao menos precisar realmente de tal produto ou serviço comprado.  

As empresas devem fazer uso dessa informação e basear suas estratégias de comunicação e os valores que defende nisso. Caso contrário, se pensar de forma tão simplificada sem considerar as emoções do cliente, a chance de colocar a empresa em risco é enorme. E se não saber olhar para as exigências do seu consumidor, sempre entregando o mesmo produto ou serviço, você não vai sair da zona de conforto. E sabemos muito bem que a zona de conforto não é lugar para empresas que querem crescer ficarem estacionadas.

Uma das maneiras de ficar atento a este ponto é ter um bom sistema de gestão implementado na empresa, que possa gerenciar todos os aspectos do negócio. Isso vai ajudar a atender também as principais exigências do consumidor.

Quando bem implantando, todos passar a ter uma melhor consciência sobre as responsabilidades dos processos da empresa e isso também pode ser uma resposta positiva para o consumidor final.

A crise é um alerta sobre a forma de como o consumidor se comporta

Os tempos de crise também podem afetar o comportamento do consumidor e até mesmo fazer com que eles tenham posições mais exigentes. Isso porque, de uma maneira geral, é preciso levar em conta que a crise acarreta 3 perfis de consumidores distintos, ou seja, aqueles que estão sem emprego, o que acabaram perdendo um e os que ainda permanecem empregados.

Por isso, a tendência geral quando há uma crise é a contenção de gastos. E então os consumidores poderão optar por produtos ou serviços que tenham melhor qualidade e com preços que estejam mais de acordo com o que podem gastar no momento.

Não ofereça o preço mais baixo, agregue valor e qualidade!

Mesmo em tempos de crise, não é o preço mais baixo que vai fazer o cliente comprar ou não. Na verdade, é uma total ilusão pensar que somente praticar preços menores no mercado irá satisfazer as exigências do consumidor – isso é um erro e um pensamento muito limitado!

Segundo o especialista Eduardo Multari, Diretor de Compras na Pfizer na América Latina, no passado era mais recorrente ter compradores que eram, simplesmente, operacionais. Isso quer dizer que o comportamento mais comum consistia no fato de que os consumidores realizavam cotações e tentavam fechar compras considerando sempre o menor preço.

Hoje em dia esse cenário mudou – e muito! O mercado está cada vez mais globalizado e a competitividade muito mais elevada. E a economia, especialmente no Brasil, ainda não está tão boa assim. Então, o importante nos momentos de crise é oferecer qualidade, agregar valor a seu produto, mostrar que você possui um diferencial em relação a concorrência e que, mesmo pagando um pouco mais, vale muito mais a pena comprar seu produto ou serviço.

Outro ponto fundamental refere-se em ter colaboradores preparados para entender os consumidores e os valores da empresa, sendo mais colaborativos e menos operacionais, bem como dedicar esforços para conhecer de forma mais assertiva quem são seus fornecedores e ainda todas as possibilidades de fornecimento envolvidas – que é o que veremos nos tópicos a seguir.

Empresas que tem a capacidade de ter esse comportamento sobrevivem a qualquer período, sejam bons ou ruins, porque entenderam quais as exigências do consumidor e as satisfazem.

Aposte em colaboradores menos operacionais e mais colaborativos

Para que se possa atender de forma eficiente as evidentes exigências do consumidor é preciso entender que nos dias atuais não é suficiente ter um time de colaboradores apenas operacional. Hoje, é essencial que a colaboração prevaleça entre eles, a fim de desenvolver as novas habilidades exigidas no mundo atual.

Em suma, os talentos devem ser mais amplos, com uma maior capacidade analítica e inovativa, com maior controle emocional e empatia, para entender realmente o cliente. Tudo isso é levando em conta nos dias atuais pelos consumidores e, novamente, as empresas precisam pensar nesse perfil de colaborador.

Invista em strategic sourcing e atenda as exigências do consumidor

Strategic sourcing é um método utilizado principalmente na área de suprimentos que avalia o custo total dos insumos (e não somente o menor preço) antes da efetivação de cada compra. São avaliados os custos internos e externos que afetam os produtos e serviços finais, como por exemplo o poder de negociação com fornecedores, a importância dos materiais para a empresa e os níveis de serviço, além do financeiro e logística.

Esse método está relacionado ao investimento na qualificação de líderes de uma empresa, para que se tornem profisionais do Strategic Sourcing a fim de compor um time de compras ainda mais eficiente e promissor.

Vale salientar que muitas empresas ao redor do mundo já entenderam que esse é um fator imprescindível para suprir as exigências do consumidor e também garantir a maximização do custo-benefício, agilizando o fluxo de atendimento do mercado. Isso porque, através da strategic sourcing, torna-se possível desenvolver uma visão ainda mais profunda sobre o mercado de uma maneira geral e ainda abordar uma série de estratégias dentro dos processos corporativos.

Além disso, é uma forma muito relevante de se estabelecer uma redução de riscos dentro da empresa, principalmente no que diz respeito à área de compras – tudo por meio de Políticas e Compliance.

Invista em Supply Chain: superação de desafios e consolidação do sucesso

Investir em Supply Chain é a melhor maneira de ir ao encontro de uma dose elevada de proatividade, bem como dinamismo, liderança, visão, energia e até mesmo maturidade dentro de uma empresa!    

Esse termo é comumente confundido com os processos de logística, mas é preciso salientar que o Supply Chain engloba, na verdade, um conjunto de métodos, conceitos e também formas de se conduzir operações a respeito do fluxo de mercadorias, podendo atingir positivamente as exigências do consumidor.

Importantes personagens, como distribuidores, atacadistas e até mesmo transportadores são inseridos no que chamamos de “teatro de operações” de forma totalmente estratégica, sendo que cada um desempenha um papel extremamente relevante.

A aplicabilidade de tal conceito se faz indispensável nos dias de hoje, uma vez que ele aposta no uso de tecnologias que permitam conceber uma melhor gestão das operações. Ou seja, possibilita o uso de recursos mais modernos e dinâmicos.

Em suma, o Supply Chain visa a integração das diversas fases pertinentes ao poder de venda em uma empresa, garantindo uma visão mais positiva no mercado, e logicamente, também pelo consumidor final.

Exigências do consumidor x sistema de gestão

Perceberam algo em comum entre tudo o que foi falado aqui? Todos os pontos destacados como necessários para analisar o comportamento dos consumidores e entender as suas exigências nos dias de hoje fazem parte igualmente de um bom sistema de gestão.

Isso não é coincidência, porque somente tendo um bom sistema de gestão que envolva todos os setores da empresa, e que saiba fazer a leitura dos seus clientes, entendendo o que eles necessitam e exigem, é que vai possibilitar o crescimento. Olhar para o cliente é essencial, mas também saber olhar para dentro da própria empresa é fundamental.


Verde Ghaia está entre as 100 empresas que mais crescem no Brasil


 

Verde Ghaia se destaca como uma das 100 empresas que mais crescem no Brasil, de acordo com a Revista Exame.

Para quem é apaixonado pelo que faz, ter o reconhecimento de todo o seu trabalho é sensacional. E a Verde Ghaia sabe bem o que isso significa. Liderada pelo seu CEO, Deivison Pedroza, a organização está entre as 100 pequenas e médias empresas que mais cresceram no Brasil em 2019, com base nas taxas de crescimento obtidas entre os anos 2016 a 2018.

O levantamento foi feito pela revista EXAME em parceria com a Deloitte, e os resultados foram apresentados nesta quinta-feira, dia 12 de setembro, em São Paulo, e também publicados no site, na revista e no aplicativo EXAME.

Deivison Pedroza, CEO e Fundador do Grupo Verde Ghaia

As PMEs que mais crescem no Brasil

A Revista já está em sua 14ª edição. Além da divulgação das empresas que mais cresceram a cada ano, também é feito um dos mais tradicionais e completos levantamentos sobre as práticas e os desafios das empresas emergentes do país. A importância de um trabalho como este está em destacar e impulsionar a força dos empreendedores que fazem a economia do Brasil girar.

Para concorrer, as empresas tinham que ter faturado entre 10 milhões e 800 milhões de reais em 2018. Também era necessário responder a um questionário e seguir todo o regulamento, disponível no site da consultoria Deloitte, empresa que atua em mais de 150 países e que conta com 286.200 profissionais.

As empresas que obtiveram as taxas mais elevadas se classificaram no ranking das 100 PMEs emergentes de maior crescimento no país. Considerando toda a crise econômica que o Brasil vem passando nos últimos anos, ser reconhecida como uma das empresas que mais cresceram no país é motivo para muita comemoração.

Além disso, a Verde Ghaia também completou 20 anos de existência neste ano com a marca de 3200 clientes e mais de 36000 usuários de seus softwares de gestão no Brasil e em mais 05 países: Argentina, Colômbia, Paraguai, Uruguai e Moçambique.

Como ser uma empresa consolida num mercado tão instável?

Você deve estar pensando agora: como uma empresa consegue estar consolidada no mercado há 20 anos, continuar expandindo seus negócios mesmo com um cenário econômico desfavorável, e ainda ser reconhecida por isso a nível nacional?

O caminho nem sempre foi fácil. Mas, a Verde Ghaia chegou lá.

A empresa foi fundada por Deivison em 1999. Na época, sua proposta já estava muito a frente de seu tempo: ele queria melhorar processos de gestão ambiental. Hoje é fácil pensar em termos de meio ambiente, sustentabilidade, compliance. Agora, pense isso há duas décadas atrás!

A única certeza era a necessidade de algo novo. E a Verde Ghaia proporcionou essa novidade ao mercado, ao oferecer o primeiro sistema online de monitoramento de requisitos legais no Brasil. Inicialmente o foco era o meio ambiente.

Ao longo dos anos, tornou-se especialista na assessoria e no monitoramento de conformidade legal nas áreas de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho, Responsabilidade Social, Qualidade, Segurança de Alimentos, Sustentabilidade, Energia, Cadeias Logísticas e Mudanças Climáticas. E de uma empresa tornou-se um Grupo: o Grupo Verde Ghaia, sendo composta pelas empresas Verde Ghaia, Verde Ghaia Bioenergia, Verde Ghaia Franchising, Consultoria Online e pelo Instituto OKSIGENO.

Área de gestão da legislação:

  • monitoramento legal,
  • assessoria jurídica,
  • risco legal,
  • auditoria de conformidade legal.

Área de gestão integrada:

  • as certificações: a Verde Ghaia é certificada desde 2009 nas normas ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001, então tem toda capacidade e “know how” para ajudar seus clientes a se certificarem também,
  • a consultoria online,
  • seu software de gestão integrada (SOGI),
  • as auditorias do sistema de gestão.

Área de gestão de resíduos:

  • Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Serviços de Saúde,
  • com a VG Resíduos, trabalha com a gestão de resíduos e com o mercado de resíduos.

Por que a Verde Ghaia é uma das empresas que mais cresce no Brasil?

Outro destaque da Verde Ghaia é o SOGI, seu software online de gestão integrada, legal e estratégica, que permite processos mais ágeis de monitoramento e gestão. Através da inteligência artificial, seus clientes podem interpretar todas as leis aplicáveis a seu negócio e cumpri-las de maneira correta e segura, sempre contando com apoio e suporte necessário dos consultores especializados da Verde Ghaia.

O SOGI foi desenvolvido através de uma metodologia própria, e é totalmente alinhado às normas internacionais de certificação ISO. Também é constantemente atualizado com o que existe de mais moderno no mundo em termos de tecnologia e de legislações. Hoje, já está em sua 8ª geração e é considerado o software de gestão mais completo existente no mercado, fazendo da Verde Ghaia referência no mercado nacional quando o assunto é sistemas de gestão.

Como a empresa também sabe que é difícil manter-se sempre em conformidade com todas as leis, normas e requisitos, foi criado o Prêmio Compliance Brasil, para reconhecer as boas práticas e o controle legal adotados pelas organizações em todo o país, sendo um incentivo para que as empresas brasileiras acolham práticas sustentáveis em seus processos. Este prêmio é um sucesso, já está em sua 4ª edição, e grandes e médias empresas já foram reconhecidas e premiadas pela excelência em suas gestões.

Clientes e Colaboradores: atualizados e capacitados no mercado

O Grupo Verde Ghaia também aposta em constante atualização e capacitação, tanto de seus clientes quanto de seus mais de 140 colaboradores. São cursos, treinamentos, blogs com conteúdos diversos e Educação a Distância (EaD), a fim de otimizar o processo de treinamento de profissionais e estudantes, possibilitando assim aprendizagem a qualquer hora e em qualquer lugar. E ainda tem muito mais, é só acessar o site que você fica sabendo tudo sobre a empresa.

Pode existir diversidade de serviços e produtos, mas o objetivo da Verde Ghaia é sempre um só: oferecer o melhor. Não é à toa que está em constante crescimento. A empresa sempre busca maneiras de se reinventar quando é preciso e fortalecer o que está dando certo.

Por isso, não importa o cenário econômico: a Verde Ghaia sempre estará em expansão. E agora, sendo reconhecida por isso e se destacando como uma das 100 PMEs que mais crescem no Brasil, sobram motivos para continuar trilhando o caminho escolhido, com a certeza de que ainda há muito mais a conquistar.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Leia mais sobre os desafios empresariais:

FÓRUM CEO BRASIL 2019: quais os desafios das empresas até 2030?

Verde Ghaia Consultoria Online é aprovada pelo Programa de Aceleração InovAtiva

Brasil de Ideias recebe o Pacto pela Integridade e Compliance em Sustentabilidade – PICS

 


Mondelez: excelência em Monitoramento de Requisitos


 

Mondelez conquista o 1° lugar no Prêmio Compliance Brasil, realizado pela Verde Ghaia com o objetivo de parabenizar seus clientes pela dedicação e esforço em cumprir seus requisitos legais. Sabemos que essa tarefa não é fácil! Mas, quando uma organização investe em gestão, os resultados não poderiam ser outro.

Conheça o Case de Sucesso da Mondelez em monitoramento de seus requisitos legais em Saúde e Segurança Ocupacional.

Case de Sucesso da Mondelez

Janice Zanardo e Marcelo Zanella –
Coordenadores de SSMA Mondelez.

A Gestão de Legal Compliance de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (SSMA) foi iniciada na metade de 2015. Já utilizávamos os serviços da Verde Ghaia de levantamento da legislação aplicável de acordo com os aspectos e impactos, perigos e riscos da organização e fazíamos internamente a auditoria de requisitos legais. Mas sabíamos da necessidade de ir além para uma gestão de excelência, então decidimos fazer a auditoria de conformidade legal de escopo completo com time especializado da Verde Ghaia, e sabíamos que na primeira auditoria levantaríamos muitas oportunidades.

A realidade nos mostrou que tínhamos razão, uma grande quantidade de Gaps foram levantados e mais uma vez, entendemos que deveríamos ir além, para uma gestão mais adequada, com a definição de priorização e comprometimento da Alta Direção, e por isso contratamos a avaliação de riscos.

Com a visibilidade clara do que deveríamos priorizar, iniciamos uma gestão mensal com indicadores de atendimento de Requisitos, Obrigações e Atendimento ao Plano de Ação, tanto a auditoria como a avaliação de riscos foram procedimentadas e formalizadas em um fluxo de processo, ambas realizadas anualmente.

Gestão de Indicadores da Mondelez

Monitore seus Requisitos Legais e facilite a sua Gestão

Em 2017 a gestão dos indicadores de compliance de SSMA passou a ser semanal, com discussão inclusive de riscos futuros. A discussão é realizada em duas etapas, uma com o time de Saúde, Segurança e Meio Ambiente, para validação dos indicadores, levantamento de riscos futuros e acompanhamento das ações; e outra com o time de liderança da planta, onde o Gerente de SSMA analisa os indicadores, dá visibilidade dos riscos e verifica o andamento das ações. Quando necessário, há um processo de escalonamento.

A gestão com time multidisciplinar interno, com especialistas Verde Ghaia e um time de liderança  comprometido em fazer o certo, são a chave do sucesso para termos em 4 anos o aumento em 40% do indicador de Compliance, e a conquista do 1º lugar em Saúde e Segurança do Trabalho no Prêmio Compliance 2019.


Riscos que devem ser observados para não comprometer a empresa


 

Lei Anticorrupção Empresarial: quais aspectos devo observar para não arriscar minha empresa?

A corrupção pode ser entendida como a promessa, oferecimento, pagamento ou autorização de pagamento, ou qualquer outra coisa de valor a funcionário, seja ele público ou não. A mera oferta ou promessa de vantagem indevida, mesmo que ainda não cumprida, já caracteriza condutas que acarretam responsabilização no âmbito da Lei Anticorrupção Empresarial (nº 12.846/2013).

Elaboração de uma Matriz de Risco

A Lei Anticorrupção Empresarial, ou simplesmente LAC, foi criada com o objetivo de preencher uma lacuna existente no ordenamento jurídico brasileiro no que diz respeito à responsabilização administrativa e cível de pessoas jurídicas que cometem atos de corrupção empresarial contra a Administração Pública. Esta lei prevê a responsabilidade objetiva das empresas em face da identificação de atos de corrupção, ainda que elas não sejam o agente principal.

Na prática, a LAC não foca na análise de culpabilidade; basta que exista a mera conduta lesiva para que a empresa seja responsabilizada, ainda que seus sócios ou proprietários não estejam envolvidos. Ou seja: se um funcionário, representante ou procurador pratica um ato de corrupção em prol do interesse ou em benefício de sua empresa, ela já estará sujeita às penalidades previstas na legislação, independentemente de seu grau de envolvimento.

Isso significa que é preciso redobrar os cuidados em relação a atos de corrupção em seu ambiente empresarial, buscando implementar um Programa de Integridade e assim assegurando que todos os envolvidos com a empresa estejam de acordo com suas práticas de conduta.

Quais são os riscos que as empresas devem observar?

Para elaborar uma matriz que verdadeiramente reflita os riscos de compliance da atividade empresarial, viabilizando a identificação da gravidade de cada um e facilitando o posterior desenho dos controles correlatos, é preciso mapear os processos (as rotinas e procedimentos de cada área), identificando as quebras (ou riscos de quebras) de legislação, assim como a frequência em que ocorrem. Conheça abaixo as ocorrências mais comuns no que diz respeito à integridade da empresa e relacionamento com terceiros.

  • Entradas e saídas financeiras não contabilizadas ou maquiadas.
  • Contratos celebrados de maneira informal (sem registro e/ou sem o aval escrito dos representantes legais ou responsáveis).
  • Contratações de fornecedores sem a verificação adequada de necessidade do serviço ou contratação de serviços por valores fora da média de mercado;
  • Pagamentos de fornecedores e empregados feitos “por fora”.
  • Sonegação ou recolhimento a menor dos impostos incidentes sobre as operações.
  • Despesas excessivas com hospedagem, transporte e viagens de gestores e colaboradores, sem a devida comprovação.
  • Antecipações de lucros antes da devida apuração na data prevista em contrato social ou do encerramento do exercício financeiro (quando pactuada anualmente) e sem prestação de contas, através de retiradas às contas pessoa-física dos sócios ou parentes próximos.
  • Relacionamento com agentes do Governo e servidores públicos em geral – seja em licitações e contratos ou, mesmo, para participação em fóruns, seminários e congressos científicos. Especificamente no que se refere aos riscos de compliance no trato com o Governo ou Autoridades Públicas, é preciso estar muito atento à corrupção.
  • Recebimento de inventivos legais ou patrocínios privados para realização de eventos, sem a devida contabilização e transparência de informações para posterior prestação de contas.
  • Envolvimento com entidades associativas e sindicatos onde, possivelmente, ocorrem reuniões para formação de cartéis e práticas de concorrência desleal etc.
  • Presentes, serviços e facilidades;
  • Doações de caridade;
  • Contribuições para políticos;
  • Empréstimo ou aval.

Despesas de viagem e entretenimento (muito cuidado com este, quando é fácil se misturar questões pessoais e profissionais no uso da verba da empresa!) No dia a dia das organizações, a corrupção encontra fácil penetração em situações tais como:

  • Requerimento e concessão de alvarás de funcionamento (seja para a matriz ou novas filiais).
  • Pedidos de licenças de exploração e extração de recursos;
  • Importação de insumos (por exigir desembaraços aduaneiros e, por consequência, o trato entre despachantes e órgãos governamentais intervenientes).
  • Fiscalizações de processos fabris e produtos desenvolvidos.
  • Operações de exportação.
  • Licitações e contratos públicos.
  • Metas ousadas estipuladas a executivos de venda, que podem atiçar o desejo de atingi-las a qualquer custo (inclusive mediante pagamento de propina, concessão de brindes e facilidades).
  • Recolhimento de taxas e impostos, através da tentativa de influência em procedimentos de constituição de créditos fiscais (na origem ou em instância recursal – CARF).
  • Negociações que visem arquivamento de investigações e autuações.
  • Manipulação de decisões judiciais perante Juízes, Desembargadores ou Ministros de Tribunais Superiores.

Nunca é demais lembrar que a Lei Anticorrupção Empresarial prevê sanções bastante severas aos corruptores incluindo-se, aí multas que variam de 0,1 a 20% do faturamento bruto do exercício financeiro anterior, e, em sede judicial, risco de perdimento de bens pela empresa e seu encerramento compulsório.

Roberta Volpato


No dia 19 de setembro de 2019, a Verde Ghaia vai realizar um workshop online imperdível em parceria com Roberta Volpato. Roberta é empreendedora, Coordenadora da Comissão de Estudos sobre Riscos e Governança do Instituto Brasileiro de Direito e Ética Empresarial e membro da Comissão Permanente de Estudos sobre Compliance do Conselho Federal da OAB.

O Workshop é gratuito. Para se inscrever, clique aqui.


Principais mudanças da ISO 19011: 2018


 

Uma das principais mudanças da ISO 19011 é a abordagem da auditoria baseada em riscos e oportunidades, visando uma gestão preventiva e proativa.

A ISO 19011, norma que traz as Diretrizes para Auditoria de Sistema de Gestão, é fundamental para a elaboração efetiva de auditorias, sejam elas de primeira, segunda ou terceira parte. A versão atual é a terceira da norma, publicada em 20/12/2018, a qual fez com que ela ficasse mais semelhante com as novidades das demais normas ISO revisadas a partir de 2015.

Em geral, há uma abordagem mais ampla da auditoria desde o seu planejamento até a execução e entrega de resultados, a qual irá contribuir para o sistema de gestão da organização e, dentre outros pontos, fará com que seus resultados possam de forma mais efetiva fornecer entradas para o aspecto de análise de planejamento de negócio e contribuir para a identificação de necessidades de melhoria e atividades.

Essa norma fornece orientação para todos os tamanhos e tipos de organizações e auditorias de variados escopos e dimensões, incluindo aquelas conduzidas por grandes equipes de auditoria, usualmente de organizações maiores, e aquelas conduzidas por auditores únicos, em organizações grandes ou pequenas.

ISO 19011: o que deve ser considerado

Estão inclusos na ISO 19011 e suas diretrizes os seguintes pontos:

Os Princípios de Auditoria é que nos ajudam a entender a natureza essencial de uma auditoria;

O Gerenciamento de um Programa de Auditoria, que fornece orientação para gestão de um programa de auditoria, considerando responsabilidade, objetivos, coordenação de atividades e disponibilização de recursos;

As Atividades de Auditorias, que englobam as orientações sobre a realização de auditorias, inclusive a seleção da equipe auditora;

A Competência e Avaliação de Auditores com orientação sobre a competência necessária a um auditor.

A ISO 19011 e o atendimento aos requisitos das outras normas

As normas ISO trazem em seus requisitos normativos, os quais a empresa devem atender para obter a certificação, a necessidade de realização de auditorias internas. Para as normas que já seguem o anexo SL, essa obrigatoriedade corresponde ao requisito 9.2 – Auditoria Interna, e suas divisões.

As auditorias internas estão englobadas pela ISO 19011 ao citar as auditorias de primeira parte e, com isto, percebe-se que para que os auditores estejam qualificados para executar as auditorias internas demandadas pelas demais normas deve ser obtida uma qualificação na ISO 19011 e suas diretrizes.

Além disto, as normas de sistema de gestão demandam que a empresa realize o planejamento e gerenciamento de programas de auditorias, que irão abordar pontos como a criação do programa de auditoria avaliando a complexidade das áreas auditadas e a seleção de auditores de acordo com essas áreas, conhecimento, autonomia e independência, o que também será apresentado na ISO 19011.

Por fim, uma grande interface da versão de 2018 desta norma é a abordagem da auditoria baseada em riscos e oportunidades. Tendo em vista que essa abordagem é cobrada pelas demais normas emitidas a partir de 2015, a auditoria e seu programa passam a contribuir para uma gestão preventiva e proativa que aborda os possíveis riscos e oportunidades de forma a assegurar que o programa de auditoria atinja os objetivos propostos e esteja em constante melhoria.

O que mudou na ISO 19011: 2018

# As principais mudanças ocorridas em relação à versão anterior foram:

# Inclusão da abordagem baseada em risco aos princípios de auditoria;

# Ampliação da orientação sobre a gestão de um programa de auditoria, incluindo riscos do programa de auditoria;

#Ampliação da orientação para conduzir uma auditoria, particularmente na seção sobre planejamento de auditoria;

# Ampliação dos requisitos genéricos de competência para auditores;

# Ajuste da terminologia para refletir o processo e não o objeto (“coisa”);

# Remoção do anexo contendo requisitos de competência para auditar disciplinas específicas do sistema de gestão (devido ao grande número de normas particulares de sistemas de gestão, não seria prático incluir requisitos de competência para todas as disciplinas);

# Ampliação do anexo A para fornecer orientação sobre (novos) conceitos de auditoria, como contexto organizacional, liderança e comprometimento, auditorias virtuais, compliance e cadeia de suprimento.

Para entender melhor cada ponto abordado na ISO 19011 versão 2018 e, em especial, como interpretá-los e atendê-los, realize o curso EAD de formação de auditores internos baseado na ISO 19011:2018.

Nele serão abordados todos os requisitos, havendo ainda a disponibilidade de professores especialistas para esclarecimento de dúvidas!


Fernanda Innecco Veiga Reis / Consultoria e Projetos Especiais do Grupo Verde Ghaia

Assista ao Webinar e conheça sobre as principais mudanças da Norma ISO 19011 e o que ela impactará na sua próxima auditoria!


Blog VG