×

Gestão de Alimentos: um diferencial em seu programa de Gestão da Qualidade


 

A gestão de alimentos trata da adoção de práticas capazes de controlar qualquer agente que, em contato com os alimentos, possa gerar riscos à saúde do consumidor, e é fundamental para que o processo produtivo dos gêneros alimentícios se dê de maneira adequada — desde a manipulação da matéria-prima até a distribuição ao consumidor final.

É um processo de gestão muito relevante já que pode (e deve) ser adotado por agricultores, pecuaristas, produtores de ração animal, fabricantes de insumos e ingredientes, indústrias de alimentos e bebidas, distribuidores, serviços de catering, varejistas etc.

Além disso, pode abranger vários nichos que de algum modo prestam serviço para o ramo alimentício: empresas de limpeza, sanitização e controles de pragas, transportadoras, empresas de armazenagem e distribuição de alimentos e bebidas, fornecedores de equipamentos, máquinas e produtos para higienização, fabricantes de embalagens e muito mais.

Uma área que exige cuidados específicos

Embora faça parte da gestão de qualidade, a gestão de alimentos requer dedicação específica, já que apresenta uma série de dificuldades muito particulares. Primeiro, a quantidade de requisitos na área de alimentos no Brasil é imensa: são 9 mil leis e normas para serem cumpridos, sendo que, em geral os embargos e penalidades costumam ser vultosos.

Nem precisamos ir muito longe para nos darmos conta da rigidez em relação aos processos de manufatura e controle de alimentos. Basta nos lembramos da Anvisa, a Agência Nacional de Segurança Sanitária, amplamente citada na imprensa e muito reconhecida por sua atuação em prol da saúde da população brasileira.

Mesmo cientes da necessidade de cuidados especiais no que diz respeito à manipulação de alimentos, algumas empresas ainda têm dificuldade para implementar um bom sistema de gestão devido ao desconhecimento de padrões de identidade e qualidade e devido à dificuldade na priorização dos processos. Por isso, em muitos casos é recomendável contratar uma consultoria especializada, não apenas para auxiliar no programa de gestão, como também na interpretação das complexas leis que envolvem o ramo.

Embora existam maneira diferentes e específicas para o cumprimento das regulamentações em segurança dos alimentos, é recomendado que as empresas conheçam os requisitos pertinentes às suas atividades para que decidam conscientemente sobre o cumprimento de todos os requisitos, o que por sua vez aponta para as imprescindíveis questões da conformidade. No ramo de gestão de alimentos, uma empresa somente consegue cumprir todos os requisitos e estar em conformidade se seguir um trajeto específico, o qual muitas vezes não costuma ser abordado em programas de gestão de qualidade não direcionados à área de alimentos.

A ISO 22000, por exemplo, tem como objetivo demonstrar a habilidade da organização em controlar os riscos e perigos na segurança de alimentos e buscar constantemente por produtos finais seguros e que atendam aos requisitos dos clientes. É uma norma que abrange toda a cadeia alimentícia, desde fornecedores de matéria-prima até o consumidor.

Além disso, também envolve as organizações inter-relacionadas, tais como produtores de equipamentos, produtores de embalagens, fabricantes de produtos de limpeza, aditivos, ingredientes e outros prestadores de serviços. A norma também incorpora os princípios do sistema HACCP ou APPCC (Análise de Perigo e Pontos Críticos de Controle) e do Codex Alimentarius — programa criado em 1963 pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) — cujo objetivo é estabelecer normas internacionais na área de alimentos, incluindo padrões, diretrizes e guias sobre Boas Práticas e de Avaliação de Segurança e Eficácia. Seus principais objetivos são proteger a saúde dos consumidores e garantir práticas leais de comércio entre os países.

Passos relevantes na implementação de um sistema de gestão de alimentos

A eficácia do sistema de gestão de segurança de alimentos depende da minúcia da equipe ao implementar, fiscalizar e documentar todas as etapas do processo. Eis algumas dicas que podem ajudar:

# A alta direção deve estar completamente presente no processo de implementação do sistema de gestão de alimentos, bem como deve envolver toda a equipe e se certificar de que os objetivos estão sendo compreendidos.

# Caso não tenha experiência na área, a empresa deve nomear ou contratar uma equipe de segurança de alimentos a fim de realizar a verificação de toda a linha de produção.

# A avaliação de riscos na indústria de alimentos deve ser especialmente cuidadosa, já que qualquer tipo de contaminação pode ser fatal. Considerar tanto os riscos químicos, físicos e biológicos, listando-os, classificando-os e realizando também a avaliação de riscos associados.

# O controle de medidas pode ser realizado através de PPRs (Programas de pré-requisitos operacionais) ou do sistema HACCP/APPCC.

# Cada passo da implementação do sistema de gestão de alimentos deve ser documentado. A organização deve revisar, atualizar e melhorar todo o processo sempre que for necessário. Auditorias internas são excelentes ferramentas de verificação e são de grande ajuda para tornar a empresa apta a conquistar o selo ISO.

A implementação de um sistema de gestão de alimentos alinhado às normas internacionais torna seu negócio mais capacitado para competir dentro de fora do Brasil. Além disso, permite o estabelecimento de relações comerciais com os clientes mais exigentes e zela diretamente pela saúde de seus colaboradores e clientes.


Por que bons Gestores querem uma empresa certificada na ISO 9001?


 

Implementar e obter a certificação ISO 9001 pode ser mais fácil do que você imagina. Apresentaremos abaixo, algumas maneiras práticas que todo gestor pode adotar, seja o seu empreendimento de grande ou pequeno porte.

Utilizada por mais de um milhão de empresas espalhadas pelo mundo, a ISO 9001 chama a atenção de gestores que desejam melhorar o funcionamento do seu negócio, independente do seu setor. Isso porque, há uma série de vantagens que a implementação da norma de qualidade proporciona às organizações.

Motivos para implementar a Norma ISO 9001 não faltam, podemos citar inicialmente, melhoria na imagem da empresa, crescimento rentável, aumento da produtividade, dentre tantas outras. Para implantar a ISO 9001, é preciso criar um planejamento para conquistar o selo de qualidade.

Por que a ISO 9001 é tão importante para as empresas?

A ISO 9001 atua na eficácia dos processos, ou seja, aperfeiçoa o funcionamento da organização como um todo. A partir da adequação dos requisitos do sistema de gestão de qualidade, todos os processos passam a ser documentados. E para facilitar a sua gestão, existem ferramentas tecnológicas que podem proporcionar melhorias, sem burocratizar e ainda facilitar o dia a dia do empresário.

Precisamos entender primeiro a relação da ISO 9001 com as demais normas ISO, uma vez que existem outras normas que ajudam os gestores a manterem sua gestão em dia e funcionando adequadamente às exigências da empresa.

Bem, a ISO 19011 é fundamentada na ISO 14001, e é responsável por padronizar tanto a área de auditorias do sistema de gestão da qualidade, quanto do sistema de gestão ambiental. Além disso, a ISO 19011 proporciona às empresas que às utiliza, algumas excelentes dicas que ajudarão os gestores a realizar uma auditoria cada vez mais eficiente, mantendo todos os padrões da Norma ISO 9001, aumentando a eficiência e melhorando resultados na sua Gestão.

A implementação da ISO 9001 evita desperdícios e corrige imperfeições nos processos o que reduz os gastos e aumenta a rentabilidade do seu negócio. A ISO 9001 também abre portas de novas parcerias, haja vista que muitas empresas não aceitam manter relações comerciais com empresas sem o selo de qualidade.

Destacamos que vale a pena conversar com um consultor antes de decidir qual norma implementar na sua empresa. Profissionais especializados trarão as melhores soluções para o seu empreendimento, de modo que as suas principais necessidades sejam atendidas. A Verde Ghaia, por exemplo, possui Consultores Online, capacitados e com Know-How para responder às suas principais dúvidas, durante o horário comercial.

No nosso próximo post, iremos dar algumas dicas para vocês. Apresentaremos um passo a passo prático para aqueles que desejam entender a importância de se implementar na gestão os padrões da Norma ISO e alcançar melhorias excepcionais.

Fale Conosco!


O que é um Sistema de Gestão? Como e por que implementar?


 

Você sabe o que é um Sistema de Gestão?
A definição mais comum de um sistema é um “conjunto de elementos concretos ou abstratos, intelectualmente, organizados”.

O que é um Sistema de Gestão? Como e por que implementar?

Para descrever de maneira mais simples, um sistema seria um conjunto de itens ordenados que trabalham para um determinado fim. Um automóvel é um sistema de peças que trabalham em conjunto, no intuito de transportar os passageiros. Um computador é um sistema de componentes que trabalham em conjunto para processar dados. Um sistema é uma simples ordenação dos processos para que funcionem com um determinado objetivo.

Como Funciona um Sistema na Empresa?

Em uma organização não é diferente. Enxergar a empresa como um sistema dá ao gestor uma possibilidade única de tratá-la como um todo. Objetivar um determinado fim, sem se esquecer das partes menos visíveis do “mecanismo”. Em um carro é simples perceber a ação das rodas, dos pedais, do volante e até do motor. Mas, poucos veem o trabalho desenvolvido pelos parafusos e mangueiras escondidos dentro da estrutura do automóvel. No entanto, sem que essas peças funcionem bem é impossível que o carro saia do lugar.

Sistematizar para Atender aos Objetivos da Empresa

Um sistema de gestão empresarial é um conjunto de ferramentas desenvolvidas para organizar o trabalho de uma organização no intuito de fazê-la operar de maneira eficiente para cumprir seu propósito de existência.

e-book sobre o que você precisa saber antes de implmentar uma ISO?

Uma empresa privada existe para gerar lucro para seus donos e estes, por sua vez, investirem cada vez mais em melhorias. Este é, em última instância, o objetivo máximo de uma empresa. Caso ela não gere lucro, certamente irá falir. Mas, para que gere lucros, ela precisa atender demandas vindas de todas as partes: dos clientes, funcionários, fornecedores, Governo, entre outros. Quando a empresa satisfaz de maneira eficiente todas as suas demandas, o sistema está em perfeito funcionamento e ela cumpre seu fim: o lucro do acionista.

Visão Antiga X Visão Sistêmica

No passado, a gestão da empresa era quase à similaridade de seu organograma, ou seja, a forma como cada ação era executada, dependia diretamente do fluxo de poder e de ordens vindas da hierarquia. Contudo, a visão sistêmica inovou os processos de gestão, justamente, por considerar que a empresa é um sistema de partes que devem trabalhar em conjunto para um determinado fim.

Então, provê-se a integração de todas as áreas da empresa, para que, em conjunto, possam agir no sentido dos objetivos da organização.

Desse modo, pode-se pensar no setor de compras dependente do setor de transportes, que é dependente do setor de manutenção, que é dependente do setor financeiro, que é dependente do setor de vendas, e assim sucessivamente, até que todos os setores estejam entrelaçados e trabalhando em conjunto.

Sistemas de Gestão Baseados nas Normas ISO

O sistema de gestão empresarial mais famoso do mundo é o regido pela ISO (international standardization organization), principalmente através das normas ISO 9001 (Sistema de Gestão da Qualidade) e ISO 14001 (Sistema de Gestão Ambiental).

e-book sobre a importância do SOGI no sistema de gestão integrado

Os sistemas de gestão baseados nas normas ISO são dispostos em tópicos que abrangem todas as áreas da organização. Assim todos os pontos inclusos no escopo da certificação serão levados em consideração durante a implementação do sistema de gestão, e então a empresa poderá ser observada a partir de uma visão sistêmica.

ISO 9001 e 14001

A ISO 9001 reúne os itens relativos à gestão da qualidade. Ela estabelece o conceito de qualidade, deixando claro que ele não se resume às características do produto final, mas à forma com que o processo de gestão da empresa é desenvolvido. Assim desde o trabalho de produção das mercadorias e serviços, até as atividades de limpeza são levadas em consideração e desenvolvidas com máxima qualidade.

A ISO 14001 reúne os itens relativos à gestão ambiental das atividades da empresa. A norma estabelece processos e cria padrões para que todas as ações da empresa estejam ambientalmente alinhadas à sua política.

Há outras normas da ISO bastante significativas, relacionadas a outras áreas, como a OHSAS 18001 (ISO 45001) voltada para a gestão de segurança e saúde ocupacional, a ISO 22000 relacionada a segurança, dentre outras. Para descobrir qual é a norma ideal ao seu empreendimento, converse com um dos especialistas da Consultoria Online Verde Ghaia.

Para agendar uma conversa com um dos consultores, clique aqui.


Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional para empresas de produtos químicos industriais


 

De acordo com o Decreto 2657/98, que promulga a Convenção 170 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), relativa à Segurança na Utilização de Produtos Químicos no Trabalho, a expressão “produtos químicos” designa os elementos e compostos químicos, e suas misturas, sejam naturais, sejam sintéticos.

Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional  para empresas de produtos químicos industriais

A partir de tal conceito, podemos concluir que a química é essencial para a nossa existência. De desinfetantes domésticos a produtos petroquímicos, de perfumes a tintas de parede, os produtos químicos e seus derivados estão em todos os lugares e fazem parte da rotina de qualquer pessoa, mesmo que esta não tenha plena consciência disso.

A indústria química é a responsável pela conversão de matérias-primas  — como petróleo, gás natural, metais, minerais e até água — e pelo desenvolvimento de milhares de produtos que chegam às mãos dos trabalhadores. Por isso é um negócio tão grandioso e essencial para a economia global.

Obviamente, a relevância da indústria química para a economia desperta em igual proporção a preocupação em relação aos impactos que suas atividades possam causar ao Meio ambiente. Devido a todos os riscos e necessidades de cumprimento de responsabilidades ambientais e operacionais, as indústrias químicas sempre demandam o auxílio de empresas especializadas, seja para consultoria ou descarte de resíduos. Ainda que nem todo produto químico seja potencialmente perigoso, isto não significa que ele não deva ser gerenciado da forma correta.

Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional

Um Sistema de Gestão é um conjunto de ações e métodos empregados para melhorar a administração, com o intuito de se alcançar um objetivo específico. Identificar produtos perigosos, realizar a rotulagem das embalagens, manter os produtos em locais de difícil acesso para pessoas não autorizadas, utilizar luvas, realizar descarte especial… tudo isto faz parte do processo de gestão de produtos químicos e previne uma série de acidentes.

No Decreto 2657, promulgado pelo Presidente da República em 3 de julho de 1998, o Artigo 2º diz que a expressão “utilização de produtos químicos no trabalho” implica toda atividade de trabalho que poderia expor um trabalhador a um produto químico, e abrange:

I) a produção de produtos químicos;
II) o manuseio de produtos químicos;
III) o armazenamento de produtos químicos;
IV) o transporte de produtos químicos;
V) a eliminação e o tratamento dos resíduos de produtos químicos;
VI) a emissão de produtos químicos resultantes do trabalho;
VII) a manutenção, a reparação e a limpeza de equipamentos e recipientes utilizados para os produtos químicos;”

A implementação de um bom Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional dentro de uma organização é de suma importância. Além de zelar pela saúde de seus colaboradores, tornando o ambiente de trabalho mais saudável e seguro, também evita problemas pelo descumprimento das NBRs. Inclusive, o cumprimento de todas as conformidades pode garantir certificações, como a ISO 45001.

Eis alguns aspectos que você deve abordar para implementar um Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional eficaz:

Envolvimento direto da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), principalmente no relacionamento com os trabalhadores;
Planejamento da identificação de perigos, avaliação de riscos e controle dos riscos;
Verificação da estrutura da empresa e das responsabilidades dos colaboradores;
Treinamento e conscientização constantes das equipes;
Estímulo da comunicação sempre clara e direta;
Controle operacional;
Prontidão e agilidade na resposta a emergências;
Avaliação de desempenho, com implantação de melhorias constantes.

Muitas organizações também realizam auditorias para avaliar o desempenho na Segurança e Saúde Ocupacional. Elas têm como objetivo realizar uma verificação mais minuciosa das conformidades cumpridas pela empresa e são muito úteis para captar fatores não identificados pelos gestores, dada a experiência dos auditores.

Um Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional oferece organização eficaz e pode ser integrado a outros requisitos de gestão, trazendo melhorias globais.

Logística na abordagem de produtos perigosos

É sabido, também, que a indústria química é um setor altamente complexo, com muitos equipamentos intrincados e, muitas vezes, lida com uma logística difícil e perigosa. Por isso, a maioria dos gestores de indústrias químicas têm grande preocupação quanto à logística de seus produtos, e assim buscam uma gestão eficiente para a prevenção de riscos, assegurando a saúde e segurança de todos os seus colaboradores e evitando prejuízos ao Meio ambiente.

EAD da Verde Ghaia sobre Legislação de Saúde e segurança

Etapas de manipulação de Produtos Químicos

É muito importante atentar às quatro etapas de manipulação de produtos químicos: Armazenamento; Manuseio; Transporte; e Descarte. O descarte, principalmente, é uma etapa especialíssima, que pode ser gerenciada através de um Plano de Gerenciamento de Resíduos (PGRS).

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) também determina uma série de normas voltadas exclusivamente ao transporte de produtos perigosos, como:

NBR 14619:2017: Estabelece os critérios de incompatibilidade química a serem considerados no transporte terrestre de produtos perigosos e incompatibilidade radiológica e nuclear, no caso específico dos materiais radioativos (classe 7).

NBR 7503:2017: Especifica as características e as dimensões para a confecção, bem como as instruções para o preenchimento da ficha de emergência e do envelope para o transporte terrestre de produtos perigosos.

NBR 15481:2017: Estabelece a verificação dos requisitos operacionais mínimos para o transporte rodoviário de produtos perigosos referentes à saúde, segurança, meio ambiente e qualidade, sem prejuízo da obrigatoriedade de cumprimento da legislação, regulamentos e normas vigentes.

A manipulação inadequada de produtos químicos pode ter proporções desastrosas tanto para o Meio ambiente quanto para os funcionários de uma organização. Por isso, por trás de toda gestão bem-sucedida, sempre haverá líderes sempre atentos a qualquer inovação no ramo, buscando ideias eficientes, competitivas e principalmente sustentáveis.


Como conduzir o Sistema de Gestão Empresarial em tempos de crise?


 

Nos últimos anos, o Brasil vem passando por uma crise econômica que afeta os mais diversos setores.

É comum ouvirmos quase que cotidianamente: “está difícil de vender”, “está difícil de inovar”, “o mundo está mais acelerado”, “é muita informação e está difícil acompanhar”, “está faltando dinheiro”, “a gente vai pra que lado?”, “vamos parar, vamos criar um novo produto, vamos conseguir novo cliente?”,  entre tantas outras frases. Isso não é exclusividade de um tipo de negócio.

Como conduzir o Sistema de Gestão Empresarial em tempos de crise?

A crise afeta a todos. E mesmo assim, temos que continuar caminhando, fazendo diferente, criando oportunidades em um cenário incerto.

Conduza o SG da sua empresa em tempos de crise

Diante disso, a questão que surge é: como conduzir o sistema de gestão da sua empresa de forma eficaz em tempos de crise? Como inovar mantendo a qualidade e incorporando numa rotina estratégica da sua organização os padrões de saúde, de segurança e de meio ambiente exigidos?

Na época da Revolução Industrial, a produção era em série e a preocupação era produzir, produzir e produzir. Pouco importava a padronização. Hoje, é impossível imaginar a nossa vida sem padronização, pois em tudo existe um padrão.

Obtendo uma certificação ISO, o produto é padronizado por um modelo ISO. O que significa que para onde eu vá, no mundo todo, se eu utilizar um produto ou serviço que siga estas normas internacionais, o produto será igual e vai funcionar. Sem contar que posso ter confiança na qualidade do que estou usufruindo.

No caso do seu negócio, a padronização serve para isso, para poder garantir que você tenha todas as informações necessárias para evitar ao máximo ter qualquer tipo de problema. Ou seja, você age de maneira preventiva. Além disso, ter uma certificação da norma ISO, por exemplo, significa que sua empresa tem diferencial competitivo diante da concorrência, oferecendo qualidade, credibilidade e confiança a seus clientes ao atender aos requisitos técnicos e de qualidade e segurança seguindo padrões internacionais.

E, se por acaso exista algum problema e você precise agir de maneira reativa, toda a documentação que você tem em seu negócio, devido ao certificado ISO, vai minimizar ou eliminar o erro. Isso, do ponto de vista organizacional, permite um sistema de gestão eficaz. E, diante da nossa difícil corrida empresarial para nos mantermos vivos dentro de padrões econômicos, isso faz toda a diferença para gerar bons resultados para sua organização.

Dessa maneira, quando falamos de padronização, de normas ISO, de sistema de gestão eficaz, estamos falando de transparência, reputação, propósito.

Qual o propósito do seu negócio? Manter a empresa por mais 40 ou 50 anos? Abrir para o mercado de ações? Deseja fazer uma fusão, uma aquisição, joy venture? Quer participar de licitações? Não importa qual seja, hoje em dia você só o atingirá se garantir os padrões essenciais de sustentabilidade econômica, social e ambiental. Porque a sustentabilidade é o primeiro ponto a ser analisado em qualquer um desses objetivos.

É na crise, que se “Cria”

E diante da crise, nossa mentalidade tem que mudar. Deve ser incorporada a mentalidade do risco e da oportunidade se você deseja um sistema de gestão eficaz. Se você não está preparado para administrar os seus riscos, você vai ficar trabalhando o tempo todo para remediar. E assim, em vez de olhar para frente, buscando sempre inovar, você vai ficar olhando para o retrovisor, preso em problemas que te geram muito mais custos caso tivesse se prevenido inicialmente.

Um bom planejamento estratégico ajuda você nisso. Um planejamento que envolva a alta direção da empresa e os seus diferentes departamentos para analisar e discutir os riscos e as oportunidades de aspectos e impactos, mas também de requisitos legais. Uma metodologia que pode ser utilizada é a da matriz SWOT, na qual é possível verificar forças e fraquezas, oportunidades e ameaças dos processo, produtos, leis, aspectos e impactos para seu negócio.

SWOT é a sigla em inglês para Forças (Strengths), Fraquezas (Weakness), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats). A análise SWOT é uma metodologia clássica da Administração utilizada para avaliar a situação de um negócio e o cenário em que ele está inserido para descobrir qual o melhor caminho a ser seguido. Dessa forma, permite um planejamento estratégico identificando também os principais fatores internos a serem trabalhados e os pontos externos que precisam de mais atenção em relação ao negócio.

Quando se analisa os fatores internos, o foco fica nas forças e fraquezas. Assim, identifica-se os pontos fortes e fracos do negócio, que o colocam em vantagem ou desvantagem em relação à concorrência. Alguns exemplos que podem ser analisados quanto aos fatores internos são: localização, tempo de mercado, reputação, recursos humanos, recursos financeiros, marketing, gestão, capacidade de operação, acesso à matéria-prima, materiais e equipamentos, entre outros.

Fatores Externos: oportunidades e ameaças ao negócio

Em relação aos fatores externos, eles dizem respeito às oportunidades e ameaças que estão do lado de fora da empresa, e que não são controláveis. Aqui, é preciso olhar para o microambiente e para o macroambiente: o primeiro é o setor que você atua, enquanto o segundo é o que vai além da sua empresa ou setor. Alguns pontos a serem analisados sobre o microambiente são: clientes, fornecedores, concorrentes, novos entrantes, substitutos, intermediários e entidades de classe, entre outros. No caso do macroambiente, não esqueça de analisar os cenários político-legais, econômico, demográficos, tecnológico, sociocultural e natural.

Parece difícil? A Verde Ghaia pode te ajudar nisso de uma maneira simples e fácil. A Verde Ghaia é uma empresa que está há 20 anos no mercado oferecendo soluções para alcançar a sustentabilidade empresarial em seu negócio. Seus mais 3.200 clientes são médias e grandes organizações espalhadas pelo Brasil, América e África, que desejam soluções rápidas e práticas para o monitoramento legal e implementação de sistemas de gestão, especialmente de normas internacionais. Ela desenvolveu metodologias próprias para o desenvolvimento de softwares, tais como o SOGI – o Sistema de Gestão Integrada da Verde Ghaia.

O SOGI é totalmente alinhado às normas internacionais de certificação ISO. Ele permite que você monitore os requisitos legais aplicáveis à sua empresa, os aspectos e os impactos ambientais, conheça quais os perigos e riscos inerentes à sua atividade, realize auditorias internas e de conformidade legal e também gerencie as não conformidades e os fornecedores.

Dessa maneira, você reduz o risco de possíveis multas e sanções, de acidente de trabalho, crimes ambientais ou trabalhistas, economiza tempo e dinheiro, garante a boa reputação da sua empresa e tem mais assertividade e segurança nas tomadas de decisão, especialmente quando se trata de onde investir e como inovar.

Como a tecnologia impulsiona o negócio

Como a tecnologia impulsiona o negócio

Ele pode ser utilizado de maneira totalmente online, sem necessidade de instalação, permite um número ilimitado de usuários e também conta com a garantia de segurança e sigilo das informações. Por também permitir a elaboração de planos de ação em cada módulo, o SOGI garante seu diferencial diante de tantas outras empresas, porque você pode traçar metas para que as exigências sejam alcançadas de maneira completa e estratégica, em todos os setores, estimulando inclusive seus colaboradores a se comprometerem com a qualidade do que você oferece.

Portanto, em tempos de crise, contando com a ajuda de especialistas no assunto e utilizando o que tem de mais moderno hoje em sistemas de gestão, é possível conduzi-lo de modo eficaz, conhecendo riscos e oportunidades inerentes a seu negócio e tendo a certeza e a segurança de onde ir, sempre de forma estratégica.

Se você quer conhecer mais sobre as nossas metodologias, entre em contato!


O que é mais caro em um sistema de gestão: prevenir ou remediar?


 

Você já deve ter ouvido aquela famosa frase: “é melhor prevenir do que remediar”.

Fazemos exercícios, nos alimentamos de forma saudável e fazemos exames regulares pensando em cuidar da nossa saúde e assim evitarmos as doenças, os hospitais ou a dependência de remédios. Ou então, guardamos dinheiro, pagamos previdência privada, fazemos investimentos, pensando na época em que vamos nos aposentar para ter uma vida financeira tranquila ou ainda, caso haja algum problema, termos uma reserva financeira. Fazemos revisões nos nossos carros para ter a segurança de rodar com eles e assim, evitar acidentes ou consertos caríssimos.

O que é mais caro em um sistema de gestão: prevenir ou remediar?

Esses são apenas alguns exemplos de como na nossa vida nos prevenimos diante do que pode vir a acontecer. Mas, e na sua empresa, você também age dessa forma? Seu sistema de gestão é preventivo ou reativo diante dos acontecimentos? Você sabia que para seu negócio, prevenir é muito melhor do que remediar? E muito mais barato?

É isso que vou mostrar para você agora.

Prevenir é muito melhor do que remediar

Riscos são inerentes a qualquer atividade ou organização e, em uma empresa, eles são a principal causa de prejuízo econômico. Conhecer estes riscos e poder se antecipar a eles, identificando-os antes mesmo deles virem a se tornar problemas, traz a você vantagem competitiva diante do mercado, permite agir com mais confiança nas tomadas de decisão e oferece proteção para seu negócio. Por isso ter uma gestão de riscos eficaz em sua empresa é tão importante.

E as normas ISO te ajudam nisso. Por exemplo, com a substituição da OHSAS 18001 para a ISO 45001, a maneira de levantar os riscos em sua organização mudou. Antes era feito de maneira reativa. Hoje, com a alteração da norma, esse risco deve ser levantado e identificado de maneira contínua e proativa. Outro ponto importante é que agora são considerados os riscos que podem afetar o funcionamento e a saúde da organização, incluindo as partes interessadas que possuem acesso ao local e trabalho, como visitantes, fornecedores, clientes, por exemplo.

Quanto custa se adequar às Normas ISO? 

E você deve estar pensando agora: “ah, mas é muito caro se adequar a estas normas e manter a certificação!”. Não é.

E posso dizer isso com toda a segurança e experiência de mais de 20 anos trabalhando com sistemas de gestão e conhecendo todos os custos de estar em conformidade ou não. Porque a Verde Ghaia tem mais de 3200 clientes, entre empresas de médio e grande porte, tanto no Brasil quanto na África e na América Latina. Ela trabalha com consultoria de sistemas de gestão e é especializada nas áreas de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho, Responsabilidade Social, Qualidade, Segurança de Alimentos, Sustentabilidade e Mudanças Climáticas. E em todos os casos, se antecipar aos riscos, tomando medidas preventivas em vez de reativas, saem muito mais barato para nossos clientes.

Precisamos mudar a visão que temos sobre as normas ISO.

Quanto custa se adequar às Normas ISO?

Um novo olhar para as Normas ISO

Suas regulamentações e especificações são essenciais para todas as empresas, pois elas nos ajudam em questões relacionadas à sistemas de gestão, à padronização e à inovação. E nesse mundo no qual a inovação é a palavra de ordem, a grande dificuldade das companhias é conseguir se conectar ao novo, se reinventarem, porém sem perder a padronização e a qualidade. Se não se adequam à nova realidade, acabam fechando suas portas.

Por isso é preciso mudar o olhar que temos sobre o custo das coisas, especialmente quando falamos sobre normas ISO. E essa necessidade de mudança de visão vem de um erro muito comum hoje em dia: as empresas, acreditando que gastam muito dinheiro e que precisam reduzir custos, vêm extinguindo os departamentos de qualidade, de meio ambiente, de responsabilidade social, de saúde e segurança do trabalho, por exemplo.

A justificativa é que manter estes departamentos é caro. Mas não é.
Caro é depois ter que “correr atrás do prejuízo” por não ter mais esses departamentos cuidando do seu negócio. Caro é pagar multas e sanções por estar em não conformidade ou por infringir uma lei. Caro é garantir padrões de especificação. Caro é perder tempo com retrabalho. Caro é viver de ações corretivas e não preventivas.

Entendendo na prática como se adequar às Normas ISO

Vamos citar como exemplo uma empresa que gastaria em torno de 30 a 40 mil reais para manter a sua certificação ISO. Se fossemos considerar a gestão ambiental, quanto que ela custaria para essa empresa? Dependendo qual, talvez uns 2 milhões de reais para cumprir condicionantes, leis e todos os outros requisitos aplicáveis para o negócio, para gerenciar resíduos e o que mais fosse necessário de acordo com a atividade. Quanto custa a gestão da saúde e segurança? Quanto custa um empregado acidentado? Dependendo o ramo de atividade de 900 a 1000 reais. Multiplica isso pela quantidade de empregados. Quanto custa um documento mal feito ou não feito? Dependendo, custa 1000 reais fazer, mas não fazer custa 1 milhão de reais.

Vamos pensar em mais exemplos. Para cumprir determinada lei na área ambiental o custo ficaria em 15 mil reais. Se não fosse cumprida essa lei, o custo poderia chegar de 5 a 15 milhões, dependendo a atividade e o tamanho do impacto causado. Renovar o alvará ficaria em torno de 500 reais, não renovar, 20 mil reais. Aqui são exemplos de custo, na sua empresa pode ser diferente, mas perceba como agir antes evita de gastar muito dinheiro depois, sem contar todo o tempo gasto e retrabalho para se adequar à legislação.

O problema é que só calculamos os gastos desses departamentos sem contar a economia que fazemos por termos eles em nossa empresa. Os departamentos não dialogam com a alta direção para mostrar o quanto economizaram com multas, sanções, ações corretivas e retrabalho.

Qual a importância dos Auditores?

Os auditores da ISO são os que ficam dando o norte para nossos negócios, dizendo por onde deve ir ou não. Ele é a forma mais barata que nós temos de fazer validações de compliance. É ver quais coisas estão certas e quais estão erradas. É ter disponível todas as documentações necessárias para prestar contas ou mostrar que tudo está sempre cumprido.

As auditorias ISO nos fazem ver que cumprir as leis de forma preventiva sairá muito mais barato para as contas de empresa, e que você melhorará a imagem do seu negócio diante de toda a sociedade.

Além disso, permite obter financiamentos ou participar de licitações. Se a sua empresa não tiver licenças, se não estiver cumprindo as leis, se não estiver em conformidade com os requisitos legais necessárias à sua atividade, pode ter certeza que não obterá nenhum financiamento, nenhum investidor olhará para você e também vai perder a oportunidade de participar de licitações.

Um outro ponto importante que mostra que seguir as normas ISO não é custo, mas sim economia de dinheiro, é a possibilidade de, através de mapeamento de processos, discutir tributo, carga tributária, reposicionamentos tributários com a gestão administrativa e financeira. E poucas empresas utilizam isso. Por exemplo, apenas pelo fato de ter a certificação ISO 45001 é possível falar com a seguradora e discutir a redução de 20% do prêmio de seguro. Vamos supor que para sua empresa essa certificação custe 20 mil reais. O prêmio de seguro da sua empresa custa quanto? Então, pense nisso.

Se você souber usar todas as vantagens de ter uma certificação, ainda vai gerar economia para seu negócio. E todas essas informações quem tem são os auditores da ISO. Por isso eles são seus aliados, não tomadores de dinheiro.

Correção ou Prevenção: o que você escolhe?

Portanto, se você parar para analisar o seu sistema de gestão sem se preocupar com as normas ISO, sejam quais forem, você vai perceber que gasta muito mais dinheiro com correção do que com prevenção. Porque a prevenção a gente não vê. Quando está dando tudo certo, a gente nem se importa com ela. Mas, e se por exemplo surge um desvio que você não sabia que tinha que cumprir, quanto custa cumprir, quanto custa a multa por não cumprir, quanto custa um desvio se acontecer alguma coisa? Esse é o segredo da avaliação.

Essa mentalidade de correção em vez de prevenção precisa mudar. O diálogo com os diferentes setores da empresa precisa acontecer com maior frequência.

A gerência precisa saber dos gastos, mas também da economia que é feita ao se tomar ações preventivas. Dessa forma, sistematizar a gestão vai deixá-la mais eficiente e mais conectada com a operação. E gerencial e operacional caminhando juntos permite maiores lucros para seu negócio, com um sistema de gestão eficiente.

E novamente te pergunto: não é então, muito mais barato prevenir do que remediar?


Deivison Pedroza
Fundador/ CEO do Grupo Verde Ghaia


Como obter uma Gestão mais eficaz e de forma preventiva?


 

O Módulo TNC, Tratamento de Não Conformidades, foi desenvolvido para tornar seu processo de gestão das não conformidades muito mais eficaz e estratégico.

Ele auxilia no monitoramento e controle de todas as etapas que compõem o tratamento das não-conformidades identificadas em sua organização, processo, produto, acidentes e incidentes, auditorias internas e externas, possibilitando que você tome ações corretivas e preventivas de maneira fácil e segura.

Gerenciando as Não Conformidades

Gerenciar as não conformidades é importante, pois revela a preocupação da organização com a melhoria contínua do seu sistema de gestão. Quando não há essa preocupação, erros em processos e atividades tornam-se contínuos, e o não monitoramento de requisitos legais podem gerar multas, sanções, proibições de atuação e até interdição das atividades.

Todas essas penalidades geram custos para a empresa. Caso haja algum desvio é necessário que sejam tomadas as ações pertinentes para corrigir os problemas e evitar que eles ocorram novamente. Somente assim se garante a melhoria contínua do seu processo, produto ou serviço e, principalmente, evita perda de mercado.

Entre suas várias funções estratégicas, o Módulo TNC possibilita:

  • correlação mais rápida da não conformidade com a obrigação legal e os requisitos normativos que a sua organização deverá cumprir,
  • cadastrar ações e responsáveis para tratar determinada conformidade,
  • garantir permissões de área, atividade ou pessoa para acessar determinada conformidade,
  • criar e o gerenciar planos de ação adaptados às necessidades da sua empresa,
  • identificar a causa da não conformidade, através da técnica da árvore dos porquês,
  • inserir anexos e documentos como evidências,
  • monitorar os status das não conformidades
  • fazer a verificação do atendimento,
  • garantir que todo o sistema de gestão esteja em conformidade.

Para que sua gestão de não conformidades seja ainda mais fácil, a Verde Ghaia também oferece assessoria no momento de inserir suas evidências de atendimento no sistema.

Quer uma gestão muito mais eficaz e eficiente agindo de forma preventiva? Contrate o Módulo TNC!


Empreendimentos com SGA implementado têm sua imagem vinculada a preservação ambiental


 

Você sabia que as empresas com o sistema de Gestão Ambiental implantadas são bem vistas pelos empreendimentos concorrentes, sociedade nacional e mundial?

barragem rompida em Brumadinho
Evite danos ambientais- Faça sua Gestão Ambiental com precisão!

O que é Gestão Ambiental? 

Podemos entender como Gestão Ambiental, um sistema de administração empresarial que enfatiza a sustentabilidade, visando o uso de práticas e métodos administrativos para reduzir ao máximo o impacto ambiental das atividades econômicas nos recursos da natureza.

A Gestão Ambiental quando implantada corretamente, permite a redução de custos diretos e indiretos. A redução de custos diretos é confirmada através da diminuição do desperdício de matérias-primas e de recursos, como água e energia. Já a redução de custos indiretos é constatada por sanções e indenizações relacionadas a danos ao meio ambiente e/ou da população localizada próxima as instalações da empresa.

Gestão Ambiental como estratégia empresarial

Criação de produtos que provoquem o mínimo possível de impacto ambiental (desenvolvimento de embalagens recicláveis para fornecimento de produtos);Uso de sistemas que garantam a não poluição ambiental (tratamento e destinação correta dos resíduos e efluentes gerados no empreendimento);Treinamento de funcionários para que conheçam o sistema de sustentabilidade da empresa, sua importância e formas de colaboração.A Gestão Ambiental Sustentável é norteada pelos seguintes métodos e objetivos:

1. Uso de recursos naturais de forma racional (utilização de energias renováveis e limpas);

2. Aplicação de métodos que visem a manutenção da biodiversidade (proteção das espécies de seres vivos);

3. Adoção de sistemas de reciclagem de resíduos sólidos (destinação ambientalmente correta de todos os resíduos gerados);

4. Utilização sustentável de recursos naturais (utilização de recursos hídricos mediante Outorga);

Tratamento e reutilização da água e outros recursos naturais dentro do processo produtivo (tratamento e reuso de água);Criação de programas de pós-consumo para retirar do meio ambiente os produtos, ou partes deles, que possam contaminar o solo, rios, etc. (Adoção dos critérios da Logística Reversa).

Os empreendimentos com o Sistema de Gestão implantados têm sua imagem vinculada a preservação ambiental. Seus produtos e serviços são associados de forma positiva no comprometimento de adoção de ideias sustentáveis. A adoção dos métodos e objetivos do Gestão Ambiental Sustentável dos empreendimentos melhora sua “marca” no mercado Nacional e Internacional.

Reconhecimento das empresas que possuem SGA

Quais são as responsabilidades da Organização por dano ambiental?

A NBR ISO 14001:2015 especifica os requisitos para um Sistema de Gestão ambiental que uma organização pode usar para aumentar seu desempenho ambiental. O SGA auxilia as organizações a gerenciar suas responsabilidades ambientais de uma forma sistemática, que contribua para o pilar ambiental da sustentabilidade.

Além de demostrar preocupação com o uso consciente dos recursos ambientais, as empresas Sustentáveis reduzem seus custos, evitam desperdícios, reutilizam materiais que antes eram descartados (subprodutos), aumentando seus lucros.

Atualmente, as empresas mais sustentáveis são reconhecidas anualmente pela Revista canadense Corporate Knights. A revista é responsável por publicações especializadas em responsabilidade social e desenvolvimento sustentável.

Para compor o The Global 100, a Corporate Knights seleciona empresas de todos os setores com base em indicadores como energia, emissões de carbono, consumo de água, resíduos sólidos, capacidade de inovação, pagamentos de impostos, a relação entre o salário médio do trabalhador e o do CEO, planos de previdência corporativos e o percentual de mulheres na gestão.

No ano de 2018, a divulgação da Lista foi realizada pela Corporate Knights no Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça).

A lista com o ranking das empresas está disponível no site.

A Verde Ghaia pode auxiliar sua empresa ser Sustentável e reconhecida.


Quer saber como? Entre em contato com nossa Equipe ou baixe nosso e-book!


Caroline Dias
Consultora Jurídica.


Nova ISO 19011 é publicada – ISO 19011:2018


 

nova versão da ISO 19011 – Diretrizes para Auditoria de Sistemas de Gestão – acaba de ser publicada (julho/18). Esta terceira edição ( ISO 19011/2018 ) cancela e substitui a segunda edição (ISO 19011: 2011). A norma foi tecnicamente revisada e desenvolvida pelo comitê de projetos ISO / PC 302Diretrizes para sistemas de gerenciamento de auditoria.

A ISO 19011:2018 oferece uma abordagem uniforme e harmonizada, permitindo a auditoria eficaz em vários sistemas ao mesmo tempo. Considerando que a maioria das organizações possui vários sistemas de gestão, ela promete tornar a auditoria uma tarefa mais fácil.

Nova ISO 19011 é publicada - ISO 19011:2018

Principais mudanças

As principais diferenças em relação à segunda edição são as seguintes:

# Adição da abordagem baseada em risco aos princípios de auditoria;
# Expansão das orientações sobre a gestão de um programa de auditoria, incluindo o risco do programa de auditoria;
# Ampliação das orientações sobre a condução de uma auditoria, particularmente a seção sobre planejamento de auditoria;
# Expansão dos requisitos de competência genérica para auditores;
# Ajuste de terminologia para refletir o processo e não o objeto (“coisa”);
# Remoção do anexo contendo requisitos de competência para auditar disciplinas específicas do sistema de gestão. Devido ao grande número de padrões de sistemas de gestão individuais, não seria prático incluir requisitos de competência para todas as disciplinas;
# Expansão do Anexo A para fornecer orientação sobre novos conceitos de auditoria, como contexto organizacional, liderança e comprometimento, auditorias virtuais, conformidade e cadeia de suprimentos.

A ISO 19011:2018

A norma fornece orientação para:

# Todos os tamanhos e tipos de organizações,
# Auditorias de escopos e escalas variadas,
# Conduzidas por grandes equipes ou auditores únicos,
# Em organizações grandes ou pequenas.

Os resultados da auditoria podem fornecer dados para o aspecto de análise do planejamento de negócios e podem contribuir para a identificação de necessidades e atividades de melhoria. Uma auditoria pode ser realizada em relação a vários critérios de auditoria, separadamente ou em combinação, incluindo, mas não limitados a:

# Requisitos definidos em um ou mais padrões do sistema de gestão;
# Políticas e requisitos especificados pelas partes interessadas relevantes;
# Requisitos estatutários e regulamentares;
# Um ou mais processos do sistema de gestão definidos pela organização ou outras partes;
# Plano (s) do sistema de gestão relacionado (s) à disponibilização de resultados específicos de um sistema de gestão (por exemplo, plano de qualidade, plano de projeto).

ISO 19011:2018

ISO 19011:2018 - Homem olhando as observações na tela do tablet

A fim de obter um melhor desempenho, economizar dinheiro e desenvolver uma vantagem competitiva, a auditoria regular do sistema de gestão precisa ser realizada.

Denise Robitaille, presidente do comitê do projeto ISO que revisou o padrão, disse que ele foi atualizado para garantir que continue fornecendo orientações eficazes. Portanto, aborda mudanças no mercado, tecnologias em evolução e muitos novos padrões de sistema de gerenciamento recentemente publicados ou revisados.

“Outras mudanças importantes na versão de 2018 incluem o acréscimo de uma abordagem baseada em risco aos princípios de auditoria para refletir o maior foco no risco, tanto nos padrões de gestão quanto no mercado”, disse ela.

“Há dicas sobre a auditoria de riscos e oportunidades, bem como informações sobre como aplicar o pensamento baseado em risco ao processo de auditoria. Além disso, a orientação foi ampliada em várias áreas, como a gestão de um programa de auditoria e a realização de uma auditoria”, completa.

A ISO 19011 está disponível no seu membro nacional ISO ou através da ISO Store. Cursos de Auditor Interno estão disponíveis em Cursos Online Verde Ghaia.

Outsourcing para requisitos legais, obrigações e evidências sempre atualizados.
Fale conosco e saiba mais sobre Outsourcing!

Fonte: iso.org.br
Adaptado por Mônica Rosa
Comunicação Verde Ghaia


Acabe com suas dúvidas sobre a ISO 9001:2015


 

A Migração e Implementação da nova versão da ISO 9001:2015, está chegando ao fim. Com isso, os serviços de consultoria estão sendo super disputados no mercado.

Deivison Pedroza, Ceo do Grupo Verde Ghaia, comentou em um dos nossos posts sobre o assunto. E ainda deu dicas, para aquelas organizações que estão correndo atrás do tempo. E uma de suas dicas é a facilidade de se fazer implementação e migração através de Consultoria Online, devido a agilidade e redução de custos.

Acabe com suas dúvidas sobre a ISO 9001:2015

DÚVIDAS SOBRE A ISO 9001:2015 

A Verde Ghaia sempre foi adepta à Tecnologia, participando de muitos eventos sobre inovação e empreendedorismo. Portanto, para o Grupo quando se fala em consultoria online, estamos falando de redução de gastos, significativos. Contudo, mantendo a mesma qualidade de credibilidade de uma consultoria presencial.

Através dessa nova metodologia, muitas organizações têm aderido à consultoria Online. Principalmente as micro e pequenas empresas, pois perceberam a possibilidade de serem competitivas no mercado. Além disso, se conscientizaram que a certificação é muito mais que um papel dependurado na parede. É uma forma de viabilizar os processos internos e externos de maneira organizada, em conjunto com um plano de gestão eficiente e ágil, contribuindo para o crescimento da sua organização.

Apensar de ser um processo comum, ainda existem muitas dúvidas. Vale a pena conferir nosso post sobre o pós e os contras de uma consultoria 100% Online.

Perguntas feitas aos nossos Consultores

Com a nova versão da ISO 9001:2015, a caixa de e-mail dos nossos consultores ficaram lotadas. Além disso, o nosso chat choveu de perguntas. Com isso, pensamos em fazer tira dúvida para os nosso leitores. Afinal, essas perguntas podem também, fazer parte das dúvidas de vocês.

Confira: Como solucionar 13 dúvidas sobre a ISO 9001. Nesse link, você encontra perguntas e respostas sobre os mais diversos procedimentos. Tais como, certificação, indicadores, auditoria, plano de ação, Risco e oportunidades e muito mais. Aproveite par esclarecer suas dúvidas e realizar práticas mais assertivas.

Quer saber mais sobre as novas versões das normas?
Confira o material orientativo que a equipe de Consultoria Técnica e Jurídica da Verde Ghaia preparou:

Ebook – ISO 9001:2015

e-book iso 9001 versão 2015 grátis


Blog VG