Arquivos Certificação ISO | Grupo Verde Ghaia
×

Certificação ISO: como agregar valor ao seu negócio?

 

Por que obter uma certificação ISO? Essa é uma das perguntas mais frequentes. Qual empresa não deseja ser reconhecida por sua ótima reputação, por ser confiável e oferecer produtos de qualidade?

No entanto, nem sempre basta alardear ao público sobre o quanto sua empresa é boa. E é preciso, mais do que simplesmente oferecer excelentes produtos e serviços. Estamos falando de uma comprovação internacionalmente reconhecida.

Certificação ISO: como manter o valor do seu negócio?

Por isso, a certificação é o recurso ideal para comprovar credibilidade e assim demonstrar que seu produto ou serviço atende às expectativas e segue padrões internacionais. Inclusive em alguns casos, a certificação é muito mais do que isso: ela é um requisito legal ou até mesmo contratual, ou seja, o fechamento de um contrato depende da existência de determinadas certificações.

Certificação ISO: padronização e qualidade

Quando falamos de certificação, falamos da ISO, cuja sigla significa International Standardization Organization (Organização Internacional para Padronização), uma entidade fundada em 1947 em Genebra, na Suíça, após 65 autoridades de 25 países se reunirem para discutir meios de facilitar internacionalmente a coordenação e unificação de padrões industriais.

A ISO em si não emite certificações, mas apenas determina os padrões industriais internacionais que devem ser seguidos pelas empresas. Alguns de seus selos são bem conhecidos, como a ISO 9001 (certificação do sistema de gestão de qualidade), e outros ainda não são tão difundidos, como a ISO 37001 (antissuborno) ou a ISO 8000 (padrão global para qualidade de dados e dados-mestre da empresa).

A ISO também não decide quando desenvolver um novo padrão, e sim responde a uma solicitação do setor ou de partes interessadas (que podem até ser formadas por grupos de consumidores). A partir de análise dessa solicitação, um conjunto de especialistas de um comitê técnico desenvolve os aspectos do padrão, incluindo seu escopo, principais definições e conteúdo.

Os benefícios de se conquistar a certificação

Sem dúvida obter uma certificação muda a maneira como sua empresa é vista, principalmente pelo mercado e por órgãos fiscalizadores. O selo ISO é um compromisso público que a empresa firma para com a sociedade. Veja os benefícios diretos obtidos ao se conquistar um selo de certificação:

  • Abertura junto ao comércio internacional – como a ISO é reconhecida internacionalmente, fica bem mais fácil realizar negociações junto a empresas no exterior, já que o selo contribui para a redução de barreiras técnicas.
  • Facilidade para atender a órgãos reguladores e governo – instituições oficiais costumam se basear nos padrões da ISO para desenvolver sua regulamentação. Se você possui certificação, fica naturalmente mais perto do cumprimento de muitos requisitos legais.
  • Vantagem competitiva e credibilidade da marca – uma empresa com selo ISO certamente está à frente daqueles concorrentes que não têm nenhum tipo de certificação.
  • Organização interna – toda empresa que deseja conquistar a certificação passa por dois processos importantes: 1) Implementação de sistemas de gerenciamento 2) Auditorias internas e externas.

Quais os benefícios para as organizações?

Ambos são extremamente benéficos para a organização dos processos e funções numa empresa.

  • Melhoria contínua – os sistemas de gerenciamento em si e as próprias auditorias estimulam a correção de erros e melhoria contínua dos processos.
  • Redução de custos – os sistemas de gestão em geral reduzem processos ineficientes e resultam num melhor gerenciamento de riscos. Como consequência, os custos caem.
  • Satisfação dos clientes – certificações Internacionais indicam que os consumidores podem confiar na segurança dos produtos e serviços da empresa certificada. Um cliente satisfeito sempre volta. Isto reflete diretamente nos lucros daquela empresa.
  • Colaboradores motivados – colaboradores que trabalham em empresas organizadas, dotadas de um sistema de gestão bem definido e que demonstra preocupação para com a saúde e segurança de seu pessoal, certamente são mais felizes. E já está mais do que provado: colaboradores felizes trabalham melhor.
  • Responsabilidade social – toda empresa que se certifica segue uma série de diretrizes que acabam refletindo diretamente em aspectos sociais, como a preservação ambiental.

As normas internacionais da ISO ajudam empresas de qualquer tamanho ou setor a reduzir custos, aumentar a produtividade e acessar novos mercados.

Como obter a certificação ISO?

Para obter a certificação de uma Norma ISO é simples e fácil. Fale com um dos nossos consultores e apresentaremos a vocês formas de implementar e agregar valor ao seu produto ou serviço. Seja destaque no mercado, saiba se diferenciar de seus concorrentes e oferecer qualidade, credibilidade e confiança a seus clientes.

A certificação ISO proporciona garantia e legitimidade ao seu negócio em conformidade com padrões internacionais, pois o seu negócio atenderá aos requisitos técnicos e de segurança do mercado globalizado.

Fale conosco e gere valor ao seu negócio!

Qual o passo a passo para me certificar na Norma ISO 14001?

 

A ISO 14001 uma Norma Internacional que define os parâmetros para se implementar um sistema de gestão ambiental eficaz. Ela é projetada para ajudar as empresas a adotarem responsabilidades ambientais em seus processos internos, ao mesmo tempo  possibilitando o crescimento da organização por meio da redução do impacto ambiental.

Assim como a ISO 9001, a ISO 14001 também é baseada no ciclo PDCA (plan-do-check-act/planejar-fazer-checar-agir), ferramenta de gestão que visa promover a melhoria contínua dos processos, principalmente porque se volta para a causa do problema, e não para suas consequências (e quando falamos em gestão ambiental, prevenção é a palavra-chave).

ISO 14001: objetivos bem claros

  • Proteger o meio ambiente por meio da prevenção ou mitigação dos impactos ambientais adversos;
  • Mitigar os potenciais efeitos adversos das condições ambientais na organização;
  • Auxiliar a organização no atendimento aos requisitos legais e outros requisitos;
  • Controlar ou influenciar o modo comoe os produtos e serviços da organização são projetados, fabricados, distribuídos, consumidos e descartados, utilizando uma perspectiva de ciclo de vida para prevenir o deslocamento involuntário dos impactos ambientais;
  • Alcançar benefícios financeiros e operacionais que resultem na implementação de alternativas ambientais que reforcem a posição da organização no mercado;

Norma ISO 14001 e suas atualizações

Assim como toda Norma, ao longo dos anos a ISO 14001 passou por uma série de revisões periódicas a fim de incorporar as atualizações do mercado. Até os dias atuais, a norma ISO 14001 teve três versões publicadas. São elas:

1996 – primeira versão cujo  objetivo foi definir critérios para implantação do Sistema de Gestão Ambiental e o gerenciamento dos impactos ambientais das atividades das organizações;

2004 – revisão e atualização de conceitos e definições. O grande destaque dessa versão é a inclusão do conceito de desempenho ambiental.

2015 – tem como destaques o alinhamento da Gestão Ambiental à estratégia da empresa, a gestão de riscos e a busca pela maior compatibilidade com as demais normas ISO.

A ISO 14001: em busca da certificação

Se você não faz ideia de como implementar um sistema de gestão ambiental na sua empresa, eis alguns passos que vão auxiliar no processo:

Comprometimento e apoio da alta direção: certamente a gestão ambiental deve contar com o envolvimento de toda empresa, e o exemplo deve partir daqueles que ocupam cargos mais altos. O princípio fundamental é a conscientização. Para isto, abuse de treinamentos e da comunicação contínua com todos. O processo deve envolver todos os aspectos, desde questões complexas da produção até medidas simples no dia a dia, tais como o incentivo à economia de água na hora de lavar as mãos ou a adoção de canecas de vidro individuais para cada funcionado com o intuito de eliminar o uso de copos plásticos.

Roteiro baseado no ciclo PDCA: seguindo as premissas do ciclo PDCA, a empresa deve realizar o planejamento dos objetivos e processos necessários de acordo com a política ambiental vigente, colocá-los em prática, monitorá-los para verificar se estão em acordo com os objetivos e metas, e a partir daí promover ações de melhoria contínua.

Comunicação e divulgação: faça a divulgação externa da ISO 14001. Mostrar à sociedade que você investe em sustentabilidade é incentivar outras empresas a fazerem o mesmo, além de proporcionar credibilidade ao trabalho e melhorar a imagem externa de sua organização.

Monitore os resquisitos: quanto mais você conhecer os aspectos e impactos ambientais que envolvam sua organização, mais fácil será o processo de identificação da legislação e dos requisitos aplicados às suas necessidades.

Busque orientação especializada: quando comparada às outras normas, a implantação da ISO 14001 é geralmente mais complexa e exige mais tempo de adequação. Sendo assim, iniciar o procedimento sem profissionais especializados pode ser arriscado. Contrate consultoria especializada.

Usufrua da tecnologia: é praticamente impossível implementar uma Norma ISO sem organizar e padronizar processos; para isto, tire pleno proveito da tecnologia.

Hoje, já temos vários softwares de gestão que auxiliam desde a organização das tarefas ao monitoramento legal da atividade do negócio. No Sistema de Gestão Ambiental, o monitoramento legal de sua atividade é imprescindível, visto que existem uma série de leis ambientais que precisam ser cumpridas para que a empresa conquiste o selo ISO.

Auditorias internas e externas. Toda organização que pretende conquistar um selo ISO precisará passar por uma auditoria, cuja função será exatamente constatar que todos os requisitos necessários para conquistar a certificação estão sendo cumpridos. Quando todos os seus processos estiverem padronizados e funcionais, você deve realizar uma auditoria interna, a qual servirá como uma grande revisão e preparo antes da auditoria externa, aquela que concederá o selo ISO à empresa.

Sabemos como grandes tragédias ambientais podem prejudicar o planeta de forma irremediável, por isso, buscar a sustentabilidade tornou-se essencial a todas as empresas. Uma organização que não se preocupa com o meio ambiente simplesmente não é digna de confiança.

Certificação Norma ISO 14001

A certificação ISO 14001 garante à empresa mais visibilidade no mercado e fortalece sua credibilidade diante de clientes e fornecedores. Além disso, a conquista do selo ISO 14001 também facilita a possibilidade de exportação de produtos e serviços, abre portas para investimentos e financiamentos e evita o recebimento de multas ambientais.

Mas o mais importante ao adotar um Sistema de Gestão Ambiental (e consequentemente conquistar o selo 14001) é adquirir consciência de que não podemos explorar a natureza contínua e indiscriminadamente. Uma empresa que se preocupa com o meio ambiente contribui diretamente para a manutenção da saúde do planeta e da humanidade.

Qual o passo a passo para me certificar na Norma ISO 9001?

 

A ISO – International Organization for Standardization ou Organização Internacional para Padronização – é uma organização não governamental fundada em 1947 e com sede em Genebra, Suíça. Seu objetivo é promover o desenvolvimento de normas, testes e certificações, e seu intuito é incentivar o comércio de bens e serviços.

A ISO 9001 é uma das normas certificadoras mais conhecidas e abrange especificamente a Gestão de Qualidade, sendo responsável por definir os requisitos para gerenciamento de processos e estimulando as empresas a assumirem compromissos com a melhoria contínua.

ISO 9001 e suas atualizações

Como toda Norma, ao longo dos anos a ISO 9001 passou por uma série de atualizações. No entanto, apenas a ISO 9001:2015 é passível de certificação. As outras são diretrizes para se adotar nos processos internos da empresa.

ISO 9000:2015 – Abrange os conceitos básicos e terminologia da norma.

ISO 9001:2015 – Estabelece os requisitos para um sistema de gestão da qualidade.

ISO 9004:2009 – Mostra como aumentar a eficiência e eficácia de um sistema de gestão da qualidade.

ISO 19011:2011 – Estabelece as diretrizes para auditorias internas e externas de sistemas de gestão da qualidade.

ISO 9001:2015 – Propõe ferramentas estratégicas e diretrizes para ajudar as empresas a enfrentar alguns dos desafios mais exigentes. Ela assegura o comprometimento do pessoal, padroniza processos, potencializa ao máximo a eficiência das operações, e promove a redução de perdas. Como conseqüência, gera o aumento da produtividade, corta custos através da melhoria de sistemas e processos, fideliza clientes, promove a marca e aumenta a competitividade no mercado.

A ISO 9001: passo a passo para se certificar

Alguns gestores costumam enxergar as cerificações da ISO como conquistas impossíveis, mas tal conceito não poderia estar mais equivocado. A ISO 9001, por exemplo, é de aplicabilidade relativamente fácil e traz grandes benefícios à organização como um todo.

Um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) age nas rotinas produtivas, no planejamento e nos indicadores de resultados da empresa, auxiliando no mapeamento dos processos, padronizando as atividades e assim garantindo maior segurança, facilidade de execução, menores perdas e atendimento correto aos prazos. Tudo isto reflete na qualidade dos produtos e serviços oferecidos, e também na satisfação de clientes e fornecedores.

Passo a passo para conquistar o selo ISO 9001.

Elabore um planejamento estratégico. Este documento conterá as análises dos ambientes e das condições competitivas da organização em seu mercado de atuação. Neste planejamento também devem estar listados os objetivos da organização para um determinado período, bem como as ações necessárias para alcançar tais objetivos. Inclua também os indicadores de desempenho, as metas da organização e o que mais considerar relevante. O planejamento estratégico é praticamente um mapa para definir os padrões de qualidade da empresa.

Ciclo PDCA: A ISO 9001 é baseada no Ciclo PDCA (plan-do-check-act/planejar-fazer-checar-agir), uma ferramenta de gestão que visa promover a melhoria contínua dos processos, principalmente porque se volta para a causa do problema, e não para suas consequências. Assim, torna-se possível aperfeiçoar os planos de ação para atingir os resultados desejados com mais eficácia e qualidade.

A metodologia PDCA se concentra na análise e nas modificações de processos que não estejam atendendo às exigências, e pode ser aplicada em todos os setores. Para colocar em prática o PDCA, a organização basicamente deve avaliar cada etapa de seus processos, sempre verificando o que funciona e o que não funciona, e corrigindo o que for necessário. Lembrando que uma nova análise dos processos deve se dar em períodos regulares, até mesmo para se adequar às atualizações tecno-mercadológicas.

Estude os requisitos dos clientes. Conhecendo bem as necessidades dos clientes, sua empresa poderá implementar os controles operacionais adequados e assegurar que os desvios sejam detectados antes que o produto ou serviço chegue ao cliente final. Deste modo, os índices de satisfação serão cada vez maiores. A ISO 9001 também prevê atividades pós-venda a fim de verificar o atendimento aos requisitos.

Envolva toda a empresa. Um Sistema de Gestão da Qualidade é parte integrante da administração geral de uma organização e faz diferença em todos os departamentos: operacional, administrativo, financeiro, setor de qualidade, manutenção, compras etc. Para implementar um SGQ eficaz, o esforço deve ser coletivo. Todos devem participar, sem exceção.

Organize-se. Nenhuma empresa consegue homogeneizar seus processos se não estiver devidamente organizada. Documentos, arquivos, recibos e até mesmo o espaço físico… Tudo deve estar em seu devido lugar e de fácil acesso. Este passo, inclusive, facilita muito caso haja necessidade de auditoria.

Usufrua da tecnologia. Para organizar e padronizar processos, tire pleno proveito da tecnologia. Hoje já temos vários softwares de gestão que auxiliam desde a organização das tarefas ao monitoramento legal da atividade do negócio.

Auditorias internas e externas. Toda organização que pretende conquistar um selo ISO precisará passar por uma auditoria, cuja função será exatamente constatar que todos os requisitos necessários para conquistar a certificação estão sendo cumpridos.

Quando todos os seus processos estiverem padronizados e funcionais, você deve realizar uma auditoria interna, a qual servirá como uma grande revisão e preparo antes da auditoria externa, aquela que concederá o selo ISO à empresa.

Considerações Finais

A certificação ISO 9001 configura valor à sua marca, melhorando a imagem da organização perante órgãos governamentais e instituições financeiras, e com isso facilitando a abertura para negociações e até obtenções de empréstimos e financiamentos.

Mas, mais importante: com a ISO 9001, a organização alinha suas metas de qualidade ao planejamento estratégico da empresa, tendo como princípio a prevenção de falhas, defeitos, retrabalhos, desperdícios, atrasos e outros riscos que possam ameaçar a qualidade de seus produtos e serviços. Com isto, cria-se uma mentalidade voltada a riscos, sempre atenta a oportunidades a melhorias constantes.

Em tempos de crise, estabelecer um Sistema de Gestão de Qualidade é um diferencial competitivo que não apenas pode garantir a permanência da empresa no mercado, como também ser o primeiro passo para se tornar um líder em seu setor.

A Era das certificações ISO

 

Atualmente é muito comum se ouvir as expressões: Empresa Certificada ISO 9000, ISO 14000; Produto Certificado; Processo Certificado. Mas o que é uma Certificação? Existem vantagens em obter Certificações? Quais são as vantagens?

O que são certificados?

Certificados são documentos, emitidos por entidades específicas, preferencialmente as publicamente reconhecidas, que atestam determinado produto, serviço, atividade ou sistema que está sendo produzido, fornecido, implantado ou mantido de acordo com os requisitos de um padrão específico.

Esse padrão pode ser setorial, nacional, regional ou internacional. Por exemplo, uma determinada empresa receberá do organismo avaliador o certificado ISO 9001 apenas se, após o processo de verificação, o organismo apresentar evidências objetivas de que o Sistema de Gestão da Qualidade implementado pela empresa está em conformidade com todos os requisitos da norma NBR ISO 9001.

Da mesma forma, um fabricante de automóveis concederá um certificado de conformidade a um processo produtivo de um fornecedor de autopeças se observar, através de evidências objetivas, que tal processo está sendo operado de acordo com os requisitos especificados por uma norma de sua escolha.

Todo certificado de conformidade tem prazo de validade definido e a sua manutenção depende da manutenção do nível de desempenho do produto, atividade, serviço ou sistema ao longo do tempo. Portanto, há necessidade que se façam avaliações periódicas para que seja verificado se o objeto da certificação continua atendendo os requisitos especificados pelo referencial normativo usado.

Uma organização pode atestar conformidade de um sistema de gestão, por exemplo, através de três tipos de auditorias

Pelo Cliente – Auditoria de Segunda Parte: por exemplo, uma montadora de automóveis atesta que o processo produtivo de um fornecedor de autopeças está de acordo com os requisitos de um padrão específico.

Por Entidade Autônoma e independente em relação ao cliente e ao fornecedor de um produto ou serviço – Auditoria de Terceira Parte: por exemplo, o certificado de conformidade conferido por uma Instituição Avaliadora ao sistema de gestão da segurança e saúde ocupacional de uma empresa baseado na norma ISO 45001.

Há também a possibilidade da autodeclaração de conformidade –  Auditoria Primeira Parte: a própria organização garante que determinado produto, atividade, serviço ou sistema está de  acordo com os requisitos de um referencial normativo específico.

Obtenção de um Certificado

A obtenção de um certificado por uma organização específica pode ser:

* Facultativa: caso a organização decida espontaneamente demonstrar que segue as diretrizes definidas por uma norma específica. Por exemplo, a implementação e manutenção de um sistema de gestão ambiental de acordo com os requisitos da norma ISO 14001 é uma decisão exclusiva da administração de uma empresa, não sendo ela obrigada por agentes externos a tomar tal decisão.

* Compulsória: caso a organização para produzir, comercializar ou desenvolver uma atividade específica seja obrigada a demonstrar que segue os requisitos de uma norma. Por exemplo, só podem ser comercializados no Brasil brinquedos cujas características estejam em conformidade com a norma Segurança do Brinquedo ABNT NBR NM 300-5:2004.

Motivos para certificação de produtos, atividades, serviços e sistemas

Além da certificação compulsória, determinada por órgão competente, as empresas podem buscar a certificação de produtos, atividades, serviços e sistemas por motivos diversos. Porém, é importante que as empresas vejam a certificação como algo que contribuirá efetivamente para a melhoria de sua gestão; do nível de qualidade de desempenho de seus produtos, atividades e serviços e da sua lucratividade.

A certificação deve ser algo que agregue valor à organização. Os motivos podem ser os seguintes:

* Demonstrar a clientes, mercado e sociedade em geral que a organização produz e fornece produtos ou serviços com alto nível de qualidade, através de melhores práticas ambientais ou de segurança ocupacional.

* Demonstrar que a organização é gerida de forma eficaz, através de um sistema em conformidade com um referencial normativo reconhecido.

* Manter elevado nível de qualidade de produtos, serviços e gerenciamento através da manutenção do certificado.

* Obter vantagem competitiva com relação aos concorrentes pelos motivos expostos acima.

Receber pressão de clientes ou do mercado – a certificação neste caso pode até ser favorável à organização, mas se a mesma não for efetivamente utilizada como um instrumento para a gestão e o sistema tiver sido implantado apenas para se estabelecer laços comerciais, ele não proporcionará o desempenho pretendido. Assim, ao invés de estar agregando valor à organização ela passa a gerar apenas custos.

Organismos certificadores

Para obter uma Certificação de Terceira Parte, a organização interessada deve contratar uma Empresa Especializada para efetuar a avaliação do produto, serviço, atividade ou sistema, que se deseja certificar. Esta empresa, especializada em efetuar avaliações e independente em relação à empresa contratante e aos clientes desta, é o chamado Organismo Certificador.

Existem inúmeros organismos certificadores no mundo, sendo que na sua grande maioria, possuem ação global, emitindo certificados de conformidade para organizações de inúmeros países do mundo.

Organismos credenciadores

Como já foi dito, existem inúmeras empresas certificadoras no mundo e o certificado emitido por elas, para ser devidamente aceito pelo mercado, precisa ser formalmente reconhecido. Estas empresas para operarem, com a confiabilidade que o mercado exige, precisam estar credenciadas por Entidades que disciplinem suas atividades.

Estas Entidades são os Organismos Credenciadores – algumas organizações certificadoras também os chamam de Organismos Acreditadores.

Estes organismos têm os seguintes objetivos:

  • Supervisionar a atuação dos organismos certificadores.
  • Assegurar a imparcialidade dos avaliadores.
  • Avaliar a competência técnica para o desenvolvimento do trabalho em questão.
  • Assegurar que os recursos e instalações sejam apropriados e suficientes para o trabalho.
  • Assegurar que o desempenho do avaliador seja na verdade o requerido pelo referencial normativo.
  • Garantir que o avaliador seja capaz de sustentar o nível de desempenho requerido.

Certificação de Terceira Parte

Pode-se ver que o processo de Certificação de Terceira Parte envolve três agentes distintos:

1. O cliente que busca a certificação;

2. A instituição avaliadora que emitirá o certificado em caso de  conformidade; o organismo acreditador que avaliará e declarará a competência das instituições avaliadoras.

3. É este sistema de “três cabeças” que assegura a credibilidade de tais certificados, que permite que eles sejam um retrato fiel da qualidade fornecida por uma organização às partes interessadas – acionistas, funcionários, clientes e vizinhos – em seus produtos, atividades e serviços.

Por último, é importante ressaltar que a maior parte dos sistemas certificáveis são implementados de acordo com normas publicada pela ISO. Porém não existe Certificado ISO 9000 ou Certificado ISO 14000, por exemplo.

A ISO é uma instituição que apenas cria e divulga padrões aceitos sob consenso internacional, não efetuando qualquer tipo de avaliação – esta cabe aos Organismos Certificadores.

Portanto, a terminologia correta para declarar uma certificação é:

O Organismo Certificador atesta – ou registra, ou certifica, que a Empresa possui um Sistema de Gestão da Qualidade – ou Sistema de Gestão Ambiental, ou outro qualquer, em conformidade com os requisitos da Norma ISO 9001 – ou ISO 9002, ISO 14001 ou outra qualquer.

Deve-se notar que o Certificado de Conformidade não é emitido pela ISO – ele sequer tem o reconhecimento desta instituição. Ele é emitido por um Organismo Certificador credenciando uma Entidade competente para tal.

Quer saber como funciona a certificação para o seu negócio?
O processo é simples, fácil e ágil. Entre em
contato conosco!

Sua empresa é certificada e precisa se adequar à norma ISO 9001?

 

O que é a ISO 9001?A ISO 9001 é a Norma Internacional de Gestão da Qualidade, responsável por definir os requisitos para gerenciamento de processos, estabelecendo compromissos com a melhoria contínua.

A sua aplicabilidade além de fácil, permite às organizações a obtenção da certificação internacional, desde que estejam em conformidade e evidenciem o cumprimento dos requisitos desta Norma. ISO 9001 Certificação: qualidade para o seu negócio!

Vamos juntos aprender um pouco mais dos requisitos da NBR ISO 9001:2015. Vamos lá? A norma é dividida em requisitos. Os requisitos 4.1 ao 10.3 devem ser cumpridos em sua totalidade, conforme as exigências da norma.

No entanto, para uma certificação do Sistema de Gestão da Qualidade, alguns requisitos podem ser excluídos dos escopos de certificação, desde que não tragam prejuízos ao atendimento de Requisitos do Produto e de Expectativas dos Clientes. Portanto, essas exclusões devem ser muito bem fundamentadas pelas organizações.

Compreendendo a ISO 9001:2015

A ISO – International Organization for Standardization ou Organização Internacional para Padronização, é uma organização não governamental que foi fundada em 1947, sendo a sua sede em Genebra, Suíça. A ISO é formada por organismos normalizadores nacionais e os países participantes representam mais de 95% da produção mundial.

A ISO 9001 é a Norma Internacional de Gestão da Qualidade, responsável por definir os requisitos para gerenciamento de processos, estabelecendo compromissos com a melhoria contínua. A sua aplicabilidade além de fácil, permite às organizações a obtenção da certificação internacional, desde que estejam em conformidade e evidenciem o cumprimento dos requisitos desta Norma.

Os requisitos 4.1 ao 10.3 devem ser cumpridos em sua totalidade, conforme as exigências da norma. No entanto, para uma certificação do Sistema de Gestão da Qualidade, alguns requisitos podem ser excluídos dos escopos de certificação, desde que não tragam prejuízos ao atendimento de Requisitos do Produto e de Expectativas dos Clientes. Portanto, essas exclusões devem ser muito bem fundamentadas pelas organizações.

A sua empresa quer conquistar a Certificação ISO 9001?

A ISO – International Organization for Standardization ou Organização Internacional para Padronização, é uma organização não governamental que foi fundada em 1947, sendo a sua sede em Genebra, Suíça. A ISO é formada por organismos normalizadores nacionais e os países participantes representam mais de 95% da produção mundial.

Abordagem do Item 4 da NBR ISO 9001:2015 – Contexto da Organização: O que devemos entender neste item? Este requisito consiste em realizar a ANÁLISE ESTRATÉGICA da organização, ou seja, para algumas empresas, ELABORAR o seu plano de negócio e, outras CRIAR e/ou REVISAR o planejamento estratégico da sua organização.

É importante sabermos a diferença entre o  plano de negócio e o planejamento estratégico.

PLANO DE NEGÓCIO é um instrumento de planejamento de um empreendimento em fase inicial, e serve para orientar o empreendedor no desenvolvimento de uma ideia que pretende transformar em um negócio.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO é um documento onde apresenta as análises dos ambientes e, das condições competitivas da organização em seu mercado de atuação. Também são relacionados os objetivos da organização para um determinado período, as ações necessárias para alcançar os objetivos, os indicadores de desempenho, as metas da organização e muito mais. Após esse entendimento, a organização deve fazer com que o SGQ seja INCORPORADO no PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO da organização.

ISO 9001 e o Ciclo PDCA

A Norma ISO 9001:2015 é baseada no PDCA, uma ferramenta de gestão que visa promover a melhoria continua dos processos, voltando-se para a causa do problema e não para as consequências. Assim, torna-se possível otimizar os planos de ações para atingir os resultados desejados com mais eficácia e qualidade. 

As quatro ações do PDCA foram baseadas nas seguintes ações:  Planejar, Fazer, Checar e Agir. Essa metodologia é focada na análise e mudanças de processos, caso seja necessário, no decorrer dos procedimentos fazer alguma alteração ou mudança, contribuindo para o melhor desenvolvimento de cada processo da organização.

A Gestão da Qualidade é parte integrante da administração geral de uma organização, pois perpassa diversos processos, atividades e áreas da organização, sejam elas operacionais, administrativas, finanças, qualidade, manutenção, compras, entre outros.

Por isso, são necessários esforços de todas as áreas da organização para coordenar a estrutura, as responsabilidades, as práticas, os procedimentos, os processos e recursos para implementação de políticas, objetivos e metas nos níveis pertinentes da organização.


[1] Fonte: Adaptado de ABNT. Sistema de Gestão da Qualidade – Requisitos. ISO 9001:2015.

____________________________________________________________________

Conheça a Consultoria Online e alcance a sua certificação com segurança, qualidade e garantia de que sua gestão estará de acordo com os padrões exigidos pelos órgãos certificadores.

Quanto vale um Sistema de Qualidade para a sua empresa?

 

A certificação em Qualidade pode ser uma conquista estratégica para as empresas, especialmente, em um mercado tão competitivo. Afinal, conquistar a certificação das normas ISO, além de ser um diferencial competitivo, poderá trazer inúmeros benefícios para o negócio, como maior organização dos processos e atividades e melhorias contínuas para a produção e/ou prestação de serviços.

“…O CUSTO DE CERTIFICAÇÃO SER “CARO” OU “BARATO” É UMA DEFINIÇÃO RASA… DIANTE DO QUANTO A EMPRESA TENDE A GANHAR…”

O que mais se destaca é o quanto a Gestão se torna mais eficaz em relação aos seus indicadores e metas, principalmente, em relação a satisfação dos clientes. É por isso, que ao dizer que o custo para certificação é “caro” é uma definição rasa. A questão é relativa, diante do quanto a empresa poderá ganhar em termos produtivos e competitivos, comparado ao que ela precisará investir. Além disso, existem inúmeras variáveis no processo, que poderão interferir nos custos.

Quanto vale um Sistema de Qualidade para a sua empresa?

Quais são as variáveis que impactam nos custos da Certificação ISO?

1. Realidade da empresa: somente um diagnóstico poderá indicar o que a empresa precisará fazer e/ou mudar para se adequar aos requisitos da norma. De acordo com o cenário da empresa, as adequações podem ser mínimas e, talvez, até não seja necessário fazer nenhum investimento nessa etapa. Mas, só será possível definir essa questão a partir de uma avaliação inicial.

2.Treinamento / conscientização: o envolvimento e a participação dos colaboradores são fundamentais para se obter a certificação. Por isso, é necessário investir em tempo para promover cursos e reuniões para capacitação e em ferramentas de comunicação para conscientização dos colaboradores, especialmente, daqueles que forem responsáveis pelo processo.

Nesta etapa é interessante a empresa contar com uma Consultoria Especializada, que poupará tempo para a elaboração de materiais orientativos e informativos, bem como com os seus Consultores, que já estão habilitados e preparados para conduzir cursos, treinamentos e para assessorar os responsáveis pela certificação.

3. Consultoria Especializada: contar com profissionais capacitados e especializados nas normas reduzirá tempo e retrabalhos para a empresa. Isso porque os profissionais já têm expertise no processo e vão planejar e conduzir as ações com mais efetividade e eficácia. Isso sem falar que o custo de uma Consultoria poderá ser muito menor que a utilização de um profissional da própria empresa, que precisará passar por uma capacitação, não tem experiência no processo e ainda será retirado de sua função, interferindo nas rotinas produtivas.

Uma outra opção, porém incerta, são os consultores autônomos. Isto porque, além de não terem o respaldo e a credibilidade de uma empresa capacitada em Auditoria e Consultoria, podem gerar riscos desncessários. É muito comum, as empresas terem retrabalho por causa de consultores autônomos.

4. Tempo e disponibilidade da empresa: quanto mais comprometida a empresa estiver com o processo, menor será o tempo gasto e, consequentemente, menor será o custo do processo, além de oferecer produtos e serviços com mais qualidade. Por isso, é necessário que os colaboradores estejam envolvidas e se comprometam a executar as ações e os prazos estabelecidos no planejamento.

5. Contratação de organismo certificador: o processo de certificação só é concluído com a auditoria externa, que precisa ser conduzida por um organismo certificador. Para isso, a empresa precisará contratar uma certificadora e pagará pelos custos de logística do auditor. Este ficará responsável por avaliar o atendimento aos requisitos normativos. Caso sejam identificadas não-conformidades graves, a empresa corre o risco de não conseguir a certificação.

Por isso, é importante que a auditoria externa só seja realizada quando a empresa estiver completamente estruturada e preparada para o processo. Caso contrário, poderá ter um custo considerável com auditoria e não ter o sucesso com a certificação.

Aconselhamos realizar auditorias internas com empresa especializadas e reconhecidas no mercado, pois essas empresas têm uma visão do que precisa ser feito evidenciando as não conformidades e auxiliando a organização na resolução, isto é, nas tratativas.

Vale a pena investir na Consultoria de Certificação ISO 9001?

A resposta é SIM, sempre! A Consultoria Especializada e qualificada representa redução de custos com tempo e com retrabalhos para a certificação da norma ISO 9001.

Afinal, a Consultoria conta com profissionais qualificados e experientes na implantação do sistema de gestão da qualidade e na certificação das normas internacionais, o que permite que o processo seja conduzido com mais eficácia, conforme descrito abaixo:

1. Diagnóstico: avaliação mais imparcial da realidade da empresa e análise mais efetiva das adequações necessárias para o atendimento aos requisitos da norma;

2. Planejamento: a maior experiência permite que as estimativas sejam mais realistas para definição de prazos de execução das ações, minimizando erros que poderiam comprometer todo o planejamento da empresa.

3. Direcionamento: o maior conhecimento sobre as exigências da norma, bem como sobre as avaliações dos organismos certificadores, permite que a Consultoria faça o direcionamento mais eficaz dos processos de implantação do Sistema de Gestão da Qualidade, evitando atividades desnecessárias e retrabalhos.

4. Capacitação e conscientização: a Consultoria já possui materiais e modelos de documentos que vão contribuir para a melhor orientação dos colaboradores e dos profissionais envolvidos no processo. Isso sem contar que os Consultores também estão habilitados a realizar cursos e treinamentos, que poderão ser até customizados e alinhados com a realidade da empresa.

5. Custo/benefício: os ganhos promovidos pela contratação de uma Consultoria, com toda certeza, são muito maiores que os custos do processo. Isso sem falar que existe hoje no mercado a opção da “Consultoria On-Line”, que possibilita a realização do processo com a mesma qualidade de uma Consultoria Presencial, porém com os custos muito mais reduzidos.

Consultoria Online, como funciona?

O processo é todo conduzido por uma equipe de Consultores Especializados através de uma plataforma on-line, que vai facilitar a comunicação entre a sua empresa e a nossa equipe.

• São oferecidas ferramentas intuitivas que auxiliam, adequadamente, na implantação de um Sistema de gestão, além de materiais complementares como modelos de documentos e vídeos orientativos.

• A Consultoria On-Line tem como foco, não apenas as resoluções dos problemas, mas caminhos para identificação que visam a solução e o alcance do objetivo proposto;

• A consultoria pode ser 100% on-line e contar com uma auditoria presencial ao final, de acordo com a contratação.

• A plataforma pode ser acessada em qualquer horário e de qualquer lugar, sem necessidade de instalação de um software ou sistema.

• A plataforma também poderá ser acessada através de aplicativo, com ferramentas de comunicação.

Quais os benefícios de uma Consultoria Online?

O custo de uma Consultoria Online é bem inferior ao de uma consultoria presencial, uma vez que, praticamente, não haverá custos de logística. Além disso, a empresa tem total flexibilidade no processo, e não haverá interferência nas rotinas internas da organização. Há outros benefícios como, por exemplo:

• A empresa contará com todo o “know how” de uma consultoria convencional Verde Ghaia, que está há mais de 17 anos no mercado, aliada a uma tecnologia para facilitar a comunicação;

• Os consultores são experientes e possuem conhecimento em diversas áreas de negócios;

• Oferece suporte de um consultor especializado em certificações para orientar e esclarecer dúvidas.

• Plataforma oferece “Dashboard” para que você tenha total controle da utilização dos serviços.

• Todos os serviços prestados são de qualidade e certificados pela Verde Ghaia;

• A Verde Ghaia se compromete em manter as informações da sua organização em total sigilo.

Implantar um Sistema de Gestão da Qualidade e buscar a certificação internacional são decisões estratégicas, que vão influenciar de forma direta a condução dos negócios de uma empresa.

O processo pode ser feito de forma tranquila e trazendo resultados melhores para a empresa, desde que seja bem planejado e estruturado. Caso contrário, ele poderá gerar ruídos internos e impactar negativamente as rotinas e a produtividade, durante a implantação.

Por isso, é recomendável que a empresa tenha ao seu lado uma empresa de Consultoria qualificada, com profissionais especializados na norma e que possam desenvolver o planejamento de mudanças, respeitando a realidade da organização e trazendo o menor impacto para as rotinas produtivas. São por esses e outros motivos que a Consultoria é um importante investimento para a empresa que quer implantar um sistema de gestão e conquistar a certificação.

Afinal, a Consultoria será uma parceira para todos os momentos!

Assim, a Consultoria e os seus Consultores especializados tornam a implantação de um Sistema de Gestão e a certificação em processos eficazes e produtivos, diminuindo resistências internas, problemas com o clima organizacional e possibilidade de erros. Isso porque a Consultoria garante que todo o processo seja feito de forma planejada e sistematizada, respeitando as especificidades da empresa e conscientizando todas as partes interessadas sobre a importância do Sistema de Gestão e da Certificação para a melhoria dos resultados e para maior competitividade no mercado.

Implantar a ISO é fácil! Até mesmo para micro e pequenas empresas que desejam aumentar a satisfação de seus clientes ou conquistar novos mercados.

Fale com os nossos consultores e conheça mais sobre a Consultoria Online!

Vale a pena contratar Consultoria Online para conseguir a certificação?

 

A resposta, com toda certeza, é SIM! Implantar um Sistema de Gestão da Qualidade e buscar a certificação internacional são decisões estratégicas, que vão influenciar de forma direta a condução dos negócios de uma empresa.

O processo pode ser feito de forma tranquila e trazendo resultados melhores para a empresa, desde que seja bem planejado e estruturado. Caso contrário, ele poderá gerar ruídos internos e impactar negativamente as rotinas e a produtividade, durante a implantação.

Por isso, é recomendável que a empresa tenha ao seu lado uma empresa de Consultoria qualificada, com profissionais especializados na norma e que possam desenvolver o planejamento de mudanças, respeitando a realidade da organização e trazendo o menor impacto para as rotinas produtivas.

Como uma empresa de Consultoria pode te auxiliar

* Conhecimento da norma: a Consultoria conta com profissionais que são qualificados e especializados na norma e que vão ajudar a sua empresa a interpretar e entender o que precisa ser feito para se adequar aos requisitos normativos. Além disso, a Consultoria mostrará para a sua empresa como o realmente poderão trazer ganhos para os negócios.

* Diagnóstico e Planejamento: através da Consultoria, você entenderá como a empresa está atualmente e isso poderá lhe ajudar a se planejar para implementar, executar e gerenciar os itens normativos. O planejamento levará em conta a realidade da empresa, visando minimizar os impactos nos processos e nas rotinas produtivas.

* Comunicação e treinamento: a Consultoria desenvolverá um trabalho para orientar e conscientizar os responsáveis e demais colaboradores sobre a importância do processo para a empresa. Assim, conseguirá envolver e estimular a participação positiva dos colaboradores, minimizando resistências e ruídos internos em relação ao processo.

* Experiência e know how: a equipe de Consultores leva para o processo toda a experiência e know how adquiridos em todos os anos de Consultoria. Isso quer dizer que, além do conhecimento e da vivência, os Consultores apresentam modelos de documentos e registros (procedimentos); dicas de como conduzir melhor o processo, orientações para agilizar a execução da padronização e operação.

Com a Consultoria On-line da Verde Ghaia a empresa ainda poderá contar com modelos de planos de ações; respostas em tempo real aos seus questionamentos via chat; treinamento on-line da norma; acompanhamento diário das atividades e muito mais.

* Menor custo e maior benefício: com a experiência e a qualificação da Consultoria, a empresa conseguirá realizar a implantação com o menor tempo possível e com maior efetividade, o que representa ganhos para a gestão da empresa. Isso sem falar nos prejuízos evitados, seja pelo uso de uma mão de obra desqualificada (realocação de funcionário para atividade) e/ou possíveis passivos trabalhistas (consultor autônomo).

São por esses e outros motivos que a Consultoria é um importante investimento para a empresa que quer implantar um sistema de gestão e conquistar a certificação.

Afinal, a consultoria será uma parceiro para todos os momentos!  Aproveite para assistir ao nosso vídeo sobre Diagnóstico do Sistema de gestão, e entender como é possível identificar oportunidades de melhorias na sua gestão . Isso ajudará a elaborar um plano de ação para uma gestão moderna, eficiente e que atenda às exigências do mercado.

A Verde Ghaia conhece muito bem sobre Sistemas de Gestão, realizando implantação, ajudando organizações alcançarem as certificações, oferecendo tecnologia de ponta para monitoramento de requisitos legais aplicáveis bem como as conformidades legais.

e-book como funciona a consultoria online? consultoria online x presencial

Passo a passo e 4 dicas para conseguir sua certificação internacional

 

Pensando nisso, elaboramos um passo a passo e também quatro dicas infalíveis para você conseguir uma certificação da Norma ISO para o seu negócio. Confira a seguir tudo o que você precisa saber.

O que é uma certificação?

É uma certificação funciona como um reconhecimento, conferido por uma organização independente e habilitada. A empresa é avaliada quanto aos requisitos técnicos para obter uma certificação em determinado processo, produto ou ação.

O que é a ISO?

Criada em 1947 na Suíça a ISO – International Organization for Standardization ou em português, Organização Internacional para Padronização, tem como principal objetivo aprovar normas internacionais em todos os campos técnicos. Tais como: normas técnicas, classificações de países, normas de procedimentos e processos, para que assim, empresas do mundo todo possam trabalhar com um padrão reconhecido mundialmente e fazer negócios sem problemas. Visto que ambas seguem os padrões internacionais exigido pela norma.

Existe ISO no Brasil?

No Brasil, a aplicação e certificações da norma ISO são feitas pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. Dentre as certificação mais conhecidas e aplicadas no Brasil estão as normas: ISO 9000 / ISO 9001/ ISO 14000 / ISO 14064 / ISO 14000 / ISO 14064.

Como obter uma certificação ISO?

Para ser certificado, é preciso atender às exigências de cada norma durante o processo de auditoria. Porém, para que isso aconteça, muitas vezes são necessárias diversas adequações e eliminação de não-conformidades em diferentes processos da empresa. Para tornar o processo mais simples, aqui vai um passo a passo completo para sua empresa conseguir alcançar a certificação ISO.

Existem diversas certificações, como por exemplo, para a gestão da qualidade, segurança de alimentos, meio ambiente, responsabilidade social, segurança e saúde no trabalho e muitas outras. É importante que seja feita uma certificação, por vez, a fim de evitar problemas no cumprimento das exigências e a organização não ficar perdida com as ações corretivas necessárias para que a auditoria ocorra com tranquilidade.

Para escolher a certificação, é importante que seja feito mapeamento interno da organização, definido o que seria mais estratégico para obter um reconhecimento internacional. Por isso, alinhamento deve estar em conformidade com os objetivos organizacionais, tais como a missão, valores e a visão.

Após a definição da norma para certificação, é necessário identificar quais serão as áreas afetadas e que precisarão realizar mudanças, visando melhorias para atender aos requisitos da certificação. Saiba que é possível reduzir tempo e recurso para alcançar a sua certificação.

Formação de uma equipe focada na gestão da certificação

O terceiro passo é formar uma equipe com membros de diferentes áreas da organização, principalmente, àquelas relacionadas diretamente ao processo da certificação. Toda a organização deverá canalizar seus esforços na adequação dos processos interno, exigidas pela norma para a certificação. Não existe um número certo de colaboradores para compor esta equipe. Porém, é necessário lembrar que são grandes os esforços, além de necessários para ser uma empresa certificada. Portanto, quanto mais estratégico e focado for o time, melhor e mais próximo da certificação, você chegará.

Mapeamento dos processos

Agora, está na hora de mapear todos os processos, de todas as áreas que deverão passar pela auditoria. Não importa qual o tamanho e o impacto do processo. Todos devem ser mapeados e, cautelosamente descritos, para que possam ser acompanhados e analisados visando melhorias. Leia o nosso e-book e entenda melhor como funciona a relacao entre certificação ISO 9001 e aqualidade dos seus produtos e serviços.

Identifique as  não conformidades

Após mapear todos os processos é importante identificar as etapas que apresentam não-conformidades com os requisitos legais aplicáveis ao negócio ou que não atenda às exigências das normas ISO. Fique atento, pois este é um dos passos mais importantes e que poderá ser decisivo na hora de obter a certificação. Todos os detalhes devem ser analisados, bem como as consequências  quando as não-conformidades não são tratadas. Para isso, ajudar no monitoramento de não-conformidades, a Verde Ghaia, possui o módulo LIRA, muito útil no processo de certificação.

Elabore um plano de ação para as não-conformidades

Após a identificação é fundamental montar um plano de ação para corrigir todas as falhas que geram as não conformidades. Trace objetivos claros e tenha diferentes estratégias para a implementação de melhorias. Além disso, insira as possíveis correções para as NC e o tratamento de não conformidade no módulo LIRA do SOGI.

Analise os resultados obtidos

A mensuração de resultado garante que o plano de ação seja realmente eficiente e que resolva todos os problemas relacionados às consequências das não conformidades apontadas. Fique atento para garantir que todos os problemas foram mesmo resolvidos e/ou se ainda existem pendências que podem causar problemas.

Realize auditorias internas

Antes de realizar a auditoria para a certificação, é importante pedir à equipe, que realize auditorias internas. Salienta-se que essa auditoria seja fidedigna à realidade da organização. Pois, após a auditoria interna, ainda é possível tratar as Não Conformidades antes da auditoria com os Órgãos Certificadores. Portanto, é fundamental que você faça anotações para apontar resultados, gerar relatórios e compartilhar com todos os envolvidos, pois a partir de então, iniciam-se as mudanças necessárias exigidas pela Norma ISO.

Processo de melhoria contínua

Após todo o processo de certificação, a organização deve se certificar se os processos ainda estão sendo seguidos de maneira completa, a fim de atingir o processo de melhoria contínua, nas diferentes áreas da organização.

Dicas para a certificação internacional

Embora o processo de certificação pareça ser complexo, a organização pode realizá-lo com tranquilidade, visto que, a complexidade se dá mais ao campo da cultura organizacional do que processual. Por isso, reunimos algumas dicas que podem ajudar no momento da implementação ou da recertificação:

Dica 1: Tenha uma consultoria para obter a sua certificação

Obter uma certificação internacional, em qualquer uma das áreas, exige conhecimentos específicos e o envolvimento de profissionais que sejam especialistas na área. Por isso, contar com uma assessoria, online ou presencial, faz com que o processo seja feito com mais consistência e que a certificação venha de fato, tornando o processo mais otimizado e menos custoso.

Portanto, contratar empresas com renome é uma forma de garantir resultados. No Brasil há um grande número de consultores autônomos, que infelizmente, não oferece os mesmos benefícios que uma empresa especializada. Sendo assim, avalie bem os pós e o contra ao contratar os serviços de consultoria.

Dica 2: Escolha o momento certo para se certificar

Qual o momento certo para se certificar? Não há como definir o momento certo, mas a organização pode traçar planos, conforme o seu planejamento estratégico. Embora seja comum, as organizações buscarem pela certificação apenas quando precisam ter a vantagem competitiva. Fique atento, seja uma empresa certificada e que esteja entre os principais players do setor, com referência em processos e ações de qualidade, mantendo os padrões internacionais e em constante melhoria contínua.

Dica 3: Não deixe de fazer a migração da sua certificação

Quem já obteve a certificação, precisa se (re) certificar, pois a norma ISO 9001 e 14001 passaram por atualizações. Muitas organizações precisam realizar a migração das certificações, padronizando seus processos de acordo com as exigências mais recentes. Uma assessoria também pode auxiliar neste processo de maneira mais assertiva.

Dica 4: Olhe para o seu setor

Na hora de se certificar faça um estudo e identifique quais são as principais certificações que os concorrentes possuem, ou qual certificação poderá fazer seu negócio se sobressair em relação aos demais.

Agora que você já tem uma boa ideia do processo de certificação da Norma ISO, é importante partir para ação e enxergar na certificação uma oportunidade de elevar seus processos aos mais rigorosos padrões internacionais de qualidade, gestão do meio ambiente, responsabilidade social, segurança e saúde no trabalho.

Conte com o Grupo Verde Ghaia para fazer parte desse sucesso! Temos experiência no mercado, com mais de 20 anos de atuação, atendendo mais de 2.300 clientes de grande e médio porte, nacionais e internacionais.

E, se você é uma empresa micro ou pequena, temos serviços especializados com a mesma qualidade e que cabem no seu orçamento. Queremos te ajudar a crescer e se tornar competitivo no mercado globalizado.

Fale com a gente!!

Como fazer análise da perspectiva de Ciclo de Vida?

 

Ainda tem dúvida de como fazer análise da perspectiva de Ciclo de Vida?
Leia o nosso post e acabe com as dúvidas!

A atualização da ISO 14001, publicada em 2015, trouxe mais do que novos conceitos. A norma tem por objetivo trazer uma nova abordagem para alguns de seus requisitos. Dentre eles estão, a análise de riscos e oportunidades do negócio, dos processos, dos requisitos legais e aspectos ambientais da organização. Além do  levantamento de necessidades e expectativas de suas partes interessadas e a avaliação dos aspectos ambientais. Considerando-os uma perspectiva de ciclo de vida.

Uma nova abordagem sobre a ISO 14001

Esta nova abordagem leva a organização a ter um olhar ainda mais crítico sobre o quão preponderante é o seu negócio. E quais são as interferências efetivas de suas atividades, na rotina das partes interessadas. E, por fim, quais os reais impactos decorrentes de seus processos. A criticidade de cada um destes, precisa ser avaliada pela Alta Direção da organização.  A fim de que, a mesma determine como e qual o melhor momento para intervir. De tal modo, que seja possível potencializar tudo que for positivo e minimizar/mitigar tudo que for negativo.

Tratando-se do levantamento e avaliação dos aspectos ambientais, podemos aplicar, de forma genérica, esta mesma lógica. De acordo com a norma, a organização deve “determinar os aspectos ambientais de suas atividades, produtos e serviços.

De modo, que possa selecionar quais serão controlados e aqueles que possam influenciar seus impactos associados. Deve-se, portanto, considerar sempre a perspectiva de ciclo de vida”. Ou seja, enfatiza-se o objetivo do requisito 6.1.2 de que a organização avalie criticamente seus aspectos. E que também possa analisar quais ela conseguirá monitorar e até mesmo atuar. Podendo ser de forma direta ou indireta.

Exemplo prático – ISO 14001:2015

Citando um exemplo prático, algumas organizações se assustaram com este requisito. Isto pois, devido a seus produtos serem incorporados em vários outros, antes de chegarem até o consumidor final. Realizando, assim uma análise completa do ciclo de vida. Incluindo, portanto, o total controle e influência sobre estes, tornando-se um trabalho técnico e economicamente inviável.

Um conselho válido que os consultores da Verde Ghaia sempre dão aos seus clientes e que principalmente, tratando-se de novos conceitos, é a leitura dos anexos da norma. E, quanto a este assunto, o anexo ressalta que a organização é que determina a extensão do controle e da influência exercida. Isto é, o segredo é elaborar uma metodologia para Gerenciamento de Aspectos e Impactos Ambientais. Devendo, no entanto, incluir a análise do ciclo de vida. E assim, dizer da forma mais clara possível, como a organização irá definir os critérios de controle e influência. Devendo, portanto, estar de acordo com a sua realidade, para que realizar tudo aquilo que for identificado no levantamento de aspectos e impactos ambientais.

Sendo assim, no caso de produtos que são incorporados a vários outros, não necessariamente à organização, precisa ter o total controle e influência. Desde a matéria-prima até a destinação/disposição final.

Metodologia e análise do Ciclo de Vida

A empresa pode determinar em sua metodologia que irá fazer a análise do ciclo de vida, a partir dos aspectos gerados por cada atividade. E assim, definir um critério para riscos e oportunidades a partir da análise da perspectiva do ciclo de vida. Por exemplo, para o aspecto “Consumo de matéria-prima x”. A organização pode influenciar o seu provedor externo, priorizando comprar sua matéria-prima em empresas que possuem Certificação em ISO 14001.

Já para o aspecto “Geração de resíduos de plástico”, quando se tratar de produtos que se tornarão resíduos após chegar até o consumidor final, a organização pode avaliar a possibilidade de inserir em seus produtos a codificação. Informando, portanto, se aquele plástico é reciclável ou não. Buscando, potencializar a reciclagem deste material. Percebe-se que, em qualquer levantamento de aspectos, é considerado a análise de ciclo de vida. Consequentemente, surgirão diversas outras possibilidades de melhorias no processo para potencializar o controle e influência da organização.

Vale ressaltar que o segredo é a elaboração de uma metodologia coerente com a realidade da mesma. Assim, será muito mais simples atender à este requisito e não ter “não conformidade” relativa a isso na auditoria externa.

Bianca Rubia Braz Moreira
Consultora de Sistema de Gestão Integrado
Engenheira ambiental e sanitarista, com especialização em legislação ambiental e tratamento de resíduos e efluentes

Como associar perigos e riscos com riscos e oportunidades?

 

Gestão de Riscos e Oportunidades.

A nova ISO 45001 traz consigo o conceito de riscos e oportunidades. Da mesma forma, como as versões 2015 das ISO’s 9001 e 14001. Para a gestão da qualidade e gestão ambiental este conceito é mais claro. Isto porque não existem nas mesmas, o risco para o trabalhador. Mas, e na 45001? O que realmente difere o risco ocupacional do risco para um processo ou para o negócio?

Perigos e Riscos ou Riscos e Oportunidades?

A 45001 no requisito 6.1.2.2, fala de avaliação de riscos para a saúde e segurança do trabalho. Além disso, adentra outros riscos para o sistema de gestão de SST. Estes riscos para a saúde e segurança tratam exatamente dos riscos que já estamos habituados. Isto é, são riscos que trabalhamos desde a concepção da OHSAS 18001:2007. Entretanto, há outros riscos para o sistema de gestão como o próprio nome diz, falam do todo. Ou seja, o que pode impactar o sistema, e que pode comprometer toda a organização no que diz respeito a saúde e segurança ocupacional. E, consequentemente trazer malefícios para o negócio.

Ao realizar o levantamento de riscos para a saúde e segurança, podem ser realizadas confusões das oportunidades com os controles operacionais. Portanto, um certo cuidado deve ser mantido pois, nos dois casos estamos falando de prevenção de riscos. Porém, em um dos casos falamos de negócio e em outro falamos de pessoas, trabalhadores.

Tanto em um caso como no outro, devemos ter critérios para quantificar os riscos. E para tal, podemos utilizar a ISO 31000 como guia e as metodologias da ISO 31.010 para quantificação dos mesmos. A quantificação de riscos e oportunidades nos guiará, a fim de saber no que haverá atuação a curto, médio e longo prazo. E será importante a percepção do que está frágil para o negócio naquele momento. Já na quantificação de perigos e riscos para o trabalhador, definiremos critérios que vão desde a probabilidade e severidade de ocorrência para quantificação e definição de controles operacionais. Desse modo, visa-se eliminar ou mitigar os riscos.

É importante lembrar que um conjunto de riscos ocupacionais para o trabalhador pode resultar em um grave risco para o negócio. E por isso, deve-se dar importância das análises de dados. Elas vão nos auxiliar na verificação e apontar se não haverá mudanças nestes riscos. Além de apontar se surgirão novas oportunidades de acordo com a eficácia dos controles operacionais aplicados.

As Análises dos dados: ISO 45001

As análises de dados permitirão a realimentação do sistema de gestão como um todo. Além de contribuir para a tomada de decisões mais assertivas por parte da alta direção. É através dela que a liderança atua.  E daí, a importância de uma boa quantificação de perigos e riscos e de um bom levantamento de riscos e oportunidades.

É imprescindível, ao levantar riscos, não se esquecer dos requisitos legais aplicáveis. O atendimento a estes requisitos, pode trazer a organização diversos cenários. Dentre ele, um no qual a alta direção pode ter alterações no seu direcionamento estratégico. Visto que, há requisitos legais por exemplo, que demandam investimentos, mudanças e podem dar novo rumo aos objetivos da empresa.

A boa gestão de riscos e oportunidades dará às organizações uma visão sistêmica junto ao levantamento de perigos e riscos já existente. Desse modo, as ações poderão ser tomadas de modo preventivo. A tendência é que tenhamos recursos mais planejados. Sejam estes humanos, financeiros, tecnológicos, maior satisfação dos empregados e empregados mais saudáveis. Consequentemente, trazendo mais produtividade à organização. E por fim, menores passivos ao empregador.

É importante ressaltar que, para se atingir tais objetivos, o levantamento de perigos e riscos e riscos e oportunidades deve ser bem feito. E principalmente bem gerido. Uma boa gestão de riscos faz com que a empresa enxergue novos objetivos. E assim, traga os colaboradores para o sistema de gestão de modo assertivo e claro.

E-book sobre a nova versão da ISO 45001:2018

Após a publicação da nova versão da Norma ISO, nossos especialistas elaboraram um E-BOOK, pontuando as principais mudanças. Aproveite o momento e fique por dentro das novidades, acessando nosso BLOG.  Assim, você terá materiais diversos, nos quais nossos especialistas fazem uma breve intrepretação sobre as mudanças, processos e ainda dão dicas de orientação de migração. E claro, sobre relacionados aos diagnósticos.

1 Autora: Daniela Pedroza – Diretora Técnica do Grupo Verde Ghaia.

_________________________________________________

Conheça as principais mudanças da ISO 45001. Baixe grátis nosso e-book da ISO 45001 clique abaixo:

Principais Mudanças da ISO 45001

ISO 45001 – Principais mudanças

Conheça a nova versão da ISO 45001

Blog VG