Arquivos Sistema de Gestão Ambiental | Grupo Verde Ghaia
×

O que é Auditoria Ambiental?

 

A auditoria ambiental é considerada um dos métodos de gestão mais relevantes para o controle e monitoramento dos processos das empresas relacionada ao aspecto ambiental. Através dessa ferramenta, é possível identificar as oportunidades de melhoria, de forma objetiva, podendo avaliar as evidências de auditoria para determinar se as atividades estão em conformidade com os critérios de auditoria, podendo comunicar os resultados deste processo aos clientes e partes interessadas.

O que é importante saber sobre Auditoria Ambiental?

É importante que os profissionais da área ambiental, que estejam à frente de decisões das empresas plausíveis de causar alguma poluição ao meio ambiente, possam em nome da organização adotar medidas preventivas de forma a mitigar impactos que poderão decorrer das atividades ou mesmo como forma de gerenciamento eficaz de seus processos.

Além disso, é importante conhecer temas relacionados a: tipos e princípios da auditoria ambiental; a importância da auditoria ambiental relacionada ao cumprimento das obrigações legais ambientais; a realização na prática (abordando alguns dos principais temas normativos ambientais); alinhamento das atividades econômicas das organizações considerando a preservação ao meio ambiente e respeito à sociedade.

É fundamental que o processo de Auditoria seja (re)conhecido pelas empresas. É um investimento que gera impactos positivos  para as organizações que mantém a prática de realiza-las,  para a sociedade, agregando valor às organizações,  tanto no mercado interno como o externo.

Como eram as Auditorias Ambientais?

A preocupação das organizações que implementam um sistema de gestão ambiental tem se mostrado crescente nos últimos anos, demonstrando o interesse em compreender as normas ambientais em consonância com suas atividades, de forma a reduzir os danos causados ao meio ambiente.

Essa postura adotada amplia as possibilidades de crescimento do negócio, uma vez que a empresa associa sua marca à boas práticas verde e ecologicamente corretas. Mas essa preocupação, somente surgiu pouco depois da metade do século XX, visto que anterior a isso, as empresas não se preocupavam com os impactos que suas atividades poderiam causar ao meio ambiente. Sem mencionar, que naquela época, a legislação era obsoleta e não havia fiscalização suficiente. Somente após a ocorrência de acidentes ambientais é que os Órgãos responsáveis passaram a se preocupar, focando em ações que possibilitavam remediar a ocorrência, para então decidir como minimizar os danos.

Mas, foi somente a partir da década de 70, nos Estados Unidos, surgiram as auditorias ambientais com o principal objetivo de verificar o cumprimento da legislação. Naquela época, as indústrias de energia, petroquímicas e químicas, estavam sujeitas a graves acidentes ambientais, além de econômicos e sociais. Esse fato, levou ao surgimento das auditorias ambientais como obrigações impostas por agências reguladoras após acidentes graves.

Conceito de Auditoria Ambiental

Após esse processo de conscientização dos cuidados ao meio ambiente, é que surgiu então, o conceito de Auditorias Ambientais. Esse conceito é visto como:

“um processo sistemático e documentado de verificação, realizado para obter e avaliar, de forma objetiva, evidências de auditorias para determinar se a atividades, eventos, sistemas de gestão e condições ambientais especificados, ou as informações relacionadas a estes estão em conformidade com os critérios de auditoria, e para comunicar os resultados deste processo ao cliente.” (Definição da norma ISO 14.010)

A partir desse conceito, percebeu-se que o objetivo das auditoras ambientais era o de otimizar o gerenciamento das atividades ambientais realizadas pelos empreendimentos, além de avaliar as conformidades atendendo aos requisitos exigidos pelos órgãos de controle do meio ambiente.

Competências e características da Auditoria Ambiental

As auditorias ambientais são realizadas por profissionais que dominam o tema auditado, com base em suas competências (formação, conhecimento e experiências). Envolvem três partes:

  • empresa auditada;
  • um representante da auditada (guia da auditoria) e;
  • o auditor

Pode conter mais de um escopo (por exemplo: Indústria e Centros de Distribuição) e são realizadas por pessoas alheias ás atividades auditadas. Ou seja, em algumas modalidades podem até ser realizadas por pessoas da mesma organização, mas desde que não pertençam nem sejam subordinadas ou dependentes da área auditada.

Dentre as características de um programa de auditoria ambiental, deve-se destacar:

  • Possuir o escopo e objetivos claros e definidos;
  • Prioridades por unidades mais complexas, se deixar as menos complexas de lado;
  • Apoio geral e organização eficaz;
  • Domínio na atividade de auditoria do profissional que conduz o trabalho.

Considerando a classificação de acordo com a parte autora, a auditoria se subdivide em:

  1. Auditoria ambiental de primeira parte, é constituída por um grupo de pessoas da própria organização auditada;
  2. Auditoria Ambiental de segunda parte, é realizada por uma equipe que tenha interesse direto na gestão ambiental da organização auditada. Este pode ter poder legal ou de negociação para exigir a auditoria;
  3. Auditoria ambiental de terceira parte, realizada por empresa contatada que não possua interesse nos impactos causados pela organização.

Critérios Adotados nas Auditorias Ambientais

De acordo com os critérios da auditoria, estes são classificados quanto:

  • Auditoria de Sistemas de Gestão, verificara o cumprimento das normas, procedimentos e critérios adotados pela organização;
  • Auditoria de Conformidade legal que verificará o cumprimento dos requisitos legais, condicionantes e outros requisitos de forma estruturada e sistêmica através de um auditor habilitado e com conhecimento em sistema de gestão.

E, por fim, considerando a classificação de acordo com os objetivos da auditoria:

  • Auditoria ambiental de acompanhamento, verifica se as condições estabelecidas em uma auditoria anterior estão sendo cumpridas;
  • Auditoria compulsória tem por finalidade o cumprimento de exigência legal em relação à auditoria ambiental;
  • Auditoria ambiental de certificação tem por objetivo verificar a conformidade da organização com os objetivos estabelecidos pelas normas, nas quais a empresa deseja se certificar atendendo aos requisitos definidos na norma ISO 14001 – 2015;
  • Auditoria ambiental de verificação de correção ou follow-up objetiva, verificar se as não conformidades identificadas em auditorias anteriores foram sanadas;
  • Auditoria ambiental de responsabilidade ou due diligence que irá avaliar os custos e riscos relacionados à passivos ambientais da organização;
  • Auditoria ambiental de sítio determinada a avaliar o grau de contaminação de determinado local, a fim de identificar algum passivo ambiental;
  • Auditoria de processo que visa a otimização da gestão de recursos, com o objetivo de melhorar a eficiência do processo produtivo e reduzir a geração de resíduos, uso de energia e outros insumos.

Papel do Auditor Ambiental

O auditor ambiental tem papel fundamental no processo de auditoria, pois será ele o responsável por fazer a avaliação sistemática, documentada periódica e objetiva das informações, além de coletar dados através de entrevistas, comparando os dados com os critérios da auditoria.

Assim, verifica-se que as auditorias ambientais possuem objetivos de identificação e documentação do status da conformidade ambiental, o auxilio em melhorar o desempenho ambiental das organizações, o aperfeiçoamento do sistema de gestão ambiental, a proteção da organização em relação às suas responsabilidades ambientais, além de desenvolver uma base para a utilização de adequada dos recursos ambientais.


Conheça o curso EAD da Verde Ghaia sobre Auditoria Ambiental. Quer mais informações? Fale conosco!

Auditoria de Conformidade Legal e o atendimentos às obrigações

 

Auditoria de Conformidade Legal: quais obrigações as empresas precisam atender?

A Auditoria de Conformidade Legal (ACL) é uma inspeção detalhada realizada por engenheiros qualificados nas instalações de determinada empresa a fim de periciar a situação na qual ela se encontra.

Os responsáveis pela auditoria farão laudos listando todos os problemas detectados para que estes sejam resolvidos pelas equipes responsáveis. Em geral, a ACL vai focar nos requisitos legais que devem atender à legislação municipal, estadual e federal, e também nos requisitos legais aplicáveis às atividades daquela empresa, ou seja, aqueles específicos da atividade que ela exerce.

A Auditoria de Conformidade Legal é importantíssima para que a empresa se adeque às boas práticas, evitando receber multas, autuações e até mesmo sofrer a paralisação de suas atividades por não estar seguindo a lei.

Uma auditoria vai detectar rapidamente caso a empresa esteja deixando de cumprir alguma questão importante. Além disso, também é uma grande oportunidade para a empresa antever seus problemas e possíveis ameaças, além de melhorar seus processos e reforçar a segurança de seus funcionários e colaboradores.

A implementação da Auditoria de Conformidade Legal

A implementação da Auditoria de Conformidade Legal
Como o Módulo TNC ajuda a sua gestão a tratar as não-conformidades?

Alguns passos básicos auxiliam na formatação dos requisitos principais para se implementar a ACL. Conheça-os abaixo:

Reuniões internas: meses antes da auditoria, realize reuniões de modo que os gestores de todos os setores possam contribuir. Essa etapa é muito importante para se conhecer as metodologias e processos de todas as áreas. Quanto mais definidos os processos estiverem, mais fácil será o trabalho posterior dos auditores. Inclusive, é muito útil criar uma lista de verificação de itens críticos a serem auditados.

Análise de processos: busque compreender e analisar todas as atividades realizadas por sua empresa, sejam elas diretas ou indiretas. Estabeleça o escopo das atividades e liste todas as unidades, instalações e processos.

Preparação da equipe: a auditoria propriamente dita envolverá uma série de entrevistas, análise de documentos, visitas e buscas por evidências. Garanta que toda a sua equipe seja colaborativa com os auditores. Se alguma área estiver necessitando de organização (principalmente da papelada), este é o momento de fazê-lo.

Prazo para a solução de problemas: ao fim da auditoria, a empresa normalmente recebe um relatório listando todas as não conformidades e a justificativa legal do que não foi cumprido. Depois que este documento tiver sido entregue, a empresa deverá montar um cronograma dentro do qual todos os problemas identificados devem ser resolvidos.

Ajuda especializada: nosso país possui muitas leis, decretos, portarias, resoluções e instruções, por isso é recomendável que a equipe responsável pela auditoria não apenas detenha pleno conhecimento das leis, como saiba interpretá-las corretamente. Escolha seus auditores com propriedade.

Obrigações exigidas em uma Auditoria de Conformidade Legal

Embora seja essencial se concentrar nos requisitos legais mais críticos às atividades de sua organização, é importante também focar em questões pertinentes a todas as empresas, como o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) e fichas de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) de cada trabalhador.

Abaixo, alguns itens que devem ser essencialmente abordados num ACL, bem como as leis e Normas Regulamentadoras que abordam cada um deles e que podem servir como parâmetro na elaboração do plano de auditoria. Lembrando que todos os itens abaixo são de regimento federal e que nenhum deles isenta sua empresa de se adequar aos requisitos de regimento municipal e estadual.

Licenciamento ambiental. Lei 6.938/81, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, e Resolução CONAMA 237/97, que dispõe sobre o licenciamento ambiental.

Resíduos. Lei 12.305/10, institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Consumo de recursos hídricos e avaliação de potabilidade da água. Lei 9.433/97, que institui a Política Nacional de Recursos Hídricos; e Portaria Federal do Ministério da Saúde 2.914/11, que abrange questões sobre a água destinada ao consumo humano.

Efluentes líquidos. Resolução Federal CONAMA 430/2011, que determina condições, parâmetros, padrões e diretrizes para o lançamento de efluentes em corpos d’água receptores, redes coletoras e emissários submarinos.

Condições de trabalho. NR09, que dispõe sobre a elaboração e implementação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA); NR15, que rege as operações insalubres; NR 07, que dispõe sobre a elaboração e implementação do Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO).

Eletricidade. NR 10, que fixa as condições mínimas para garantir a segurança de colaboradores que lidam com instalações elétricas.

Máquinas e equipamentos. NR11 e NR12.

Prevenção e combate a incêndio. NR-23, que dispõe sobre a prevenção e combate a incêndio no ambiente de trabalho.

E se houver não conformidades?

Caso não conformidades sejam identificadas, é muito importante não realizar o “jogo da culpa” dentro da empresa; ou seja: assumir posturas acusatórias e repletas de censura, apenas apontando culpados e causando conflitos. Esse tipo de atitude só afasta o funcionário de um processo de Auditoria Legal, que jamais deve ter a intenção de causar rejeição ou até medo.

É essencial identificar a causa da não conformidade per se, como objeto da questão, e principalmente se concentrar em tratá-la. Elabore planos de ação e também de prevenção. Ou seja: trate a causa e depois crie planos para que não haja reincidência.

Considerações Finais

Todo o processo que envolve uma auditoria, desde o momento que a antecede até a avaliação dos resultados, é sempre muito trabalhoso, mas os resultados valem a pena.

A empresa que realiza a Auditoria de Conformidade Legal com regularidade está sempre preparada. Ela pode fechar contratos com novos clientes a qualquer momento, sem se preocupar com possíveis embargos de última hora. Ela está pronta para receber fiscais trabalhistas ou ambientais, pois sabe que estará em conformidade. Ela terá evidências para demonstrar que segue a lei.

Além disso, estar em conformidade é o passo principal para obter as certificações ISO, que conferem extrema confiabilidade ao negócio.

Etapas para identificação e avaliação de aspectos ambientais conforme a ISO 14001

 

Podemos definir Aspectos Ambientais como elementos das atividades, produtos ou serviços de uma organização que podem interagir com o meio ambiente, causando ou podendo causar impactos ambientais, sejam eles positivos ou negativos.

identificação e avaliação de aspectos ambientais conforme a ISO 14001

Os impactos ambientais positivos são, como o próprio nome indica, aqueles que trazem modificações positivas ao ambiente, tais como o replantio de árvores, a limpeza de rios e o aumento da população de espécies sob risco de extinção. Já os impactos ambientais negativos, são os velhos conhecidos que temos tentado mitigar cada vez mais: despejo de resíduos poluentes em rios, aumento da emissão de gás carbônico, extinção de espécies da fauna e flora e muitos outros.

Quando avaliamos os aspectos ambientais de uma empresa, estamos analisando todos os fatores que de alguma forma podem afetar o meio ambiente, ou seja, causar algum tipo de impacto. O aspecto ambiental é a causa e impacto ambiental é o efeito.

O Levantamento de Aspectos e Impactos Ambientais (LAIA) de uma organização é umas das etapas mais importantes para a implementação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) eficaz, e um dos requisitos para uma empresa conseguir um licenciamento ambiental, por exemplo.

O Sistema de Gestão Ambiental tem como função exatamente amenizar o impacto ambiental negativo e, se possível, criar o impacto ambiental positivo.

Embora o LAIA não seja obrigatório por lei, sua execução não só evita multas e sanções legais devido ao descumprimento de leis ambientais, com também evita desastres.

No caso da tragédia de Brumadinho no início de 2019, podemos dizer que houve falha no Sistema de Gestão Ambiental. Mesmo sob a visão de um leigo, ficou evidente que a Vale do Rio Doce negligenciou os impactos ambientais de sua operação de armazenamento de rejeitos e não tomou as medidas corretas para minimizar os riscos de acidentes. O resultado todos nós conhecemos: uma tragédia ambiental e humana inenarrável.

Escopo do Sistema de Gestão Ambiental

Escopo do Sistema de Gestão Ambiental

Um sistema de Gestão Ambiental deve ser capaz de compreender todos os processos da atividade de uma organização, para assim avaliar e controlar os impactos ambientais significativos decorrentes de suas ações. Para isto, é necessário a montagem de um escopo.

O escopo de um SGA deve conter a descrição do objetivo do programa de gestão, cada requisito a ser cumprido, suas prerrogativas, suas restrições e a estimativa de tempo de implantação e execução. O acompanhamento das medidas implementadas deve ser constante.

O SGA pode ser aplicado apenas em algumas unidades, localidades ou departamentos de uma empresa, mas o ideal mesmo é que o Sistema de Gestão Ambiental abarque toda uma organização, já que impactos ambientais podem vir de qualquer lugar, até mesmo daquela inocente torneira pingando no banheiro dos colaboradores.

A criação de uma matriz também vai auxiliar na identificação de cada aspecto e seu respectivo impacto ambiental, fornecendo mais precisão nas informações, principalmente no que diz respeito ao grau de risco e grau de significância de cada um. Ao avaliar a significância você deve considerar alguns aspectos: o potencial daquele aspecto para causar dano ambiental; tamanho e frequência do aspecto; a importância daquele risco para as partes interessadas da organização; os requisitos de legislação ambiental relevante

Uma boa medida para criar o SGA é seguir os passos da ISO 14001, que fornece praticamente todas as diretrizes para se construir um Sistema de Gestão Ambiental adequado.

ISO 14001 – Levantamento de Aspectos e Impactos

ISO 14001 - Levantamento de Aspectos e Impactos

A ISO 14001 é responsável por especificar os requisitos mais relevantes de um Sistema de Gestão Ambiental, permitindo assim à organização desenvolver uma estrutura para proteger o meio ambiente com uma resposta rápida a quaisquer mudanças das condições ambientais. É uma norma que visa basicamente resolver, mitigar ou prevenir problemas ambientais.

A ISO 14001 é baseada no ciclo de melhoria PDCA (Plan-Do-Check-Act/Adjust), o método utilizado na Gestão da Qualidade para organização dos processos de uma empresa. Em bom português, podemos comparar à estrutura abaixo:

ISO 14001 - Levantamento de Aspectos e Impactos

AISO 14001 também aborda a questão de riscos e oportunidades, ou seja, efeitos potenciais adversos (ameaças) e efeitos benéficos (oportunidades) no escopo da Gestão Ambiental. No caso dos riscos, a gestão tem caráter preventivo.

E nas questões das oportunidades, o mapeamento dos processos ajuda a identificá-las e geri-las. Uma empresa que gera resíduos sólidos, por exemplo, pode vislumbrar maneiras de revendê-los como matéria prima a outra companhia, obtendo assim mais uma fonte de lucro e ainda mantendo o desenvolvimento sustentável. Tanto os riscos quanto as oportunidades identificados devem ser tratados, cada um dentro de sua pertinência — é comum muitas empresas cometerem a falha de abordar apenas os riscos negativos e ignorarem as oportunidades.

Já vimos que o Levantamento de Aspectos e Impactos ambientais não é obrigatório por lei, porém é obrigatório para toda empresa que deseja conquistar o certificado ISO 14001. Obter o selo ISO 14001 demonstra que a organização possui comprometimento com práticas sustentáveis, fortalecendo sua imagem e melhorando assim o fluxo de seus negócios como um todo. Além disso, abre a possibilidade de trabalhar com mercados no exterior, evita multas ambientais que podem inviabilizar o negócio e ainda provém a vantagem de obter financiamentos a juros mais baixos.

Quem pode realizar o levantamento de aspectos e impactos ambientais?

O levantamento de aspectos e impactos ambientais pode ser executado por funcionários da própria empresa, desde que este possua conhecimentos plenos sobre gestão ambiental. Mas caso não haja especialistas em meio ambiente, a empresa deve estar ciente de que estará mais vulnerável a riscos não controlados.

Além disso, um Sistema de Gestão Ambiental pode frequentemente se revelar mais complicado do que o necessário, por isso é sempre bom contar com um especialista.

Considerações Finais

Hoje, é impensável que uma empresa sobreviva sem se preocupar com a sustentabilidade ambiental de seu negócio.

A empresa que monta um bom Sistema de Gestão Ambiental e principalmente segue as diretrizes da ISO 14001, reduz de riscos de acidentes, de sanções legais, aumenta a qualidade de seus produtos, serviços e processos, economiza em matéria-prima, água e energia, capta mais e mais clientes, melhora sua imagem e, principalmente, preserva o planeta.


Informe-se mais sobre o tema

Entenda sobre o que é ciclo de vida de um produto e qual a importância para a organização

 

A nova versão da ISO 14001 veio com muitas vantagens e mudanças que tem o intuito de beneficiar ainda mais as empresas. No artigo de hoje, temos o objetivo de explicar uma das abordagens que está na norma: o Ciclo de Vida do Produto.

É muito importante que você entenda o conceito do Ciclo de Vida do Produto. Dessa forma, será mais fácil de enxergar como os impactos ambientais afetam as atividades da sua empresa de uma forma geral.

Também vamos explicar como o Ciclo de Vida do Produto, no ponto de vista da Norma ISO 14001 auxilia uma empresa. Além disso, também será elencado algumas situações, para que você entenda que há algumas que podem impactar os objetivos do seu negócio.

Não deixe de conferir e boa leitura!

O que é Ciclo de Vida do Produto?

A norma ISO 14001, define o termo Ciclo de Vida do Produto da seguinte forma:

“Estágios consecutivos e encadeados de um sistema de produto (ou serviço). Desde a geração ou aquisição da matéria-prima, por meio de recursos naturais até a disposição final. “

Na prática, o que significa, então, o Ciclo de Vida do Produto? Ele diz respeito ao input inicial até o output final do produto. Para que você entenda melhor essa definição, veja o exemplo mostrado logo abaixo:

Aquisição da matéria-prima → Projeto → Produção → Transporte / Entrega → Uso → Tratamento pós-uso → Disposição final

O exemplo acima mostra todos os itens do Ciclo de Vida de um produto que pertencem ao SGA, isto é, o Sistema de Gestão Ambiental. Pelo exemplo acima, ficou mais claro o que significa, não é mesmo?

Em resumo, o Ciclo de Vida do Produto é todo o processo de transformação de uma matéria-prima, em um produto final. Até chegar ao cliente final. Sendo assim, o Ciclo de Vida se encerra quando o consumidor descarta o elemento usado.  

Por que o Ciclo de Vida do Produto é importante?

O conceito do Ciclo de Vida do Produto é importante porque ele ajuda as empresas na Gestão Ambiental, além dos seus limites ambientais. Com isso, a visão das empresas com relação ao Sistema de Gestão Ambiental torna-se mais ampla.

Antes a empresa tinha foco apenas no processo de fabricação. Com a mudança na norma da ISO 14001, a empresa pode sentir todos os impactos que o consumidor final possa vir a ter. Vamos a um exemplo prático para que você possa entender melhor.

Imagine que uma empresa é fabricante de um determinado produto que possui alto nível de impacto ambiental. Essa empresa não deve pensar somente em como evitar o contato desse componente com o meio ambiente. É preciso que a organização pense também em alertar o consumidor final sobre os perigos desse componente.

Foi por isso que o conceito de Ciclo de Vida do Produto foi colocado na nova versão da ISO 14001. Dessa forma, é possível que as organizações identifiquem os impactos que suas atividades possam vir a causar, independentemente de serem internos ou externos.

A relação do Ciclo de Vida do Produto com a ISO 14001

Na ISO 14001 existe a possibilidade de analisar, o tempo inteiro, a perspectiva do Ciclo de Vida do Produto. Isso acontece, especialmente, quando a empresa entende que existem vários acontecimentos diferentes. E isso vale para aspectos e impactos ambientais em diversas situações.

Podemos exemplificar para ficar mais fácil a compreensão. Vamos analisar o requisito 8.1 que verifica o planejamento e controle de uma operação. Mas, antes disso, vamos relembrar o que a norma diz.

A empresa “deve estabelecer, implementar, controlar e manter os processos necessários para atender os requisitos do Sistema de Gestão Ambiental…”.

Isso significa que uma empresa precisa ficar atenta e acompanhar de perto todas as operações que ocorrem dentro da organização. Além disso, vale ressaltar que tudo precisa estar conforme as exigências feitas pelo Sistema de Gestão Ambiental.

Agora vamos relacionar o requisito 8.1 com o Ciclo de Vida do Produto. Fazendo essa relação, você vai entender que algumas ações devem ser realizadas pela empresa.

  • Estabelecer os requisitos ambientais para a aquisição de serviços e produtos;
  • Determinar formas de controlar todos os requisitos ambientais no projeto de desenvolvimento de um produto ou serviço. É preciso levar em consideração todos os estágios do Ciclo de Vida do Produto;
  •  Avisar todos os requisitos ambientais para provedores externos, inclusive pessoas contratadas;
  • Comunicar sobre impactos ambientais ocasionados pelo transporte ou pela entrega, tratamento, utilização, pós-utilização e disposição final de todos os serviços ou produtos.

Vale ressaltar que as ações ditas acima são obrigatórias. Cabe a empresa pensar em formas de colocá-las em prática.

Uma breve explicação sobre o item anterior

Após entender sobre todos os pontos ditos anteriormente, acredito que você tenha percebido algo muito importante. O planejamento e o controle das operações não irão alcançar apenas a parte inicial, da entrada das matérias-primas. Eles também vão alcançar o consumidor final, referente a forma de utilização do produto ou serviço.

Exemplos de situações comuns que podem impactar os objetivos do seu negócio

Há algumas situações, que são bem comuns, que podem acabar prejudicando as organizações. E isso vale, independentemente, de serem empresas pequenas ou grandes. Por isso, é importante que as empresas tenham cuidado, não deixando de focar no controle e no planejamento.

Abaixo você confere alguns exemplos de situações que podem impactar os objetivos da sua empresa:

  • Uma matéria-prima que contenha alguma propriedade prejudicial ao meio ambiente precisa ser conduzida de forma correta para seu processo de fabricação;
  • Uma embalagem que precisa de anos para se decompor no solo, precisa ser descartada em locais apropriados pelo seu consumidor final;
  • Um produto que contenha níveis altos de periculosidade, precisam e devem ser transportados seguindo um grande rigor técnico;

Essas são apenas alguns exemplos de atitudes que seu SGA, Sistema de Gestão Ambiental, precisa englobar. Dessa forma, é possível evitar todo e qualquer impacto negativo que sua empresa pode causar ao meio ambiente.

Vale ressaltar ainda, que essa conscientização precisa acontecer tanto dentro, como fora da empresa, como no item 2. Não adianta a empresa tomar todas as precauções necessárias e o seu cliente final não seguir com as regras.

Se for preciso, além do Sistema de Gestão Ambiental, esses itens também podem ser englobados através de auditorias ambientais. O objetivo é apenas um: minimizar os impactos ambientais que possam aparecer durante o Ciclo de Vida do Produto.

O que se pode concluir sobre o Ciclo de Vida de um Produto?

Nesse artigo, percebemos a importância do Ciclo de Vida do Produto. Vamos recapitular as fases que ele possui?

Aquisição da matéria-prima → Projeto → Produção → Transporte / Entrega → Uso → Tratamento pós-uso → Disposição final

Entendemos ainda porque foi necessário que a norma ISO 14001 sofresse modificações. É possível concluir que essas mudanças foram importantes para que os impactos ambientais sejam cada vez mais minimizados por empresas de vários setores.

Vale ressaltar ainda que o Ciclo de Vida do Produto não ocorre apenas dentro da empresa. Como foi visto, ele precisa partir do início da fabricação da matéria-prima e deve seguir até o seu destinatário final. É dessa forma que os impactos ambientais serão evitados.

Espero que você tenha entendido como funciona o Ciclo de Vida do Produto e sua importância.

Qualquer dúvida, não deixe de entrar em contato conosco.

Até mais!

ISO 19011: Conheça os benefícios da Auditoria em Sistema de Gestão

 

A ISO19011 fornece orientação para todos os tipos e tamanhos de organizações, bem como auditorias de variados escopos e dimensões, incluindo aquelas conduzidas por grandes equipes de auditoria, usualmente de organizações maiores, além daquelas conduzidas por auditores únicos, em organizações grandes ou pequenas.

Convém que esta seja adaptada conforme for apropriado ao escopo, complexidade e dimensão do programa de Auditoria da sua organização.

É aplicável para auditorias internas (primeira parte) e auditorias conduzidas por organizações em seus fornecedores externos e outras partes interessadas externas (segunda parte).

A norma ISO 19011

1. Princípios de Auditoria,que nos ajudam a entender a natureza essencial de uma auditoria;

2. Gerenciamento de um Programa de Auditoria,que fornece orientação para gestão de um programa de auditoria, considerando responsabilidade, objetivos, coordenação de atividades e disponibilização de recursos;

3. Atividades de Auditorias, que englobam as orientações sobre a realização de auditorias, inclusive a seleção da equipe auditora;

4. Competência e Avaliação de Auditores comorientação sobre a competência necessária a um auditor.

Este documento deve ser aplicado a uma ampla gama de potenciais usuários, incluindo auditores, organizações que implementam sistemas de gestão, bem como organizações que necessitam conduzir auditorias de sistemas de gestão por razões contratuais ou regulamentares.

Usuários deste documento podem, no entanto, aplicar esta orientação para desenvolver seus próprios requisitos relacionados à auditoria. A orientação contida neste documento pode ser útil para organizações envolvidas em treinamento de auditores ou certificação de pessoal.

O uso destas recomendações pode variar, dependendo do tamanho e do nível de maturidade do sistema de gestão de uma organização. Convém também, que sejam consideradas a natureza e a complexidade da organização a ser auditada, assim como, os objetivos e o escopo das auditorias a serem conduzidas.

Este documento fornece orientação para o gerenciamento de um programa de auditoria, sobre o planejamento e a condução de auditoria de sistemas de gestão, assim como sobre a competência e a avaliação de um auditor e de uma equipe de auditoria.

O conteúdo adota a abordagem de auditoria combinada, quando dois ou mais sistemas de gestão de diferentes disciplinas são auditados em conjunto. Quando estes sistemas são integrados em um sistema de gestão único, os princípios e processos de auditoria são os mesmos que para uma auditoria combinada (às vezes conhecida como uma auditoria integrada).

Auditoria Interna

O intuito da auditoria interna é auxiliar qualquer organização a alcançar seus objetivos através de uma abordagem sistêmica para melhoria dos processos de gerenciamento de riscos e busca de oportunidades para adicionar valor, melhorar as operações e resultados da empresa.

O auditor interno deve preocupar-se com qualquer fase das atividades da empresa que possa preocupar a Alta direção. Para conseguir o cumprimento deste objetivo geral, há necessidade de desempenhar algumas atividades estabelecidas.

Atividades para alcance dos objetivos

1. Revisar e avaliar a eficácia, suficiência e aplicação dos controles operacionais;

2. Determinar a extensão do cumprimento das normas e procedimentos vigentes;

3. Determinar a extensão dos controles sobre a existência dos ativos da empresa;

4. Determinar o grau de confiança, das informações e dados da empresa;

5. Avaliar a qualidade alcançada na execução de tarefas determinadas para o cumprimento das respectivas responsabilidades;

6. Avaliar os riscos estratégicos e de negócio da organização;

7. Garantir / consolidar a implementação do sistema através da contínua retroalimentação de informações;

8. Fornecer elementos ao gerenciamento da empresa, para auxiliar o processo de análise crítica pela administração;

9. Dar confiança ao cliente (externo ou interno), garantindo qualidade, controle ambiental, de segurança e/ou saúde ocupacional;

10. Verificar se as “regras” estabelecidas estão sendo aplicadas e se são pertinentes;

11. Contribuir para a melhoria do sistema de gestão.

Em relação à gestão do departamento responsável por realizar auditorias internas, um ponto a ser observado é a autonomia e independência. Nesse sentido, o nível ao qual o departamento se reporta pode indicar o grau de independência e autonomia dos auditores internos.

Para que esta autonomia e independência possam ser consideradas adequadas, torna-se necessário que a auditoria interna se reporte a Alta Direção, de modo a poder realmente escapar das ingerências e pressões, bem como manter a liberdade de agir sobre todas as áreas da organização, sem restrições.

Benefícios da Auditoria Interna

É imprescindível a utilização de ferramentas eficazes de controle e avaliação de todas as suas áreas e seus processos de trabalho. Reduzir e, se possível, eliminar a possibilidade de erros é, muitas vezes, sinônimo de sobrevivência empresarial. Abaixo, alguns benefícios a serem alcançados através das práticas de auditoria interna:

1. Proporcionar maior confiança ao gerenciamento;

2. Promover maior confiança aos clientes e uma boa imagem junto às partes interessadas;

3. Facilitar a comunicação entre as várias partes da empresa;

4. Identificar problemas operacionais e prevenir acidentes;

5. Identificar oportunidade de melhorias;

6. Realimentar o sistema através de ações corretivas e preventivas;

7. Analisar e avaliar sistematicamente os sistemas de controles internos das organizações, visando maior transparência e confiança nas operações realizadas pelas empresas.

ebook sobre auditoria de sistema de gestão conforme a Norma ISO 19011
E-book Auditoria de Sistema de Gestão – ISO 19011

Perguntas e Respostas sobre as principais Normas ISO e Auditoria

 

1.Quais os motivos que levam as organizações a buscarem a certificação ISO

Todas as organizações deveriam buscar se desenvolver com foco em soluções para a gestão legal, direcionando suas energias para as áreas de meio ambiente, saúde e segurança no trabalho, responsabilidade social, qualidade, segurança de alimentos e mudanças climáticas.

Desse modo, seus produtos e serviços contariam com um sistema de gestão (de acordo com as normas internacionais), contribuindo na melhoria contínua de seus processos. Além disso, com contratações periódicas de auditoria, bem como o monitoramento da legislação aplicável ao seu negócio as organizações poderiam seguir de forma tranquila através do princípio da Prevenção.

Conquistar a certificação ou a certificação integrada nas normais internacionais – ISO14001 (meio ambiente), ISO9001 (qualidade), SA8000 (responsabilidade social) e ISO 45001 (saúde e segurança no trabalho) é uma forma do mercado enxergar a conduta e o comprometimento com o Desenvolvimento sustentável de qualquer organização.

2. Quais benefícios e contribuições a certificação pode trazer para a Organização?

a. Padronização e melhor gestão dos processos e atividades da empresa;

b. Gerenciamento das obrigações legais da empresa, com acompanhamento constante do índice de atendimento das legislações e requisitos legais aplicáveis ao negócio;

c. Conhecimento e gerenciamento dos aspectos e impactos ambientais da empresa, bem como dos perigos e riscos da saúde e segurança no trabalho;

d. Gerenciamento da satisfação dos clientes em relação aos produtos e serviços;

e. Gerenciamento da satisfação dos colaboradores em relação à empresa, ambiente de trabalho e políticas de gestão de pessoas;

f. Gerenciamento das não conformidades da empresa e definição de planos para ações corretivas e preventivas;

g. Avaliação constante das possibilidades de melhorias nos processos, atividades, produtos, serviços e relacionamento com as partes interessadas;

h. Evolução da certificação para um programa de sustentabilidade focado no desenvolvimento econômico, social e ambiental da empresa.

3. Qual(is) a(s) principal(is) dificuldade(s) que as organizações têm para manter o Sistema de Gestão funcionando perfeitamente? E por que?

a.Controlar os aspectos ambientais;

b. Conscientizar os funcionários;

c. Despesas financeiras;

d. Auditoria.

4. Qual o grau de importância da auditoria ambiental para a manutenção do Sistema de Gestão Ambiental de uma organização?

As auditorias possibilitam a avaliação da efetividade do sistema de gestão da empresa, por meio da identificação dos pontos que precisam ser aprimorados, possibilitando, no entanto, a melhoria contínua da empresa em todos os aspectos.

5. De quanto em quanto tempo as Organizações deveriam realizar a auditoria interna nas suas organizações?

É recomendado que as auditorias internas sejam realizadas pelo menos, anualmente.

6. Existem ferramentas eficientes para realizar Auditorias Internas?

Dessa forma, no processo de auditoria interna a ferramenta é utilizada como forma de evidenciar os itens descritos acima, por exemplo. Além disso, a ferramenta SOGI também é utilizada para o registro da auditoria de conformidade legal e para o registro e tratamento de todas as não conformidades que possam ser encontradas durante o processo de auditoria.

Muitas empresas nacionais e internacionais utilizam o SOGI – sistema online de gestão. Essa ferramenta contribui imensamente na gestão das legislações aplicáveis, gerenciamento de aspectos e impactos ambientais, gerenciamento de perigos e riscos, tratamento de não conformidades e auditoria de conformidade legal.

7. Como a auditoria ambiental pode auxiliar as organizações a melhorarem o seu desempenho ambiental, por exemplo?

Quando se tem um sistema de gestão integrado, todas as auditorias serão realizadas de forma integrada, ou seja, faz-se a auditoria de todo o SG da organização, seja de meio ambiente, saúde e segurança no trabalho, responsabilidade social e qualidade.

Assim, as organizações conseguem avaliar como está todo o desempenho do seu sistema de gestão, identificando os pontos fracos e fortes, bem como identificando as necessidades de melhoria.

De forma geral, as auditorias contribuem para o processo de melhoria contínua da empresa, pois é complexo que o próprio colaborador consiga enxergar possibilidades de desenvolvimento em todos os aspectos possíveis.

8. Como os colaboradores enxergam um auditor?

Como todo processo de avaliação, obviamente, às vezes a auditoria pode gerar um pouco de ansiedade, especialmente para aqueles colaboradores que atuam em áreas mais administrativas e não convivem muito com esse ambiente.

No entanto, de forma geral, o processo é bem tranquilo, quando o auditor possui premissas profissionais. Há um tempo, a Verde Ghaia produziu um texto abordando a importância de se escolher bem um auditor interno e um outro post sobre premissas básicas de um auditor.

Afinal, estamos falando de empresas que implementaram um sistema de Gestão visando à certificação, e isto de certa forma, contribui para que os colaboradores tenham mais familiaridade com os processos de uma auditoria e com auditores.

9. Nas auditorias realizadas nas organizações, existe algum requisito da Norma ISO 14001 que apresenta quantitativo maior de não-conformidade?

De forma geral, o sistema de gestão ambiental vai variar de ramo de atividade, de tipo de empreendimento. Há, por exemplo, escritórios que não têm mapeados aspectos e impactos ambientais tão relevantes.

Mas, de um modo geral, há um ponto de melhoria para todos os tipos de empreendimento, inclusive escritórios, que é o Tratamento das Não conformidades. É preciso que haja mais conscientização dos colaboradores para as metodologias a serem utilizadas para tratar não conformidades.

10. A auditoria ambiental representa uma etapa traumática para a manutenção do SGA? A auditoria ambiental representa uma etapa traumática para a manutenção do SGA?

A auditoria é um processo muito importante para o sistema de gestão, pois permite avaliar o desempenho, identificar dificuldades e pontos de melhorias.

O problema para as organizações é que as auditorias podem ter o custo elevado para deslocamento e permanência do auditor, principalmente quando a auditoria é integrada, pois exigem dois a três auditores na empresa, por três a quatro dias.

E isso inclui custos de logística, impactando muito para as organizações, mesmo que sejam pequenos os processos produtivos da empresa para atendimento dos auditores.

11. Quais são os procedimentos para as não-conformidades identificadas na auditoria interna?

Todas as não conformidades são registradas no módulo TNC – Tratamento de Não Conformidades no sistema SOGI. A ferramenta nos permite registrar a origem da não conformidade, fazer a análise de causa (árvore dos porquês), definir ações corretivas e preventivas, definir planos de ação, analisar e avaliar os resultados obtidos.

12. auditoria é capaz de melhorar a imagem da organização frente aos seus stakeholders? Como?

Na verdade, acreditamos que não só a auditoria, mas, especialmente, a certificação traz para a empresa mais credibilidade em sua área de atuação e melhorias significativas nos seus processos internos e na relação com os seus públicos (interno e externo).

No entanto, a certificação ainda precisa ser vista como ponto de partida para se alcançar efetivamente, o desenvolvimento econômico, ambiental e social.

Muitas organizações, clientes da Verde Ghaia, adotaram o Programa de Sustentabilidade, ideia criada pelo grupo cuja premissa é a de criar um ambiente colaborativo, solidário, consciente e que estimule o desenvolvimento e a produtividade.

Para isso, esse programa é desenvolvido por colaboradores voluntários da empresa, tendo como apoiadores as áreas de Gestão de Pessoas, Comunicação e Diretoria Técnica.

O programa tem como base os pilares ambiental, social e econômico/qualidade, sendo norteado pelas normas internacionais ISO90001 – qualidade; ISO14001 – meio ambiente; SA8000, NBR 16001 e ISO260001 – Responsabilidade Social; OHSAS 18001 – Saúde e Segurança no Trabalho; ISO 14064 – Mudanças Climáticas.

O Programa ainda tem como referência as perspectivas de saúde e qualidade de vida, conforme descrição da Organização Mundial de Saúde:

  • Aspecto intelectual – Relacionado ao conhecimento, inovação, perspectiva de desenvolvimento e crescimento, aprendizado, educação,
  • Aspecto emocional – Relacionado à credibilidade, confiança, satisfação, auto estima, reconhecimento, feedback e suporte emocional,
  • Aspecto social – Relacionado às convivências e afinidades, crenças e valores, suporte social,
  • Aspecto físico – Relacionado à saúde, bem-estar físico e biológico, remuneração justa, dignidade.

Voluntariamente foram definidos “tutores” para cada um dos pilares, que ficam responsáveis por captar ideias, sugestões e desenvolver e avaliar programas, campanhas e ações pontuais.

Com a implantação desse Programa, apareceram resultados significativos nas organizações, tudo alinhado com os objetivos e metas da empresa:

13. Melhorias internas em um Cliente

Campanha de Redução de Água e Energia promovendo conscientização e estimulando colaboradores na redução de consumo de água e energia. Para isso, fez-se, por um ano, o acompanhamento mensal de consumo, bem como o levantamento das reduções alcançadas. Estas por sua vez, foram revertidas em ganhos financeiros.

Ao final do ano, os ganhos financeiros foram convertidos em dois projetos: implantação do minhocário doméstico e de um coletor de água de chuvas na empresa. O coletor tem o objetivo de manter a redução do consumo e promover o reaproveitamento da água captada para lavar pisos, irrigar plantas e para uso da descarga sanitária. Já o minhocário visa a redução e a geração de resíduos orgânicas. Para isso, ele funciona como um sistema de reciclagem dos resíduos orgânicos, onde minhocas e microrganismos transformam restos de alimentos em adubo de excelente qualidade. É um sistema prático, compacto, higiênico e de fácil manuseio que não produz mal cheiro nem atrai insetos e animais indesejados.

14. A auditoria produz informações consistentes em relação ao desempenho da Gestão? De que forma isso beneficia a empresa?

Sim, a auditoria sempre proporciona para a empresa a possibilidade de enxergar o que pode ser melhorado e de monitorar ações corretivas e preventivas. De certo modo, faz com que a empresa saia da “zona de conforto” e permita que um olhar externo mostre oportunidades de melhoria.

15. De um modo geral, como a auditoria interna ocorre nas organizações?

A auditoria interna é conduzida por consultores (com certificação como auditores líderes), utilizando a ferramenta SOGI para a conferência das evidências de atendimento aos requisitos da norma – obrigações legais, aspectos e impactos ambientais, perigos e riscos da saúde e segurança no trabalho, tratamento das não conformidades – análise documental, entrevista nos setores, entre outros.

Após a emissão do relatório e realizada uma reunião para apresentação dos resultados; as não conformidades são registradas no módulo TNC do sistema SOGI, para análise e acompanhamento.

16. Como as organizações podem se prepara para uma auditoria?

As organizações devem buscar por processos bem estruturados para manutenção do sistema de gestão e para se comunicar com os colaboradores, buscando sempre conscientizá-los e capacitá-los sobre procedimentos, instruções de trabalho e indicadores do sistema de gestão.

Dessa forma, a empresa deve realizar:

  • Mensalmente reuniões com os Representantes do Sistema de Gestão, que são colaboradores designados para representar os setores nos assuntos do SGI, com o Representante dos Colaboradores e com os membros da CIPA;
  • Mensalmente deve ser realizada a reunião geral, com a participação de todos os colaboradores que estiverem na empresa, momento para realizar o alinhamento de informações da empresa, incluindo status sobre o sistema de gestão, datas de auditorias e reciclagem sobre as normas;
  • Periodicamente, a empresa deve disponibilizar informações sobre as normas e sobre o seu sistema de gestão, através das ferramentas de comunicação: gestão à vista (TVs), e-mail, blog, site, redes sociais;
  • Periodicamente, devem ser realizados treinamentos de integração e reciclagem sobre o seu sistema de gestão (política de SGI, procedimentos e instruções de trabalho) e sobre as normas internacionais ISO14001, ISO9001, OHSAS 18001 e SA8000;
  • Anualmente, deve ser realizada auditoria de conformidade legal;
  • Anualmente, deve ser realizada auditoria interna;
  • Semestralmente, deve ser realizada Reunião de Análise Crítica Setorial;
  • Anualmente, deve ser realizada Reunião de Análise Crítica.

17. As organizações devem modificar a sua rotina de trabalho por conta da auditoria?

A permanência de auditores na organização, obviamente, acaba por interferir no processo produtivo da empresa. Mas, para minimizar isso, a organização pode solicitar a agenda da auditoria e comunicar os setores com antecedência, para que se programem e se organizem, visando não impactar tanto nas rotinas.

O que é Auditoria Ambiental?

 

A Auditoria Ambiental é um serviço disponibilizado pela Vede Ghaia e que permite aos nossos clientes obter uma visão mais ampla de sua própria estrutura, indo além do aspecto legal.

É levado em consideração também a forma como a empresa o uso de seus recursos naturais e como ao meio ambiente decorrentes dos processos, produtos e serviços do empreendimento.

Por que fazer?

Com a auditoria ambiental, a organização se torna capaz de avaliar melhor não somente os riscos legais perante aos órgãos oficiais, como também todos os possíveis riscos para com a comunidade, os seus clientes e os seus acionistas.

Dessa maneira, a empresa se resguarda e se protege de possíveis danos à sua imagem e ao seu patrimônio, além de contribuir para uma maior preservação do meio-ambiente.

Como é feita a Auditoria Ambiental? Quem faz?

A auditoria é realizada por consultores da Verde Ghaia. Todos os nossos auditores passam por vários tipos de treinamentos e cursos de capacitação, como Curso de Auditoria Interno e Curso de Auditor Líder.

Os auditores da Verde Ghaia visitam as instalações da empresa e conferem documentações referentes à NBR 14001 e demais normas relacionadas. Após a visita técnica, nossos consultores geram um relatório informando à empresa como está sua conformidade em relação às normas ambientais, e em caso de necessidade apontam observações de melhorias e não conformidades que precisam ser tratadas.

Com que frequência deve ser feita a auditoria?

Todos os processos de Auditoria Interna Ambiental devemser realizados cerca de um (1) mês antes da Auditoria Externa, feita por órgão regulador, com o intuito de receber o certificado de conformidade legal.

Por isso, previna-se de acidentes ambientais indesejados e garanta uma imagem séria e idônea frente à sociedade e ao poder público.

Contrate os serviços de Auditoria Ambiental da Verde Ghaia e proteja você, seus clientes e toda a sociedade de riscos dispensáveis e indesejados.

Se ainda restou dúvidas, convido você para assistir ao vídeo sobre Aspectos Ambientais da Verde Ghaia. Pegue seu cafézinho e aprenda mais sobre Auditoria Ambiental!

Fale conosco e tenha um SGA de excelência!

Premissas Básicas e Deveres do Auditor

 

O sucesso de uma auditoria está diretamente associado ao comportamento do auditor, portanto, algumas premissas devem ser seguidas:

1.Estar preparado a fundo para executar a auditoria. Tentar prever ao máximo as situações possíveis.

2. Evitar apresentar surpresas ao auditado. Discutir de imediato as não-conformidades encontradas, procurando esclarecer todos os pontos com o auditado durante a auditoria.

3. Buscar objetividade e obter dados reais. Evitar opiniões pessoais e só se basear em fatos concretos que possam ser evidenciados (evidências objetivas).

4. Negociar os limites de interferência e intrusão. Discutir com o auditado a necessidade de quebra de eventuais procedimentos ambientais ou equivalentes.

5. Opinar em bases éticas e de confiança. Não atacar as pessoas, e sim os fatos concretos. Ser claro em suas explicações e não ter medo de falar a verdade.

Continue lendo “Premissas Básicas e Deveres do Auditor”

Empreendimentos com SGA implementado têm sua imagem vinculada a preservação ambiental

 

Você sabia que as empresas com o sistema de Gestão Ambiental implantadas são bem vistas pelos empreendimentos concorrentes, sociedade nacional e mundial?

barragem rompida em Brumadinho
Evite danos ambientais- Faça sua Gestão Ambiental com precisão!

O que é Gestão Ambiental? 

Podemos entender como Gestão Ambiental, um sistema de administração empresarial que enfatiza a sustentabilidade, visando o uso de práticas e métodos administrativos para reduzir ao máximo o impacto ambiental das atividades econômicas nos recursos da natureza.

A Gestão Ambiental quando implantada corretamente, permite a redução de custos diretos e indiretos. A redução de custos diretos é confirmada através da diminuição do desperdício de matérias-primas e de recursos, como água e energia. Já a redução de custos indiretos é constatada por sanções e indenizações relacionadas a danos ao meio ambiente e/ou da população localizada próxima as instalações da empresa.

Gestão Ambiental como estratégia empresarial

Criação de produtos que provoquem o mínimo possível de impacto ambiental (desenvolvimento de embalagens recicláveis para fornecimento de produtos);Uso de sistemas que garantam a não poluição ambiental (tratamento e destinação correta dos resíduos e efluentes gerados no empreendimento);Treinamento de funcionários para que conheçam o sistema de sustentabilidade da empresa, sua importância e formas de colaboração.A Gestão Ambiental Sustentável é norteada pelos seguintes métodos e objetivos:

1. Uso de recursos naturais de forma racional (utilização de energias renováveis e limpas);

2. Aplicação de métodos que visem a manutenção da biodiversidade (proteção das espécies de seres vivos);

3. Adoção de sistemas de reciclagem de resíduos sólidos (destinação ambientalmente correta de todos os resíduos gerados);

4. Utilização sustentável de recursos naturais (utilização de recursos hídricos mediante Outorga);

Tratamento e reutilização da água e outros recursos naturais dentro do processo produtivo (tratamento e reuso de água);Criação de programas de pós-consumo para retirar do meio ambiente os produtos, ou partes deles, que possam contaminar o solo, rios, etc. (Adoção dos critérios da Logística Reversa).

Os empreendimentos com o Sistema de Gestão implantados têm sua imagem vinculada a preservação ambiental. Seus produtos e serviços são associados de forma positiva no comprometimento de adoção de ideias sustentáveis. A adoção dos métodos e objetivos do Gestão Ambiental Sustentável dos empreendimentos melhora sua “marca” no mercado Nacional e Internacional.

Reconhecimento das empresas que possuem SGA

Quais são as responsabilidades da Organização por dano ambiental?

A NBR ISO 14001:2015 especifica os requisitos para um Sistema de Gestão ambiental que uma organização pode usar para aumentar seu desempenho ambiental. O SGA auxilia as organizações a gerenciar suas responsabilidades ambientais de uma forma sistemática, que contribua para o pilar ambiental da sustentabilidade.

Além de demostrar preocupação com o uso consciente dos recursos ambientais, as empresas Sustentáveis reduzem seus custos, evitam desperdícios, reutilizam materiais que antes eram descartados (subprodutos), aumentando seus lucros.

Atualmente, as empresas mais sustentáveis são reconhecidas anualmente pela Revista canadense Corporate Knights. A revista é responsável por publicações especializadas em responsabilidade social e desenvolvimento sustentável.

Para compor o The Global 100, a Corporate Knights seleciona empresas de todos os setores com base em indicadores como energia, emissões de carbono, consumo de água, resíduos sólidos, capacidade de inovação, pagamentos de impostos, a relação entre o salário médio do trabalhador e o do CEO, planos de previdência corporativos e o percentual de mulheres na gestão.

No ano de 2018, a divulgação da Lista foi realizada pela Corporate Knights no Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça).

A lista com o ranking das empresas está disponível no site.

A Verde Ghaia pode auxiliar sua empresa ser Sustentável e reconhecida.


Quer saber como? Entre em contato com nossa Equipe ou baixe nosso e-book!


Caroline Dias
Consultora Jurídica.

Como e por que fazer o levantamento dos aspectos ambientais do meu negócio

 

O objetivo da ISO 14001:2015 é providenciar à organização uma estrutura de proteção ao meio ambiente, buscando por uma resposta às mudanças das condições ambientais em equilíbrio com as necessidades socioeconômicas.

aspectos e impactos

Desse modo, a proposta é criar alternativas que possam contribuir para um desenvolvimento sustentável na proteção do meio ambiente. Além de contribuir pela prevenção ou mitigação dos impactos ambientais adversos, bem como propiciar à organização modos de alcançar resultados definidos e pretendidos.

Como identificar aspectos ambientais e o porquê?!

A Norma é destinada à organização que busca gerenciar suas responsabilidades ambientais de forma sistemática. E assim, contribuir para o pilar ambiental de sustentabilidade, sendo este aplicável a qualquer tipo de organização. Isto independe de seu tamanho, corte, privada ou pública, aplicado aos aspectos ambientais das suas atividade, produtos e serviços da organização, podendo, portanto, determinar, controlar ou influenciar. Além disso, é possível que a organização considere sua perspectiva de ciclo de vida.

A ISO 14001:2015 define aspecto ambiental no item 3.2.2 como Aspecto ambiental: elemento das atividades, produtos ou serviços de uma organização que pode interagir com o meio ambiente. Em nota o aspecto ambiental pode causar um ou mais impactos ambientais significativos. E estes são determinados pela organização aplicando critérios de avaliação.

A norma diz como identificar os aspectos ambientais?

O que seriam os aspectos? Seria tudo que a empresa gera, consome ou emite seja na sua distribuição, armazenamento, produção ou transporte. A Norma, no entanto, não fala como identificar os aspectos ambientais significativos. Assim, a empresa poderá definir seu critério de avaliação, para identificar e controlar seus aspectos ambientais significativos. Desse modo, é possível gerenciar e/ou evitar impactos ambientais significativos.

No item 6.1.2 aspectos ambientais, a organização deve identificar seus aspectos ambientais no seu escopo e definidos em todas as suas atividade, por exemplo, produtos e serviços que estão dentro do escopo da organização. Considerando todos aqueles que ela possa controlar e também aqueles que se possa influenciar, sendo indiretos, como, por exemplo, na contratação de um serviço de transporte seja de resíduos recicláveis ou contaminados. Ou quando se encaminha seus aspectos para tratamento ou outro tipo de destinação. Com isso, a organização deve controlar e influenciar esses aspectos que não estão dentro do seu escopo.

Para a identificação dos aspectos ambientais, deve-se levar em consideração possíveis ou futuras mudanças em processos, projetos, produtos, serviços e atividades novas ou modificadas. Bem como, situações anormais ou de emergências. A identificação desses aspectos e impactos devem estar associados aos critérios utilizados e à identificação dos aspectos significativos documentados. A identificação dos aspectos significativos, podem resultar em riscos ou oportunidades.

Como levantar e identificar seus aspectos ambientais

Levantamento e identificação de aspectos e impactos ambientais

É importante perceber e entender como a organização e seus colaboradores enxergam e definem e identificam suas áreas, processos, atividades, aspectos e impactos ambientais. Visto que, é relevante identificar todas as áreas e atividades, mesmo que as mesmas não estejam sendo usadas, ou possam ocorrer esporadicamente. Sendo assim, um bom levantamento requer conhecimento, observação, entrevista para facilitar a identificação dos aspectos. E consequentemente, a empresa poderá identificar cada entrada e saída das atividades.

A partir dessas entradas e saídas, podemos definir aspectos ambientais nas entradas, nas saídas e nas situações emergências ou não planejadas. Lembrando que, mesmo que um aspecto ambiental pareça insignificante ou com frequência baixa ou que até o momento não tenha ocorrido ou sido gerado e que pareça não ser importante, deve-se registrá-lo.

Podemos citar, por exemplo, os aspectos ambientais relacionados as atividade as entradas e saídas:

# Entrada: Consumo de energia elétrica

# Saída: Geração de óleo usado

# Não planejado: Risco de vazamento de óleo

Após a identificação dos aspectos ambientais, faz-se necessário a avaliação dos mesmos, através de critérios estabelecidos para conseguir identificar seus aspectos significativos. E assim, estabelecer controles operacionais dos mesmos. Lembrando que com a última atualização da Norma é necessário avaliar a expectativa do ciclo de vida, seus riscos e oportunidades, relacionados aos aspectos ambientais.

Salienta-se que a organização e assim, evitar um impacto ambiental significativo, controlando a causa e evitando o efeito.

Como melhorar seu sistema de Gestão ambiental

Para ter seus processos sempre em dia e em conformidade, é preciso que seu SG seja monitorado, diariamente. Mas, como é possível? São tantas atividades rotineiras!? Bem, as opções são várias e somente você poderá definir o melhor método. Por exemplo, você pode contratar um consultor com know how ou uma empresa que ofereça serviços de consultoria e que te garanta qualidade na implementação do seu SGA e que lhe dê resultadosUma dica é que tanto você quanto seus contratados, identifiquem seus aspectos e impactos e os gerencie. Isso é muito importante, pois vocês dois serão responsáveis por qualquer impacto gerado.

Hoje, já é possível contratar serviços de consultoria totalmente Online. E que além disso, ofereça preços menores, mas com consultores gabaritados para dar suporte. Bem como te ajudar a gerenciar seus documentos e processos. 

Quer saber mais, entre em contato conosco.

Blog VG